Brasília-DF,
17/DEZ/2017

Fernanda Aranha ensina truques para reaproveitar ingredientes que sobraram na ceia

Tânia Aranha apresenta duas opções de guarnições feitas com ingredientes típicos de pratos natalinos

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Publicação:27/12/2013 06:09Atualização:27/12/2013 09:20

Fernanda Aranha, do Chocolat Glacé: aproveitamento de ingredientes (Gustavo Moreno/CB/D.A Press)
Fernanda Aranha, do Chocolat Glacé: aproveitamento de ingredientes

Fim de ano e mesa cheia são sinônimos. Algumas vezes, o cardápio da ceia está tão farto que os pratos acabam sobrando para o almoço e o jantar do dia seguinte. Não há problema: com alguns truques simples, é possível reaproveitar ingredientes e transformá-los em novas receitas. Fernanda Aranha, filha da cozinheira e empresária Tânia Aranha, apresenta duas opções de guarnições feitas com ingredientes típicos de pratos natalinos. Com a vantagem de que, sobretudo no período de festas, são mais fáceis de serem encontrados na geladeira e na dispensa.

Em uma época em que o conceito de sustentabilidade está em evidência, colocá-lo em prática na gastronomia faz todo sentido. Tânia e Fernanda Aranha evitam ao máximo o desperdício e, em casa, não têm medo de readaptar as receitas que criam. O tender e o chester, por exemplo, podem virar um saboroso salpicão. As nozes e as amêndoas que restaram do mix de frutas secas e castanhas incrementam o cuscuz marroquino. “Do peru, faço um risoto ou rocambole de batatas recheadas”, afirma Tânia. Já dos ingredientes in natura, principalmente verduras e legumes, a dupla aproveita tudo: do talo às folhas. “A folha do rabanete, que antigamente era descartada, rende uma excelente omelete”, completa.

Autodidatas

Tânia Aranha atuava no ramo imobiliário até que, há 20 anos, resolveu se dedicar profissionalmente às panelas. Autodidata, fundou a confeitaria (hoje restaurante) Chocolat Glacé. O mesmo aconteceu com sua filha mais nova, Fernanda é formada em administração, mas acompanha a mãe nas caçarolas desde a infância. “A ajudo desde os seis anos. O apoio da família mantém o cardápio e o ambiente familiar que o Chocolat Glacé possui”, explica Fernanda.

O self-service é uma cozinha experimental, mas nada amadora. Lá, Tânia e Fernanda mesclam com equilíbrio pratos quentes, saladas e sobremesas, a R$ 51,90 o quilo. Já os sushis e sashimis feitos na hora saem a R$ 69,90. No menu diário, algumas delícias que levam o tempero da família Aranha, como a rabada com vinho tinto e o tornedor de filé mignon ao molho de nozes.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK