Brasília-DF,
20/SET/2017

Saiba mais sobre a décima edição da Festa de Babette nas Favas Contadas

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:19/09/2014 06:09

Simon Lau Cederholm prepara o prato principal da Festa de Babette: codornas recheadas com trufas e foie grãs (Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
Simon Lau Cederholm prepara o prato principal da Festa de Babette: codornas recheadas com trufas e foie grãs
A mesa no cinema

Ninguém estranha ir ao cinema e ver na tela história filmada na cozinha, com chefs, pratos e estalar de língua porque a gastronomia se tornou o mais novo filão da sétima arte. Há quase três décadas, no entanto, o tema causou enorme impacto. Baseado num conto da escritora dinamarquesa Karen Blixen, o também dinamarquês Gabriel Axel filmou A festa de Babette, obra comovente e inspiradora, que conquistou o Oscar em 1988.


Cinéfilos e gourmets, ou as duas coisas, terão mais uma chance de ver o filme durante quatro apresentações, de quarta a sábado, e de depois degustar o cardápio na décima edição da Festa de Babette, protagonizada pelo chef dinamarquês Simon Lau Cederholm, que este ano reservou uma surpresa: "o evento será no estilo pop up". Significa que os comensais só ficarão sabendo do local na véspera, por e-mail.

Clima rural

Tendo por cenário uma propriedade rural de 160 anos atrás, grupo de aldeões se reúne para jantar na casa de pastor luterano, que havia contratado para executar os serviços da casa - habitada por ele e por duas filhas -, a empregada Babette sem ter recebido qualquer referência sobre ela.


Numa mesa comprida decorada com velas e flores, começa a ser servido um extraordinário cardápio, cujos ingredientes Babette comprou na cidade com dinheiro recebido de uma herança. Como no filme, Simon Lau serve os pratos do menu, inclusive com a harmonização.

 

O primeiro gole é dado num Jerez Amontillado, 12 anos, vinho espanhol fortificado produzido na Andaluzia, que acompanha sopa de tartaruga. Segue blinis Demidoff com smetana (pequena panqueca coberta de creme azedo) e ovas de salmão servidos com champanhe Veuve Clicquot Brut.

Revelação


O ponto alto é justamente a degustação do prato principal: cailles en sarcophage, que são codornas recheadas com trufas e foie gras, cujo sabor e textura fazem o general Loewenhielm, convidado ilustre das filhas do pastor, revirar os olhos ao lembrar prato idêntico que havia comido outrora no Café Anglais, em Paris, onde a receita foi desenvolvida por um gênio culinário, que, surpreendemente, era uma mulher. Acompanha a avezinha um tinto francês Domaine des Grands Chemins, Crozes-Hermitage, Delas 2010.


Queijos franceses com vinho do Porto antecipam a sobremesa de baba ao rum, com frutas secas e um soberbo Sauterne Chateaux Gravas 2006. Terminado o banquete, que levou os convidados de alma severa a uma sensação de prazer, as donas da casa, Marina e Philippa, encontram Babette na cozinha, exausta, mas feliz e ouvem dela a confissão: "Eu era a cozinheira do Café Anglais".

Água na boca

Para o chef Simon Lau, "mesmo depois de tantos anos, reproduzir o banquete de Babette, com antigas receitas francesas , é também uma festa". Ele faz questão de exibir o filme antes de servir o jantar.


"Quando todo mundo estiver com água na boca, seduzido pela magia de Karen Blixen, pela Babette e pelo cheiro vindo da cozinha, serviremos o menu à risca", justifica Simon. O programa completo, com direito a traslado feito em microônibus, que sairá às 18h30 do Kubitschek Plaza, custa R$ 500. Reservas pelos telefones 3369-2301 ou 9167-0037, das 14h às 19h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK