Brasília-DF,
22/SET/2017

'Canção da volta' marca estreia em ficção do cineasta Gustavo Rosa de Moura

O longa brasileiro fala das relações entre um casal e das reações exageradas de um homem apaixonado

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ricardo Daehn Publicação:04/11/2016 06:21Atualização:03/11/2016 15:18
De tão unidos, Julia e Eduardo são quase uma coisa só (Reprodução/Divulgação)
De tão unidos, Julia e Eduardo são quase uma coisa só

“De noite eu rondo a cidade...”, bem poderia enfatizar a letra de Ronda em algum momento da narrativa do longa-metragem Canção da volta. O filme de estreia em ficção do cineasta Gustavo Rosa de Moura trata exatamente disso: da exasperada reação de um homem apaixonado por uma mulher, à primeira vista, destrambelhada e criançola.
 
Desordenado e sem objetividade na organização, o longa se afirma em fragmentos das vidas e sentimentos de Julia (Marina Person) e Eduardo (João Miguel). Lacunar, o cotidiano deles e dos filhos Lucas e Maria se apresenta como uma intrigante sondagem. Pela força dos dois atores, o interesse é mantido, já que eles se alastram, em dependência, quase como uma pasta, uniforme, no comando dos personagens.
 
Veja aqui os horários de Canção da volta.
 
Como nos filmes despojados de Lina Chamie (Os amigos e A via láctea), o cineasta revela, em camadas, convincente exposição de casal, sem recorrer à abrupta invasão de privacidade, com a câmera delicada de Flora Dias (Sinfonia da Necrópole). Na desestrutura retratada, a relação com os filhos do casal só reforça o clima de instabilidade.


COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES