Brasília-DF,
18/NOV/2017

Cineasta Adirley Queirós conta um pouco sobre como é sua rotina

Formado em cinema pela Universidade de Brasília, o diretor costuma passar sábado e domingo em casa

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:19/09/2014 06:45
 (Iano Andrade/CB/D.A Press)
Este fim de semana será de expectativa para o cineasta Adirley Queirós. O longa dirigido por ele, Branco sai preto fica, será exibido amanhã pela mostra competitiva do 47º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Formado em cinema pela Universidade de Brasília, o diretor costuma passar sábado e domingo em casa, quando descansa e curte os filhos gêmeos. Além de aproveitar o que Ceilândia oferece de melhor.

Sábado

Manhã
Adirley gosta de ir ao campo de futebol perto de sua casa com os filhos, os gêmeos Vitor e Gabriel, de 10 anos. “Acordo, leio o jornal e, se não damos um passeio por perto de casa, curtimos ficar tranquilos”. Para o almoço ele gosta de comer o trivial: “O bom e gostoso feijão com arroz”. Normalmente ele faz o dever de casa com as crianças: “Costumo ensinar matemática a elas. Curto bastante”.

Tarde
“No fim da tarde, adoro fazer cachorro-quente com os meninos”, conta o cineasta. “Gostamos muito também de jogar bola. A vida que levamos parece muito de interior. Ficamos muito em casa”, explica.

Noite
Como é de se esperar, Adirley adora assistir a filmes. A programação costuma ser de títulos variados, como o clássico Serras da desordem, de Andreia Tonacci. “Ultimamente, tenho assistido a filmes brasileiros como Bang Bang”. Morador de Ceilândia, ele também costuma sair “para dançar forró no Quiosque e ouvir rap. São sensacionais as baladas aqui”.

Domingo

Manhã
No domingo, ele costuma curtir a varanda de casa. “Faço algo para comer em casa ou caminho até a Feira do Rolo, em Ceilândia. Quando tem jogo de futebol, gosto de assistir no estádio perto de casa, o Abadião”, afirma o torcedor do Cruzeiro, que tem deixado o cineasta feliz com a performance no Campeonato Brasileiro.

Tarde
Uma opção muito comum é almoçar com familiares. “Minha família é mineira. Quase sempre encontro com eles aos domingos. Eu foco mesmo nos meninos. Gosto de jogar bola com eles no campinho perto de casa ou na rua, no Campo da 10”, conta. Além disso Vitor e Gabriel gostam muito de jogar vídeo game de futebol.

Noite
“Eu também trabalho muito aos domingos”, diz Ardiley, que tem uma oficina no fundo da casa num quarto onde produz seus filmes e compartilha ideias com colegas de trabalho. “O estúdio fica dentro da minha casa e lá fazemos a montagem. Entre uma cena e outra, o grupo discute filmes, como o nacional Iracema — Uma transa amazônica.

_______

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK