Brasília-DF,
21/SET/2021

Em entrevista, nutricionista Lívia Nogueira dá dicas de boa alimentação

Ela afirma que quem quiser fazer uma boa dieta pode caprichar na diversidade vegetais, como brócolis e couve flor, e outras folhas escuras

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:05/07/2013 06:07Atualização:04/07/2013 14:52
A nutricionista Lívia Nogueira montou um prato balanceado com algumas opções (Edilson Rodrigues/CB/D.A Press)
A nutricionista Lívia Nogueira montou um prato balanceado com algumas opções

Como montar um prato saudável em casa? O que é fundamental?

Para o almoço e jantar, o ideal é que o prato contenha uma proteína, uma fonte de carboidrato e vegetais. É essencial que ele seja bem colorido. As proteínas são nossa fonte construtora: servem para manter e melhorar nossa massa muscular. Já o carboidrato é a nossa fonte de energia, dá combustível para o dia a dia. Os vegetais e frutas possuem as vitaminas e minerais que necessitamos todos os dias.

Qual a quantidade ideal de vegetais e frutas para consumo diário?

Podem caprichar na diversidade vegetais, como brócolis e couve flor, e outras folhas escuras. Temos que consumir três a quatro porções por dia de vegetais e frutas.

O você recomenda para consumo no intervalo das refeições?

Uma refeição leve: fruta ou iogurte com aveia ou granola. Ou uma barra de proteína e cereal. Algo que seja simples, só para não chegar na hora do almoço ou do jantar com uma fome excessiva.

Qual seria uma solução prática para quem passa o dia fora?

Quem come muito na rua acaba indo a restaurantes self-services. Hoje, eles têm grande variedade de legumes e vegetais. Também servem versões integrais. É indicado dar uma olhada geral no buffet antes de servir o prato, para saber como irá montá-lo. Dar uma volta antes e saber o que irá colocar. Para, no final do buffet, não ter colocado comida demais. E é sempre bom levar na bolsa algumas frutas, para matar a fome de maneira saudável no fim do dia. É preciso respeitar a sua individualidade, por mais gerais que essas dicas sejam, o melhor é que cada um procure um nutricionista.

Muita gente foge das dietas porque sentem falta de comidas saborosas?

Geralmente, deixo os meus pacientes terem um dia lixo. É nesse dia que podem matar a vontade do que ficaram com desejo de comer durante a semana. Uma dieta muito restritiva tende a não durar muito tempo. Coisas gostosas tem que ser consumidas, sim. Nem que seja uma vez por semana.

Alguns alimentos, como as barrinhas de cereais, não são tão saudáveis quanto parecem?

Em relação as barras de cereal, o problema é que elas são ricas em gorduras e muito açúcar. É preciso ter cuidado ao consumi-las, principalmente as que são de chocolate. No caso dos alimentos integrais, é ideal olhar sempre a composição no rótulo e ver a quantidade de fibras, pois alguns alimentos que se dizem integrais não tem uma quantidade considerável desse nutriente. O mercado acaba enganando o consumidor. O peito de peru é um dos apresuntados mais magros que temos. Mas, pelo fato de ser embutido, ainda contém muito sódio. Pessoas com pressão alta precisam de atenção a quantidade que está consumindo. Sempre com moderação. Não podemos abusar e nem restringir demais.

Como você enxerga dietas radicais, como as de jejum e as de sopas?

Não existe nenhum respaldo médico, elas são perigosíssimas para a saúde. O jejum por mais de um dia pode ocasionar queda de glicose e de pressão. Evite essas dietas e procure uma adequada para você. Essas são extremamente prejudiciais.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK