Brasília-DF,
18/NOV/2017

Yulia Volkova, da dupla t.A.T.u, diz que não aceita filho gay: ''eu o condenaria''

Cantora russa viveu namoro de fachada com ex-colega de banda, mas acredita que ''para homens, não pode acontecer''

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Bossuet Alvim Estado de Minas Publicação:18/09/2014 08:19Atualização:18/09/2014 08:28
Submetida a detector de mentiras em programa russo, Volkova afirmou desejar ''que meu filho seja homem de verdade''; cantora aceitaria uma filha lésbica por achar ''esteticamente mais tranquilo'' (STB/Reprodução)
Submetida a detector de mentiras em programa russo, Volkova afirmou desejar ''que meu filho seja homem de verdade''; cantora aceitaria uma filha lésbica por achar ''esteticamente mais tranquilo''

Famosa pelo falso romance lésbico que projetou a dupla t.A.T.u à fama em 2004, a cantora russa Yulia Volkova surpreendeu fãs ao afirmar, durante participação em um programa de TV, que "condenaria" um filho homossexual. Mãe de dois meninos, a artista declarou que "Deus criou o homem para se reproduzir" e garantiu que "um homem não tem o direito de ser 'bicha'".

As opiniões foram emitidas durante participação de Volkova no programa Detector de mentiras, versão russa para a franquia colombiana Nada más que la verdad. Na atração, famosos são convidados a responder perguntas polêmicas sob análise de um polígrafo. A edição foi ao ar na noite da última terça-feira (16/9).

O entrevistador pergunta a Yulia se "condenaria seu filho" caso ele fosse gay. A cantora responde "sim" e a máquina dá o veredito sobre sua fala, transmitido em um telão ao fundo do palco: "verdade". O apresentador a interrompe, destacando que a convidada já havia dito não se importar caso tivesse uma filha lésbica. "Isso se aplica apenas a uma filha, não a um filho", justifica Volkova. "Acho que para homens, não pode acontecer", completa.



A ex-popstar detalha seu ponto de vista, apontando que "atualmente há um número muito grande de meninas 'fáceis'". Para Yulia, a liberação sexual garantida aos meninos está restrita ao contato com estas mulheres: "esta é a liberdade para os homens", ela diz.

O interlocutor volta a abordar as relações homossexuais de mulheres, uma vez que a cantora ficou famosa por protagonizar um namoro — de 'brincadeira' — com a ex-colega de banda, Lena Katina. "Duas meninas juntas não é a mesma coisa que dois homens juntos", ressalta a entrevistada. "Me parece que ver lésbicas é esteticamente muito mais tranquilo do que ver dois homens de mãos dadas ou se beijando", enfatiza Yulia. O Divirta-se  contou com apoio de Gustavo Andrade, licenciado em letras, para a tradução da entrevista.

Trajetória

Mãe de uma menina de 10 anos e um menino de 6, Yulia Volkova declarava-se bissexual até converter-se ao Islamismo, em 2010. Aos 29 anos, ela conduz carreira solo desde o fim do t.A.T.u, em 2011. Começou a cantar ainda na infância, quando integrou a banda de crianças Neposedi. Em 1999, foi selecionada pelo empresário Ivan Shapovalov para integrar uma dupla de pop ao lado de Lena Katina, ex-colega do grupo infantil. O projeto alcançou sucesso internacional com o lançamento de 'All the things she said': o clipe em que as jovens trocavam beijos e carícias foi hit no início dos anos 2000.

As aparições das jovens em programas de TV e premiações nos EUA e na Europa eram marcadas por beijos e outros gestos de carinho que despertavam polêmica. Em 2003, ambas admitiram que o romance era forjado e tratava-se de uma estratégia promocional desenvolvida por Shapovalov, como revelado no documentário 'Anatomy of t.A.T.u'. A dupla permaneceu unida e lançou outros dois álbuns — com versões em inglês e russo — antes de anunciar a separação, em 2011.



Tentativas de reunião sucederam-se nos anos seguintes, com shows esporádicos e lançamentos de canções isoladas. No último mês de fevereiro, a dupla participou da abertura das Olimpíadas de Inverno de Sochi, na Rússia, em performance que gerou expectativa graças às severas políticas contrárias aos direitos de LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) mantidas pelo governo do país. Ao fim da apresentação, não houve beijo.

Recentemente, ambas atuaram no curta-metragem 'Together apart' e gravaram uma faixa inédita para a trilha sonora do filme. Em maio, durante lançamento da obra no Festival de Cannes, Katina evitou interagir com Volkova, que mais tarde classificou a gravação como o último trabalho da dupla.

_______

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.
Edilson Rodri 18 de Setembro às 20:34

Nenhuma novidade nas declarações dela, simplesmente se afastou das mentiras hipócritas do comportamento vinculado ao "politicamente correto". As sociedades estão infestadas de mentirosos que declaram uma posição favorável ao homossexualismo em público e fazem piadas em recintos fechados e seguros.

[Denunciar]

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK