Brasília-DF,
17/DEZ/2017

Acadêmicos da Asa Norte aposta em samba-enredo sobre obra de Jorge Amado

Escola deseja conseguir a terceira vitória consecutiva no carnaval de Brasília

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Adriana Izel Maíra de Deus Brito Publicação:20/02/2014 07:01
A escola já conquistou 11 títulos. Abaixo, o ensaio da bateria no barracão da agremiação (Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
A escola já conquistou 11 títulos. Abaixo, o ensaio da bateria no barracão da agremiação

Há dois anos o carnaval brasiliense é vermelho e branco. A Associação Recreativa e Cultural Acadêmicos da Asa Norte conseguiu desbancar a hegemonia da rival Aruc e tenta, neste ano, conquistar o tricampeonato. “Passar na avenida como campeã é obrigação, ganhar é uma consequência. Vamos fazer nosso trabalho com humildade e pé no chão”, garante Wallace Palhares, diretor-geral de harmonia.

A aposta desta vez é no enredo Asa Norte traz da Bahia a tenda dos milagres, baseado no livro Tenda dos milagres, de Jorge Amado. “Esse samba foi escolhido porque trata de uma temática, ao mesmo tempo, antiga e muito atual. Vamos levantar a bandeira contra o preconceito aos negros e às classes menos favorecidas; e também à intolerância a religiões como umbanda e candomblé”, explica Palhares.

Assim como a obra que inspirou o samba-enredo de 2014, a escola surgiu em 1969. Inicialmente, era um bloco carnavalesco da Asa Norte e, apenas em 1973, virou uma agremiação e começou a disputar o carnaval de Brasília. Desde então, ganhou 11 vezes e, nos dois últimos anos, teve vitórias consecutivas ao sair na avenida falando da Universidade de Brasília (UnB) e do chorinho, respectivamente.

Pela internet

Composto por Rodrigo Atração e Renato dos Anjos, o samba-enredo da agremiação brasiliense teve um processo de criação inusitado: nasceu com o auxílio da internet. Rodrigo, que mora em São Paulo, e Renato, carioca radicado em Brasília há dois anos, não se conhecem pessoalmente, mas entraram em contato a partir de amigos em comum, como Wallace Palhares. Desde então, a dupla conversa por meio de redes sociais e de mensagens instantâneas e, entre um bate-papo e outro, compuseram o samba. “Rodrigo ficou mais com a parte da letra, e eu, com a melodia. Ele não pode participar das disputas na quadra, daí fiz alguns ajustes para meu timbre de voz e deu tudo certo”, conta Renato.

A parceria estava predestinada ao sucesso. Rodrigo Atração é um dos responsáveis pelos sambas vencedores dos desfiles de 2012 e de 2013. Renato é autor do samba de 2014 do Bola Preta de Sobradinho, escola onde é intérprete.

A dupla venceu o concurso de samba-enredo promovido pela Acadêmicos da Asa Norte, que durou cerca de oito meses. A disputa é uma tradição antiga entre as escolas. “Fazemos questão de não deixar de lado. Além disso, abre espaço para que as pessoas mostrem o seu lado artístico”, defende Robson Farias de Souza, presidente da agremiação.

Desafios

O carnaval de Brasília vive uma crescente. Atualmente, as escolas saem na passarela com fantasias, adereços e alegorias de melhor qualidade, principalmente, por buscarem o material no Rio de Janeiro, estado que conta com mão de obra mais experiente nesta área. “Acho que o mais importante é o comprometimento cultural dos dirigentes e do governo local”, opina Wallace Palhares.

Para o presidente da Asa Norte, no entanto, a dependência do material carioca é prejudicial. “Em Brasília, é difícil encontrar peças adequadas. Mas, aos poucos, estamos tentando usar a verba do governo para pagar a mão de obra da capital. Não é justo gastar esse dinheiro em outro estado”, opina Robson.

Samba-enredo

Asa Norte traz da Bahia a tenda dos milagres

Kaô meu pai Xangô!
Laroye o mensageiro anunciou
Arcanjo, em sua missão, luta contra a opressão
Na roda de capoeira mostra seu valor
Pelas ladeiras de são salvador
Seu conhecimento e sabedoria
A igualdade que o povo queria
No coração do poeta, a medicina brotou
Levantando a bandeira, africana e brasileira

Refrão
É a ginga de angola..... ô iá iá
Vem descendo o pelô.... ô iô iô
Firmo o ponto no terreiro
Meu batuque é verdadeiro, a avenida conquistou

O seu trabalho, a sua fé
Encantou toda cidade
Espelho de um povo, de luta e coragem
Na tenda, os orixás...... milagres dos ancestrais
A cura vem das ervas, na força de seus rituais
És um vencedor ô ô, filho de xangô ô ô
Sua justiça hoje vai se espalhar
Em forma de oração
De vermelho e branco vou cantar

Refrão
O meu tambor vai ecoar
Sou asa norte, guerreira !
Na proteção de Ojuobá
Meu samba é raça, é sangue na veia

1mil
componentes

100
integrantes na bateria

14
alas

6
intérpretes

3
carros alegóricos

3
casais de mestre-sala e porta-bandeira

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.