Brasília-DF,
20/SET/2021

Food trucks dominam as ruas de Taguatinga, Guará e Ceilândia

Antes restritos ao Plano Piloto, os eventos desembarcam em várias ruas da cidade

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Renata Rios Publicação:06/03/2015 06:13Atualização:05/03/2015 14:45
Raf Food Truck: massas italianas elaboradas com ingredientes importados  (Bruno Peres/CB/D.A Press)
Raf Food Truck: massas italianas elaboradas com ingredientes importados
Os food trucks chegaram para ficar na gastronomia brasiliense. Expandindo as fronteiras, muitos deles saem do Plano e chegam a locais como Taguatinga, Guará, Águas Claras, Ceilândia e Sobradinho. "Além de valorizar os pontos onde estacionamos - pois as pessoas saem de suas casas para confraternizar com vizinhos e amigos - , há valorização da boa gastronomia, a criação de paladares mais refinados e apurados", esclarece Bruno Dias, do Pastéis da Tia Neuza, que não restringe a rota às Asas Sul e Norte.

Às quintas, é a vez de Taguatinga provar os preparos de Bruno Dias, que vão de sabores tradicionais, como carne e queijo, a receitas mais caprichadas - como a bomba, que leva 10 ingredientes, entre eles, carne e ovo. O cuidado de Bruno é oferecer todas as massas sem lactose, pensando no público que tem restrição à proteína do leite, um diferencial do produto que custa R$ 7. São cerca de 13 sabores de pasteis em formato retangular alongado, com mais recheio.

Francês com toque nacional
O principal pilar prossegue como boa gastronomia refinada a preço acessível. "Mas agora, decidimos apresentar esses sabores a um público que, muitas vezes, não tem tanta oportunidade de degustá-los", explica Israel Lopes, um dos sócios do Crepe Voyage. "Seguimos as regras da Vigilância Sanitária. Temos um balcão refrigerado onde mantemos todos os produtos. Esse cuidado é o que nos difere de vendedores ambulantes", completa.

O truck comandadso por ele e pelos amigos Francisco Lima e Henry Wall é especializado no quitute francês, mas o apresenta com viés brasileiro. O de carne seca com cebola, catupiry, orégano e pasta de alho (R$ 10) é um dos mais vendidos.

Além do crepe e do pastel, moradores de Taguatinga apreciam massas especiais como as elaboradas por Flávia Fernandes e Rejane Farias, da Raf Food Truck. São feitas de maneira artesanal e com grãos grano duro. Espaguete à bolonhesa (R$ 13) e penne ao funghi (R$ 15) são alguns dos produtos que costumam ser vendidos pela dupla de chefs.

 Na Hamburgueria do Cheff, a produção é em família (Bruno Peres/CB/D.A Press)
Na Hamburgueria do Cheff, a produção é em família

Na chapa

Para os amantes de um bom hambúrguer os food trucks são uma ótima pedida. Já existem alguns destinados a esse preparo, entre eles a Hamburgueria do Cheff. São três opções: australiano, com pão australiano, hambúrguer de picanha, queijo cheddar, molho barbecue e alface (R$ 18); hambúrguer do cheff, pão especial, queijo cheddar, alface, tomate, cebola roxa, molho e hambúrguer (R$ 15); e mexicano, pão especial, queijo chedar, alho guacamole, alface e hambúrguer de picanha (R$ 15).

O truck vai às sextas para o estacionamento na frente do Ginásio da Cave, no Guará, mas bate ponto em outras regiões da cidade, como Taguatinga, Setor O, Sudoeste, Águas Claras e, uma vez por mês, em Sobradinho. Segundo Giovanni Montine, o negócio é muito bem recebido fora do Plano. "Chego a vender cerca de 200 hambúrgueres em uma noite", comemora. O proprietário ainda complementa que os encontros ficam muito cheios. "São 25 trucks e uma média de 1500 pessoas".

Montine trabalha com a família: a esposa, Tânia Luiza Abadia, e a filha, Giovanna Rodrigues. "Minha filha ajuda minha esposa no caixa e eu fico gerenciando e ajudando na cozinha, tudo tem que ser muito bem feito para agradar os clientes", conta ele.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK