Brasília-DF,
18/SET/2021

Bebidas nacionais caem no gosto dos brasileiros

Em época de crise, bebidas nacionais são uma boa opção para quem deseja economizar sem deixar de lado a qualidade

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Renata Rios Rebeca Oliveira Publicação:25/09/2015 06:00Atualização:24/09/2015 11:43

 (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
 

As bebidas nacionais estão bombando nos copos em restaurantes e bares da cidade. Em tempos de crise, elas acabam sendo mais baratas do que as similiares importadas.


Detalhe importante: são tão gostosas quanto e, em alguns casos, chegam a superar o que vem de fora.
“Os clientes já tinham o costume de pedir a vodca nacional nos drinques, por causa do preço. Com a crise, essa demanda aumentou mais”, diz Itiberê Ribeiro, proprietário do Bar Beco.


A cachaça é uma das bebidas com as quais o Brasil mais se identifica. “A introdução no mercado estrangeiro trouxe um novo patamar à bebida. Em breve, teremos um produto tão importante quanto são a tequila para o México e o rum para Cuba”, comenta Sandra Silveira, do Abençoado Bar.


Outro item nacional que vem se destacando é o espumante. A bebida, além de ser um coringa na hora de harmonizar, oferece garrafas de excelente qualidade a preços bastante acessíveis.


“Temos rótulos de espumantes que chegam a valores altíssimos, como o francês Dom Pérignon Vintage 2004, que sai a R$ 1.590. Com ou sem crise, esse é um preço muito alto”, comenta Raphael Campos, proprietário do restaurante Metropolis.
Na Quitinete Gourmet, por exemplo, a proprietária, Patrícia Kelen, investe em produtos importados. “É uma demanda dos meus clientes, mas, em casos como o do café, a qualidade do produto importado é inferior à do nacional, além de o preço ser até quatro vezes maior”, comenta.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK