Brasília-DF,
26/MAI/2017

4º Curta Brasília chega com filmes estrangeiros e entrada franca

O festival traz curta-metragens nacionais e produções espanholas e francesas

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ricardo Daehn Publicação:18/12/2015 06:51Atualização:17/12/2015 15:18
Com uma série de filmes internacionais inéditos em Brasília, o 4º Curta Brasília revela a faceta democrática de acolher a diversidade de programação, ao mesmo tempo em que propicia, com entrada franca, uma efetiva ocupação do Cine Brasília (106/107 Sul).
 
A onda traz, o vento leva será exibido na programação de amanhã do festival
A onda traz, o vento leva será exibido na programação de amanhã do festival
 
 
Entre os estrangeiros, neste fim de semana destacam-se filmes espanhóis e franceses, programados, respectivamente, para o domingo às 15h e para às 17h. No caso do primeiro bloco de fitas, o festival contará com filmes premiados na Europa. Já às 17h será a vez dos curtas franceses, com olhar diferenciado: trata-se de animações que contemplam a linguagem documental.
 
Concentrando a visão num recorte local de atrações, a partir das 17h, o evento traz como atração a Mostra José Eduardo Belmonte, em que o cineasta será representado por filmes como Tepê, estrelado, entre outros, por Andrade Junior; e 50 anos em 5, drama de 2010 em que um cinquentão aposta na paixão platônica por uma jovem vista na travessia do Eixão.
 
Na dobradinha de programação às 19h, filmes locais poderão ser assistidos. É o caso de De repente, assinado por Bruno Dutra Caldas, em que são explicitadas relações de natureza e sexualidade, numa fita estrelada pelo ator João Campos. Mistério é o mote de outro curta, Escuro do medo, de João Gabriel Caffarelli, que esmiuça a rara situação de um homem cuja mulher está dominada pelo medo do escuro.
 
Contemplando a realidade de interesses pessoais sobrepostos aos da comunidade o filme paulista Mancha de sangue no porcelanato se firma como atração das 21h de hoje. Nele, uma criança ferida em condomínio testa o conceito de individualidade. O filme é assinado por Fernando Sales Rocha. Tendo como pano de fundo a luta contra a dominação do agronegócio, o documentário Índios no poder, na programação das 21h, trata da falta de representação das Nações Indígenas e da candidatura do cacique Ládio Veron.
 
Amanhã, a partir das 10h, o programa de fitas chega sob o selo Surdocine — O som e o sentido, tendo como atrações o curta documental A onda traz, o vento leva, do premiado pernambucano Gustavo Mascaro. Às 19h, será a vez do bloco de filmes que contemplam a animação brasiliense José, detida numa longa espera para um homem resignado.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES