Brasília-DF,
19/SET/2017

Pais chegam a comprar quatro fantasias para os filhos pularem o carnaval

Ainda dá tempo de providenciar a roupa, pois algumas lojas ficarão abertas hoje para venda e aluguel. Durante a semana, consumidores formaram fila na porta de estabelecimentos

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:01/03/2014 07:56
» Roberta Pinheiro

Carnaval não é tempo só de folia, mas também de comércio aquecido, principalmente no setor de fantasias voltadas para os pequenos foliões. Tem baiana, super-herói, palhaço, bailarina, pirata, princesa e muitos outros personagens. Na folia da criançada, não falta animação, mas quem não providenciou a roupa ainda pode encontrar, hoje, opções em algumas lojas da cidade.

Em uma escola na 906 Sul, as crianças foram vestidas a caráter para a folia: tinha super-homem, pirata, princesa (Mariana Laboissieri/CB/D.A Press)
Em uma escola na 906 Sul, as crianças foram vestidas a caráter para a folia: tinha super-homem, pirata, princesa


Para encontrar a fantasia do filho de 1 ano, Karla Monteiro, 34, enfrentou fila e loja cheia. Ela, o marido e o pequeno Bernardo vão pular o carnaval no Rio de Janeiro e querem aproveitar os quatro dias de folia. “Queria quatro fantasias para ele (o filho), uma para cada dia”, conta Karla. Ao sair do trabalho na quinta-feira, a mãe passou na primeira loja, mas as prateleiras estavam vazias. Na segunda, a surpresa: uma fila de 15 pessoas esperando para entrar no estabelecimento, que estava lotado. “As pessoas lá dentro estavam quase se estapeando por uma fantasia. Alguns produtos tinham até acabado”, comenta.

Nascida no Rio, Karla não perde a folia e, desde que o filho nasceu, não o deixa de fora das comemorações. No ano passado, não saíram em nenhum bloco da cidade, mas compraram fantasia e fizeram a festa em casa. “Eu acho que é importante para a criança ter essa socialização. Quando o Bernardo estiver na escola, quero que ele participe dos bailinhos. Acho legal ele aprender a história de uma das festas mais importantes do Brasil”, diz a mãe. Ela gastou pouco mais de R$ 100 nas compras deste ano e ainda não encontrou tudo o que queria. “Vou precisar improvisar algumas coisas em casa”, acrescenta.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.