Brasília-DF,
26/JUN/2019

Chef Olga Soares, do restaurante Sagres, dá dicas para cozinhar pescado

A chef comanda o restaurante Sagres com o marido, Maurício, há cerca 15 anos

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:16/08/2013 06:03Atualização:15/08/2013 18:57
Olga Soares apresenta o bacalhau à Bras servido no Sagres (Carlos Vieira/CB/D.A Press - 8/8/13
)
Olga Soares apresenta o bacalhau à Bras servido no Sagres

Não faltam opções para quem quiser conhecer a gastronomia de algumas das 25 nacionalidades representadas pelos artistas do Cirque du Soleil na cidade. Do bacalhau português aos croissants franceses, passando pelas carnes argentinas e tapas espanholas e pelos quitutes orientais. Há espaço para todos os gostos nessa babel gastronômica.

Pelo menos três vezes ao ano, a chef portuguesa Olga Soares volta à terrinha para matar as saudades de parte da família, dos amigos e lugares que marcaram sua vida. Mas a gastronomia, ela pode relembrar a cada dia no Sagres, restaurante que comanda ao lado do marido, Maurício, há cerca de 15 anos. "Comecei a cozinhar ainda menina para o meu pai enquanto minha mãe ia trabalhar", conta Olga, que veio há 30 anos para o Brasil a passeio com os pais e acabou ficando.

Os fãs do pescado podem se deliciar com 13 receitas que levam o peixe em sua composição. Uma das mais pedidas é o bacalhau à Bras (R$ 115, para duas pessoas), preparado bacalhau desfiado, batatas fritas no azeite em cubos, cebola e azeitonas pretas.

Outro prato que faz sucesso é o bacalhau à lagareiro (R$ 148, para duas pessoas), que combina postas de bacalhau, batatas ao murro no azeite ao forno coberto com alho crocante, ovo cozido e azeitonas pretas. "Essa receita é bem tradicional e tem que ser feita com muito azeite. O meu toque pessoal está no alho crocante, servido também em fatias, que nem sempre aparece nesse prato", destaca Olga.

A inovação agradou até mesmo aos portugueses, que frequentemente vão ao Sagres. "É engraçado como é fácil identificar uma mesa de portugueses. Nós quase não comemos arroz. Se for branco, então, muitas vezes volta intacto. Já o brasileiro não come sem arroz e algumas vezes até repete", diverte-se a lusitana.

Além do bacalhau
Olga ressalta que a cozinha lusitana vai além do bacalhau: "Isso depende muito da região do país. Temos costume de comer leitão, cordeiro, sardinha e frutos do mar também". Por isso ela inclui, no menu do Sagres, pratos como o polvo à bagoeira (R$ 78), com tentáculos de polvo grelhado, acompanhado de batatas assadas, brócolis, ovo cozido e azeitonas e o tradicional embutido português alheira, servido com ovo, batata frita, cebola em rodelas e arroz com brócolis, a R$ 55.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK