Brasília-DF,
16/SET/2021

Chefs brasilienses vão incluir criações em cardápio de voo que liga Brasília a Paris

Mara Alcamim (Universal Diner), Renata Carvalho (Loca como Tu Madre) e Dudu Camargo (chef da rede que leva seu nome) estão na lista

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:04/04/2014 06:08
Prato ragu de lentilhas verdes de puy com camarões, servido na classe executiva (Patrick Delapierre/Air France)
Prato ragu de lentilhas verdes de puy com camarões, servido na classe executiva

Realizado durante a noite, o voo direto da Air France que liga Brasília a Paris em pouco mais de 10 horas traz uma boa mostra da cozinha da França, berço da mais alta gastronomia do mundo. Dentro de dois a três meses, porém, o cardápio poderá ser reformulado para incluir criações de chefs locais: Mara Alcamim (Universal Diner), Renata Carvalho (Loca como Tu Madre) e Dudu Camargo (chef da rede que leva seu nome).

Os nomes dos três foram anunciados pelo francês Michel Quissac, chef corporativo da Servair, empresa subsidiária da Air France responsável pelo serviço de catering da companhia aérea, em entrevista que concedeu à coluna e ao blog Brasília no Prato, terça-feira, na embaixada da França.

Michel Quissac veio de Paris no voo inaugural que chegou a Brasília na noite de segunda-feira. Com 30 anos de experiência e paixão pela cozinha, ele comanda uma área estratégica, que é a alimentação a bordo. Acima de seu cargo, está o premiado chef francês Joel Robüchon.

No currículo de Quissac, que começa com o curso de gastronomia no Lycée Hotelier Le Touquet Paris-Plage, há passagens por excelentes restaurantes na França, Grã-Bretanha e África até entrar na Servair, em 1992. Seu trabalho foi recompensado mais de uma vez, como quando venceu o prêmio Cointreau e a medalha de ouro das Jornadas Gastronômicas de Sologne, em 1997.

Revista de bordo

Com aparência afável e bonachona, o chef francês discorreu sobre os planos de usar nomes locais na elaboração de pratos. A ideia vale também para São Paulo, onde citou a chef Ana Luisa Trajano, do restaurante Brasil a Gosto. Quissac não conhece nenhum cozinheiro brasiliense, tampouco provou a comida que eles fazem. No entanto, acatou as sugestões da equipe (repórter e fotógrafo) da revista de bordo Air France Magazine, que, na segunda quinzena de dezembro último, esteve na capital.

A edição do mês de março da revista traz numa reportagem de 16 páginas 10 motivos para se conhecer a capital do Brasil. Entre eles, o de número 6, intitulado “Chefs com ideias férteis”, destaca a cozinha contemporânea e criativa da trinca brasiliense. Além dos três restaurantes, o responsável pela comida da companhia francesa também citou o Oscar, do Brasília Palace Hotel, comandado por Antonio Teixeira, chef da rede hoteleira de Paulo Octavio.

Foi lá que se hospedaram o repórter Christian Simenc e o fotógrafo Jérôme Bonnet. “A memória que levarei de Brasília é poder nadar na piscina de água doce entre as árvores. As três palavras que definem a capital são: utopia, harmonia e Niemeyer”, disse Bonet na revista.

Produtos regionais

Faz parte da política da empresa aérea prestigiar a cultura e as artes do país parceiro. Nesse sentido, Quissac  revelou que alguns pratos brasileiros estão na lista da comissária, como baião de dois, chambaril (ossobuco nordestino) e barreado. O chef pretende introduzir frutas e sementes do Brasil nas receitas, mas vai aguardar as sugestões dos cozinheiros lembrados.

Já assina pratos na Air France o chef francês Régis Marcon, que ostenta três estrelas Michelin. São dele as cinco receitas oferecidas na classe executiva. Outra atração do voo é o design dos utensílios criados por Eugeni Quitllet, discípulo do renomado Philippe Starck.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK