Brasília-DF,
26/MAR/2019

Rejeitada por muitos, cachaça busca reconhecimento na gastronomia

Saboreá-la como ela merece exige um ritual que se assemelha ao do vinho. Tem até taça de cristal

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:06/09/2013 06:21
Oito tipos de cachaça serão degustados às cegas (Janine Moraes/CB/D.A Press)
Oito tipos de cachaça serão degustados às cegas
Rejeitada por muitos que a veem como “bebida de pobre”, a cachaça nunca esteve num patamar tão elevado. Depois de reconhecida e oficializada como produto tipicamente brasileiro pelos americanos, que a chamavam de brazilian rum, nossa pinga busca agora o reconhecimento pelos países da comunidade europeia. Saboreá-la como ela merece exige um ritual que se assemelha ao do vinho. Tem até taça de cristal.

Quem sugere é o chef Rodrigo Cabral, que abre as portas de seu Ares do Brasil, terças e quartas-feiras, para a primeira degustação de cachaça artesanal harmonizada com cardápio especialmente elaborado com ingredientes regionais. Comandará a prova de oito rótulos, às cegas, o biólogo Eduardo Martins, produtor de um deles — o Encantos da Marquesa.

Petiscos Sugestivos

A degustação da bebida será feita em duas etapas. Na primeira, que começa às 19h30, concorrem quatro cachaças brancas. Como no vinho, água será oferecida para intercalar os sabores que acompanham deliciosas criações, servidas em pequenas porções, como bacalhau com couve crocante, que ganhou o sugestivo nome de “cana pé”. O quitute vem acompanhado de outro chamado “Ah! Lambique”, feito de queijo coalho grelhado com redução de cachaça.

Antes de começar a prova de mais quatro cachaças, desta vez envelhecidas e que, por isso, de cor amarela, um grupo de músicos brasiliense animará os degustadores para prosseguir com o “pede cana”, pastel de linguiças caipira e calabresa, bacon e geleia de pimenta dedo-de-moça. Para encerrar, caldinho de feijão preto picante com crocante linguiça caipira denominado “beber, cair e levantar”.

No jantar, após a entrega de prêmios para quem acertou o rótulo, o chef servirá uma seleção de cinco escondidinhos: rabada com baroa; costela suína com canjiquinha; frango com quiabo e angu; pescada amarela com purê de banana e, para os vegetarianos, legumes com abóbora. De sobremesa, moleque escondidinho e sorbê de caipirinha. Sai por R$ 170. Reservas: 3248-4614.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK