Brasília-DF,
26/SET/2021

Um nome de peso da gastronomia brasiliense; conheça a história de Casé

Carlos José de Moura, o popular Casé, comandou por oito anos, um restaurante de ótima comida variada, chamado San Lorenzo

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:29/08/2014 06:13Atualização:28/08/2014 16:36
Carlos José de Moura, conhecido como Casé, proprietário do San Lourenzo Bistrô (Breno Fortes/CB/D.A Press)
Carlos José de Moura, conhecido como Casé, proprietário do San Lourenzo Bistrô
Carlos José de Moura, o popular Casé, é um nome de peso da gastronomia brasiliense. Por oito anos, ele comandou no Sudoeste um restaurante de ótima comida variada, chamado San Lorenzo. No ano passado, Casé deu um tempo ao vender o ponto, mas não a marca. Ele próprio diz que o período sabático não lhe trouxe alegria, embora não tivesse parado de trabalhar porque se ocupou com um serviço de delivery.

"Por insistência dos amigos", admite Casé, o restô foi reaberto em outro endereço, desta vez na Octogonal (Quadra 4/5, Bloco D, loja 9) para a satisfação de uma fiel clientela que, agora, terá de fazer reserva. A casa dispõe de apenas 28 lugares e o dono está decidido a não colocar mesas do lado de fora no estilo botecão, comum a muita grife.

O cardápio reproduz os clássicos da casa, como filé do Casé, com 280g de carne grelhada encoberta de mostarda Dijon e crosta de pão com ervas ao molho de vinho tinto reduzido, acompanhado de risoto de queijo brie e shitake; o pesce à Guarajuba, com robalo grelhado, vinho branco, alho-poró e alcaparras servido com risoto de limão siciliano ( R$ 69, cada um) ou o picadinho della nona (R$ 44).

Na execução dos pratos permanece o chef Cleiton Portes Filho, que trabalha com Casé há sete anos. E, na administração, está Denise Moura, mulher de Casé. Bastante enxuto, o menu incorporou algumas novidades como o filé black beer, ao molho de cerveja escura servido com risoto de açafrão italiano (R$ 65) ou o linguado ao molho de ervas com purê de batatas (R$ 59).

"Se eu mudar muito, os clientes não vão reconhecer", justifica o fundador do San Lorenzo, cujo nome é uma homenagem ao santo protetor dos cozinheiros, além de designar o time de futebol argentino pelo qual torce o papa. Telefone: 3201-2161.

Antonio Girotto oferecerá bufê de almoço no Sudoeste (Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
Antonio Girotto oferecerá bufê de almoço no Sudoeste


O endereço onde funcionou o San Lorenzo, na Quadra 103 do Sudoeste, muda de mãos pela segunda vez. Depois de se chamar San Francisco, que não chegou a completar um ano, o estabelecimento abandona a santidade e passa a se chamar Don Girotto, sob o comando do empresário goiano Antonio Girotto, que, com a terceira casa homônima, consolida posição de destaque na área de alimentação.

Autodidata nas panelas, o chef-restaurateur coleciona restôs com o seu nome. O primeiro é o Villa di Girotto, aberto há dois anos, no Setor de Indústrias Gráficas (Quadra 4, Edifício Barão de Mauá). Há poucos dias, surgiu na Quadra 100 do Sudoeste (ao lado do Subway), o Bistrô di Girotto, com comidinhas rápidas feitas na hora, como risoto, omelete e kebab.

Don Girotto vai oferecer bufê de almoço semelhante ao Villa, que fica sob o comando da mulher de Girotto, Karina Blanco, e, à noite, a partir do happy hour, funcionará como uisqueria, com cervejas especiais, e cantina. "Eu sempre quis fazer cordeiro assado e agora vou conseguir", promete Antonio, que estará à frente da terceira operação.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK