Brasília-DF,
20/JUL/2018

Livres de glúten e lactose, restaurante investe em paladar infantil

DuuO usa a criatividade e faz deliciosos acompanhamentos infantis

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Renata Rios Publicação:09/10/2015 06:00Atualização:08/10/2015 18:02

Nicolas Fujimoto: %u201CA boa educação vem de casa. Nós, os pais, precisamos ser exemplo%u201D  (Minervino Junior/CB/D.A Press. Brasil. Brasília - DF)
Nicolas Fujimoto: %u201CA boa educação vem de casa. Nós, os pais, precisamos ser exemplo%u201D

Com o dia das crianças chegando, é hora de agradar aos pequenos. Mas isso não significa frituras, refrigerante e muito açúcar. Os pais estão mais preocupados em oferecer alimentação balanceada e nutritiva para seus filhos.

A apresentadora Gabriela Kapim, do programa Socorro! Meu filho come mal, sugere algumas atitudes que podem melhorar os hábitos alimentares: “Proporcione um ambiente sem estresse, sem briga. Leve a criança ao mercado ou à feira, para que ela escolha o que vai experimentar”.

Gabriela ainda prega cinco regras: fazer as refeições à mesa, sem distrações (como televisão e celulares) e sem a ajuda dos pais, experimentar novos alimentos e ter no mínimo cinco cores no prato.

Fora de casa também é possível encontrar receitas saudáveis e atraentes, seja na bisnaguinha de legumes do Faz Bem, seja no bolo sem açúcar do Fica, vai ter bolo. Aprecie sem moderação!


Parece nugget, mas não é!

 

Em grande parte dos estabelecimentos, é comum encontrar frituras, como as famosas batatinhas, na sugestão de acompanhamento em menus infantis. No DuuO, não é assim.

Os empresários Nicolas Fujimoto e Milton Santos oferecem frango empanado com farinha funcional elaborada com castanha-do-brasil, gergelim, semente de girassol e semente de chia escoltado por purê de batata-baroa (R$ 24) ou o penne feito com arroz e farinha de chia ao molho de tomate pelatti e biomassa de banana verde servido com almôndegas de carne, cenoura e abobrinha (R$ 25).

São preparos livres de glúten, lactose, frituras e açúcar que educam o paladar da criança desde a primeira infância.

Pai de um garoto de dois anos, Nicolas entende a necessidade de incorporar legumes e verduras aos pratos infantis.

“Às vezes sou taxado como o pai chato porque não dou refrigerantes ou chocolate a meu filho. Mas entendi que a boa educação vem de casa. Nós, os pais, precisamos ser exemplo”, comenta Fujimoto.

“O maior problema é que os pais não costumam dar aos filhos o que eles não gostam. Isso acaba viciando a criança em certos alimentos, e as afastando de ingredientes que trazem benefícios a longo prazo”, acredita.
“De tanto me ver comendo nabo, uma herança da família japonesa em que cresci, meu filho também adora o legume”, acrescenta Nicolas.
 

Dicas
Três conselhos de Nicolas Fujimoto, do restaurante DuoO, para incrementar a alimentação infantil

Substitua

“O frango empanado do DuoO se parece muito com um nugget. Nossa ideia é criar pratos saudáveis mas preservar a aparência do que as crianças costumam comer em casa.”

Explique

“Mostre para seu filho que dá para cuidar da saúde de forma simples, sem mudar tanto a rotina dele,
ou parecer algo chato, impositivo.”

Tente outra vez.
“Mesmo que seu filho recuse comer um legume ou verdura de primeira, tente de novo em outro momento.”

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK