Brasília-DF,
21/SET/2021

África influencia a culinária brasiliense, com sabores intensos

Culinária africana se funde à brasileira em pratos deliciosos, como a moqueca e a feijoada

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:14/06/2013 06:06Atualização:13/06/2013 17:14

Paulo Maurício: forte presença do sabor africano (Monique Renne/CB/D.A Press)
Paulo Maurício: forte presença do sabor africano
A áfrica, continente que será representado pela Nigéria na Copa das Confederações, tem uma enorme influência na cozinha servida no restaurante Ilê, comandado pelo chef e empresário Paulo Maurício Ferreira. E é assim desde o nome Ilê, que significa casa na língua nígero-congolesa. “Daí pode-se ver a influência da comida africana servida em meu restaurante”, atesta.

As influências não param por aí, já que o estabelecimento é especializado na cozinha baiana. “Quando passei um tempo morando e estagiando em Salvador, no restaurante da chef Dadá, fiquei impressionado com a presença da cultura africana naquele estado. Ela é forte aqui também, mas lá é bem mais”, diz Paulo. “O brasileiro gosta muito de pimenta, por exemplo. Trabalho com 12 tipos e às vezes coloco só para enfeitar, mas o cliente acaba comendo. O dendê também aparece em vários de nossos pratos.”


Uma refeição que usa elementos africanos em receitas do Ilê é a moqueca de frutos do mar servida no coco verde. Por R$ 43, o prato vem com camarão, lula, polvo, mexilhão, lagosta preparados no leite de coco natural e no dendê. Ele chega à mesa acompanhado por pirão, arroz e farofa. A moqueca também aparece em outras versões, como a de peixe, servida na folha de bananeira, também a R$ 43.

Apontado por muitos como um prato tradicionalmente brasileiro, a feijoada também tem suas origens na África. No Ilê, Paulo Maurício incluiu recentemente no cardápio um caldinho de feijão servido como entrada. “É uma minifeijoada, com feijão e um carne, que poderá ser carne seca, paio ou outra que componha a receita”, afirma o chef. A iguaria terá preço de R$ 11.



Onde comer

Acarajé da Rosa
(210 Norte, bloco A, loja 3; 3447-9343)
Aberto de terça a quinta, das 12h à 0h; sexta e sábado, das 12h à 1h; domingo,
das 12h às 23h.

Ilê
(209 Sul, bloco C, loja 13; 3443-8099)
Aberto de terça a sábado, das 11h30 às 16h30 e das 18h30 à 0h; segunda e domingo, só para almoço.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK