Brasília-DF,
11/DEZ/2017

Carnaval: No Rio, Zico vira enredo da escola Imperatriz Leopoldinense

Para que a homenagem seja digna do ex-craque, grande nome das seleções brasileiras de 1982 e 1986, voluntários trabalham sem parar na Cidade do Samba

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
France Presse Publicação:26/02/2014 18:25
Luxuosos carros alegóricos retratarão a vida do 'Galinho de Quintino', e contarão sua história (AFP PHOTO/VANDERLEI ALMEIDA)
Luxuosos carros alegóricos retratarão a vida do 'Galinho de Quintino', e contarão sua história

Rio de Janeiro - Aclamado 'camisa 10' do Flamengo e da Seleção, Zico terá novamente a oportunidade de sentir de perto o carinho do povo brasileiro, ao virar enredo da Imperatriz Leopoldinense, escola pela qual desfilará diante de 70 mil espectadores no Sambódromo do Rio de Janeiro.

Para que a homenagem seja digna do ex-craque, grande nome das seleções brasileiras que encantaram o mundo nas Copas do Mundo de 1982 e 1986, centenas de voluntários trabalham sem parar na 'Cidade do Samba', a poucos dias do início do carnaval.

"Nós levamos pelo menos 20 minutos para decorar uma simples bola de futebol em um dos carros", explica um dos trabalhadores.

Os luxuosos carros alegóricos retratarão a vida do 'Galinho de Quintino', e contarão sua história, de grande ídolo do Flamengo - onde se tornou um mito no esporte - até a passagem como jogador e treinador no Japão, onde é admirado até hoje pelo legado que deixou.

"Um desfile de uma escola de samba é uma das maiores homenagens que se pode receber. Para um brasileiro, é como uma Copa do Mundo", comenta Zico, de 60 anos, numa entrevista exclusiva à AFP.

Encarar os 70 mil espectadores da Marquês de Sapucaí e o veredito dos jurados não é um problema para Zico. "No Maracanã, mais de 100 mil pessoas gritavam meu nome, me saudavam", lembrou Zico, nascido Arthur Antunes Coimbra.

Para o ex-jogador, famoso pela visão de jogo e qualidade com a bola nos pés, "a relação entre o futebol e o samba é total. Para jogar bem, é preciso saber se movimentar com flexibilidade, mexer o quadril, como no samba", explica o ídolo.

"O carisma de Zico neste ano especial fará com que o público receba ele de braços abertos. O brasileiro é um apaixonado por futebol", afirma Cahê Rodrigues, carnavalesco da Imperatriz Leopoldinense.

O carnavalesco espera agora conquistar o carnaval do Rio com a nota 10, número que estampou as costas do Zico por toda a carreira nos gramados. "O carnaval, o samba, esta felicidade são vibrantes como o futebol. São dois espetáculos, dois eventos grandiosos que quando unidos, só podem ser um sucesso", continua.

"Eu expliquei para o carnavalesco o que eu queria contar da minha história e ele topou", explicou Zico, um dos poucos jogadores admirados e respeitados por todos os torcedores do Brasil, não só pela torcida rubro-negra.

Antigos adversários, como Roberto Dinamite, ex-craque do Vasco e atual presidente do clube, e Rivelino, que jogou no Fluminense e no Corinthians, desfilarão ao lado do Galinho.

Para aumentar ainda mais a festa, Zico completa 61 anos justamente na noite do desfile, no dia 3 de março. Vencendo ou não o carnaval, este grande presente de aniversário tem tudo para ser inesquecível.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.
Eduardo costa 27 de Ferveiro às 06:27

Será que a escola de samba ,vai falar do cano que ele deu,na receita federal ITALIANA,onde foi condenado e até hoje nao pode voltar?

[Denunciar]