Brasília-DF,
15/DEZ/2017

Primeiro semestre aponta queda de arrecadação dos filmes brasileiros

Mesmo com mais lançamentos e salas de exibição, os números foram baixos, de acordo com pesquisa divulgada pela Ancine

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Diário de Pernambuco Publicação:27/08/2014 10:11
O longa 'Rio, eu te amo' é uma das apostas para reanimar o mercado (Reprodução/Youtube)
O longa "Rio, eu te amo" é uma das apostas para reanimar o mercado

Na ressaca do recorde de bilheteria alcançado em 2013, com 27,8 milhões de ingressos vendidos, os filmes brasileiros atraíram menos pessoas aos cinemas. No primeiro semestre de 2014, 11.451.987 milhões de bilhetes foram comercializados, 15,8% a menos que no mesmo período do ano anterior, de acordo com pesquisa divulgada pela Agência Nacional de Cinema (Ancine). A renda caiu 6,2%.

Os jogos da Copa do Mundo são apontados como a principal causa do decréscimo. "(Os filmes estrangeiros) anteciparam seus lançamentos das férias de julho, de forma a não coincidir com o calendário da Copa do Mundo no Brasil. Houve oito obras dos EUA com mais de três milhões de bilhetes vendidos, enquanto que, no mesmo período de 2013, cinco filmes alcançaram público semelhante", analisa documento da Ancine. No primeiro semestre de 2010, também houve queda, posteriormente superada pelo sucesso absoluto de Tropa de elite 2, visto por mais de 11 milhões de espectadores.

A diminuição está na contramão dos índices gerais, impulsionados pelas estratégias agressivas das distribuidoras internacionais para driblar o mundial de futebol. O público das salas de exibição subiu 10% e a arrecadação, 20%, liderados pela animação Rio 2 e por Noé, inspirado na história bíblica. Além disso, foram exibidos mais títulos nacionais (107, ante 93 em 2013) e contratadas mais salas de projeção (3.928, contra 3.321). Da safra pernambucana, Eles voltam, de Marcelo Lordello, contabiliza público de 5.377 espectadores e renda de R$ 37.766. 

Vem por aí

Mesmo com o início morno, o mercado encara com otimismo a chegada do segundo semestre. "Este ano foi atípico, mas agora começa a ficar normal. O cinema brasileiro vai voltar a crescer no segundo semestre. Acho que não vai repetir o sucesso do ano passado, mas vem filme forte por aí", acredita Paulo Sérgio Almeida, da consultoria Filme B. Ele aposta em títulos como Irmã Dulce, o musical Tim Maia e Rio, eu te amo, além de O candidato honesto, com Leandro Hassum, que "vai arrebentar".

Vestido pra casar
–  em cartaz desde 7 de agosto e, por isso, fora da pesquisa –, estrelado por Hassum, já bateu a marca de público de um milhão. O humorista estará ainda em Os caras de pau, adaptação do programa de TV. Do gênero queridinho dos brasileiros, há oito produções previstas, como O duelo, com José Wilker. Agora é fazer rir para superar o prejuízo.

Confira o trailer de Rio, eu te amo

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES