Brasília-DF,
21/JUN/2018

'As boas maneiras': o terror psicológico no cinema nacional

Filme de Juliana Rojas e Marco Dutra tem Marjorie Estiano e Isabél Zuaa no elenco

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Correio Braziliense Publicação:08/06/2018 06:00

As boas maneiras flerta com o terror fantástico  (Reprodução/Internet)
As boas maneiras flerta com o terror fantástico

 

O título do filme As boas maneiras pode muito bem ser aplicado às duas protagonistas —  a patroa Ana (Marjorie Estiano) e a babá Clara (Isabél Zuaa). A primeira desrespeita o código de etiqueta social e engravida antes mesmo de noivar. A segunda traz as consequências de uma sociedade retrógrada e racista.

 

 

 

As boas maneiras resgata, ainda, o cinema de terror psicológico praticado pelos cineastas Juliana Rojas e Marco Dutra no anterior Trabalhar cansa (2011).

 

Aqui, Ana contrata Clara antes de o filho nascer. Aos poucos, o hábito noturno da patroa vai levando Clara a ter atitudes estranhas, não raro violentas. A relação das duas acaba evoluindo para um romance lésbico que enfrenta as diferenças de classe social.

 

Com toques de realismo fantástico, As boas maneiras tem cenas que flertam com o surrealismo, à la A forma da água ou A Bela e a Fera. Como não poderia deixar de ser no cinema nacional, a lua cheia ganha importância na trama.

 

Confira as sessões do filme aqui

 

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES