Brasília-DF,
21/SET/2021

Coluna Favas contadas faz um tour pela gastronomia da cidade

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:11/09/2015 06:02Atualização:10/09/2015 15:59
 
Francisco Francílio ou Maradona: %u201Cno início eu não gostava do apelido. Hoje até meu pai me chama assim%u201D
 (Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
Francisco Francílio ou Maradona: %u201Cno início eu não gostava do apelido. Hoje até meu pai me chama assim%u201D

O pizzaiolo dos artistas
 
Brasília vai ganhar, na próxima quinta-feira, uma pizzaria na 302 Norte, que funcionará dentro do antigo Cassimiro, restaurante de comida por quilo, que agora se chamará Chão de Estrelas, ao abrigar as duas operações. Não se trata de uma nova casa italiana, como se poderia supor devido à opção gastronômica, mas de uma grife que há cinco anos faz sucesso em Fortaleza.
 
Seu criador é Francisco Francílio de Oliveira Gonçalves, 46 anos, natural de Crateús, que, do alto de seu 1,56m, além do restô em Fortaleza, comanda um bufê no Rio de Janeiro e ainda é garçom do Faustão, em cujo programa acabou se tornando o pizzaiolo das estrelas.
 
No Rio, para onde foi aos 18 anos, “para arranjar emprego e vencer na vida”, o imigrante cearense ganhou o apelido de Maradona, por causa da semelhança com o craque argentino. 

Sabor das estrelas

Feitas uma a uma num forno a gás, segundo tecnologia italiana da Di Volpi, as pizzas levam nome de artistas, dos quais Maradona acabou se tornando amigo, como Xuxa, que comemorou o aniversário da filha, Sasha, com as redondas. À mesa, não faltou a receita preferida da mãe, espécie de calzone com creme de leite, geleia de damasco, escarola e muçarela de búfala batizado de estrelone escarola Xuxa.
 
Há outros estrelones, como o de calabresa Carlinhos de Jesus; o de frango com catupiry Monique Alfradique; e o de carne de sol Fernanda Sousa (a Mel de A regra do jogo). Algumas receitas foram inspiradas pelos homenageados, como o apresentador André Marques, que sugeriu a Maradona bacon com molho de tomate, muçarela, calabresa apimentada e manjericão.

Humor cearense
 
Maradona vai dividir o seu tempo entre Fortaleza (de segunda a quarta), Brasília (quinta e sexta) e São Paulo (sábado e domingo), para atender ao Faustão. Aqui, o Chão de Estrelas, fundado em parceira com o humorista cearense Alex Nogueira, vai ser tocado pelo sócio local Welligton Almeida, que reformou a antigo Cassimiro para receber a nova grife.
 
As pizzas de Maradona serão servidas somente à noite. No almoço, permanece o bufê (R$ 44,90, o quilo de 2ª a 6ª; e R$ 54,90, sábado e domingo), no qual foi trazido pelo consultor Lucio Gomes, proprietário do Recanto do Camarão, alguns pratos de frutos do mar, como bobó de camarão, bacalhoada e paella aos domingos.
 
O subsolo, onde funcionava boate, vai virar teatro-bar para shows de humor e stand up. Já confirmaram presença Eri Soares (Tiziu), nos dias 22 e 23; Ciro Santos, 29 e 30; Alex Nogueira, 1º e 2 de outubro; Adamastor Pitaco, 8 e 9; e Zé Modesto, 15 e 16 de outubro. Telefone: 3045-0807.

Quatro perguntas // Maradona

Por que escolheu Brasília para abrir a primeira loja de sua grife fora do Ceará?
 
Porque hoje em dia a gastronomia está muito voltada para o lado de cá do país. Brasília é um bom começo.

Picanha, mortadela e costela não são ingredientes usados tradicionalmente em pizzas.  De onde vem a opção?
 
É uma criação minha. Depois de alguns testes, vi que esses ingredientes ficavam gostosos, então acabei adotando-os nas minhas pizzas.

Você conhece os produtos típicos do cerrado, como pequi, baru, guariroba, cagaita e outros? Tem planos de aproveitá-los em novas receitas?
 
Eu ainda não conheço, mas lá na frente posso usar os frutos do cerrado porque, quando eu boto o foco em alguma coisa, construo a pizza da melhor maneira que agrade o paladar das pessoas.

O que você espera do consumidor brasiliense?
 
Espero a mesma receptividade que há em Fortaleza, graças à qualidade do produto e ao atendimento do público, para que ele possa estar voltando sempre.

Sabor para guardar
 
Em sua terceira edição, a revista Encontro Gastrô chega às bancas no próximo dia 16, após premiação que irá eleger os melhores estabelecimentos do ramo, durante festa no Unique Palace na noite anterior. Com votação aberta ao público pela internet, somada à escolha de 50 jurados convidados, o veículo  apresentará em 37 categorias os nomes de destaque da cidade.
 
Da cozinha contemporânea à brasileira, passando por melhor restaurante até chegar aos chef e à casa revelação do último ano. Veiculada anualmente, a publicação tem a intenção de funcionar como edição de colecionador e servir como um guia da boa mesa. Para isso, em sua versão de 2015, contará com uma lista de mais de 850 endereços para comer e beber.
 
Um especial de vinhos nacionais e outro de cervejas também prometem incrementar aquela que tem tudo para ser a revista mais saboreada do ano.
 
Prato nhoque de pequi ao molho de frango caipira para o Cerrado Week.  (Hugo Barreto/Divulgação)
Prato nhoque de pequi ao molho de frango caipira para o Cerrado Week.
 

Mais cerrado
 
Começa hoje e segue até 20 de setembro a segunda edição do  Cerrado Week. Serão 50 casas da capital federal, de Goiás e de Mato Grosso, servindo pratos preparados com ingredientes do cerrado. A novidade é que os chefs indicarão o fornecedor. Os preços são R$ 39 para pratos principais; R$ 29 para petiscos; R$ 19 para lanches, sobremesas e drinques; e R$ 9 para doces e pães.
 
No Cantucci Bistrô, o destaque será o nhoque caseiro com toque de pequi servido ao molho de velouté de frango caipira e palmito. O prato vai à mesa no almoço, de quarta a sexta, e em todas as noites da semana. Veja relação das casas no site do Correio.

Saída amiga
 
Numa separação definida como “amigável”, o empresário brasiliense e dublê de advogado, Guilherme Cunha Costa se desligou do Grupo Rubaiyat, do qual era sócio investidor na filial de Brasília, desde a sua inauguração, em junho de 2013. 
 
“Não houve racha”, explicou Guilherme, para quem “uma conjunção de interesse” o leva a se dedicar exclusivamente ao seu escritório. “Vou continuar indo ao restaurante como cliente”, garantiu o advogado, figura que sempre esteve presente na casa à beira do lago.

Lição de vinho
 
 
Somelier Paulo Kunzler  (Carlos Moura/CB/D.A Press)
Somelier Paulo Kunzler
 
Ao ditado que diz que cada terra tem seu uso, pode-se acrescentar tem também seu vinho. Conhecer os diferentes estilos da bebida e seus distintos terroirs é uma proposta do clube de vinhos da grife Gourmet Butler, que promoverá curso em quatro etapas. Para apresentar o vinicurso, foi convocado o gaúcho Paulo Kunzler, experiente sommelier da cidade formado pela ABS — Brasília, que comandará as taças nos dias 14, 15, 21 e 22, no Dom Francisco, da Asbac, sempre às 20h.
 
Na primeira noite serão abordados história do vinho; influência do terroir; condução das videiras, processo de elaboração de vinhos; e orientação técnica para degustação de brancos. O enfoque geográfico virá na segunda noite, com um passeio pelo Velho e Novo Mundo. Será feita degustação de vinhos tintos.
 
Na terceira noite, será contemplado o tema preferido do sommelier: champanhe e espumantes de modo geral, como cava, prosecco e outros, até o serviço e a prova. E, na última noite, os participantes apreenderão como guardar e harmonizar a bebida sendo a lição seguida de  jantar  preparado pelo chef Francisco Ansiliero.
 
Além do certificado, os alunos receberão um pendrive com o material do curso, que sai por R$ 390 para sócios da Asbac, e R$ 490 para não sócios. Inscrições pelo www.clubedevinhosgb.com.br/vinicurso.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK