Brasília-DF,
21/MAR/2019

Casas especializadas em carne tornam a textura e o gosto mais agradáveis

A distribuição da gordura e a proximidade com o osso são alguns dos detalhes que elevam a qualidade do produto

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Flávia Franco Publicação:27/03/2014 07:15Atualização:26/03/2014 21:53
O assado de tira reúne duas características que conferem maciez: marmoreio e proximidade do osso (Janine Moraes/CB/D.A Press)
O assado de tira reúne duas características que conferem maciez: marmoreio e proximidade do osso


Na hora de escolher carnes para comer em casa, as opções facilmente encontradas em supermercados e açougues, como filé-mignon, alcatra e picanha, atendem bem as necessidades do dia a dia. Mas, em restaurantes especializados, o cardápio vai muito além dos cortes tradicionais, e a escolha não passa simplesmente por dizer se a peça deve ser servida ao ponto, bem ou mal passada. Nomes diferentes surgem diante dos olhos do cliente: ancho, chorizo, ossobuco… Esses cortes buscam oferecer mais maciez e sabor, mas muitas pessoas ainda têm dificuldade de diferenciá-los. Por isso, o Correio conversou com chefs e proprietários de estabelecimentos da capital para que eles explicassem as diferenças e as características dessas delícias.

Leia mais notícias em Gastronomia

A procedência do gado é o primeiro fator a influenciar a experiência de degustar um corte. Um consenso entre os especialistas de casas de carne é que animais criados na Argentina, no Uruguai e em alguns países da Europa oferecem um produto melhor. Devido ao clima mais frio, os asados argentinos e uruguaios, como são conhecidos, têm qualidade reconhecida mundo afora.

Atualmente, o Brasil lidera o ranking de exportadores mundial de carne. De acordo com dados fornecidos pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), o mercado do país cresceu 11,7% ao longo de 2013. Um dos estados que se destacam na produção é o Rio Grande do Sul, cuja qualidade de produção está de acordo com o encontrado em outros países de referência no segmento. “São regiões de pastoril, mais propícias para a criação de gado. Por isso, os produtos de lá são mais saborosos”, diz Fábio Gregol, dono do recém-inaugurado Toro.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK