Brasília-DF,
21/SET/2021

Colunas Favas Contadas destaca renovação na gastronomia em 2015

A comida de rua se fortaleceu como aposta do mercado de alimentação em Brasília

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:01/01/2016 06:00Atualização:31/12/2015 09:55

Chef Roberta Sudbrack (Renato Neve/Divulgação)
Chef Roberta Sudbrack
 

 

O ano de 2015 foi marcado pela renovação da gastronomia. Não que tenha perdido importância o restaurante convencional, tal como o visitamos para comer, beber e desfrutar. Mas surgiu um novo formato, tanto na aparência como no conteúdo.
É a comida de rua, mais simples do que refinadas preparações gastronômicas, porém igualmente saborosa até porque se propõe a ser uma resposta ao fast-food. A fórmula é encontrada em endereços tradicionais, como restaurantes bem cotados, que apresentam informalmente as iguarias em mesinhas de rua, como sobre rodas.


Nesses últimos meses, a comida de rua se fortaleceu como aposta do mercado de alimentação. Ela está presente em trucks, bikes e carts. Até a grande Roberta Sudbrack, eleita a melhor chef da América Latina pela revista londrina Restaurant, no ranking Latin’s America 50 Best Restaurant, aderiu à ideia.


Ela, que iniciou carreira em Brasília, como chef de cozinha do Palácio da Alvorada, abriu loja de petiscos no Leblon (Rio), depois de lançar o suddog, truck de cachorro-quente.
O assunto cresceu tanto que ganhou um guia eletrônico com endereços do Brasil inteiro. O Food truck nas ruas pode ser acessado pelo portal foodtrucknasruas.com.br ou via Facebook.

 

Chef Rosário da Trattoria do Rosário (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Chef Rosário da Trattoria do Rosário

 

Hospitalidade italiana

A Trattoria da Rosario recebeu o certificado Ospitalità Italiana — Ristoranti Italiani nel Mondo, concedido pelos ministérios da Cultura, Turismo, das Relações Exteriores e da Política Agrícola da Itália como reconhecimento aos estabelecimentos que mais promovem em qualidade a gastronomia daquele país. Consta de uma placa de bronze, fixada na entrada do restaurante, e do diploma, que o titular da casa foi buscar em São Paulo.
Além de o restaurante se encaixar perfeitamente nos critérios da distinção, o chef Rosario Tessier abriu as portas para quatro trabalhadores haitianos, que atuam na área de serviços gerais. “Eu estou fazendo a minha parte”, comenta o chef.

 

Sorvete Lo Voglio (Rodrigo Cabral/Divulgação)
Sorvete Lo Voglio

 

Para derreter

O que refrescou o calor fora de série de 2015 foram os gelados, um item cada vez mais em alta. O prosaico picolé ganhou outros nomes — como paleta, de inspiração mexicana —, e nacionalidades, como a italiana. É o caso da sorveteria Lo Voglio (foto), que abriu há um mês no Aeroporto Internacional de Brasília sob o comando de três sócios: Eduardo Nogueira, Maurício Mandala e Niéliton Gomes. A supervisão é do mestre sorveteiro Francisco Sant’Ana e a operação, de Rodrigo Cabral.
Elaborado sem conservantes e sem gorduras hidrogenadas, o sorvete vem em 10 sabores: pistache, morango, açaí sorbet, chocolate belga, chocolate belga diet, coco, doce de leite, tapioca, limão-siciliano e o carro-chefe Lo Voglio, feito com banana caramelizada e avelã. Os preços variam de R$ 11, tamanho pequeno, a R$ 15, médio.

Outro lançamento foi a Paleta Loka, picolé frutado ou cremoso em forma de paleta, no Sushiloko, rede de comida japonesa.

Já o La Palma está comercializando, só no endereço da 413 Sul, o picolé Eppop, feito à mão com produto natural. Sai por R$ 7.

Terceira loja

Em meio à crise, que obrigou o fechamento de inúmeros estabelecimentos, há uma grife que só faz crescer na cidade. É a internacional Dunkin’ Donuts, cuja primeira loja no Brasil foi aberta há sete meses na 404 Sul. Veio outra, num quiosque do Park- Shopping. Agora, surge a terceira na 214 Norte, pelas mesmas mãos do grupo OLH, formado por três jovens: Leandro Braz, Leandro Oliva e Ricardo Monteiro.
Uma das rosquinhas mais pedidas é a cronut — mistura de croissant com donut — de massa bem leve, ideal para acompanhar o new macchiato, um dos cafés que, ao lado dos doces, exibe cardápio diversificado. “O consumidor pode colocar em seu café ou chá (quente ou gelado) leite desnatado, integral ou até zero lactose, além das caldas, sem qualquer acréscimo no valor”, informa Leonardo Oliva. Outra empresa que vem se dando bem na cidade é Havanna, a mais famosa marca de alfajores da Argentina. Além de dois quiosques, no Terraço Shopping e no Iguatemi, a grife emplacou mais três em dezembro: Conjunto Nacional, Park -Shopping e Boulevard.

O que vem aí

- O chef Paulo Maurício Ferreira, do Ilê, expande seus domínios para o endereço mais ecológico do Plano Piloto: o Parque da Cidade. Ele abrirá ainda este mês no lugar do Pirraça (estacionamento 9), o Ilê Praia Parque de Culinária Brasileira, com ênfase em frutos do mar, moqueca e peixe assado.

- Em parceria com o gaúcho Marcos Livi, que já é dono dos bares Veríssimo (Brooklin) e Quintana (Chácara Flora) na capital paulista, Gil Guimarães, da rede Baco, vai abrir, na segunda quinzena de março, o Napoli Centrale, no Mercado de Pinheiros, em Sampa. Lá, ele vai servir a vera pizza napoletana num formato descontraído que dispensa talheres. O preço? “menos de R$ 20”, garante Gil.

- Claudio Miccelli, um dos proprietários do Grupo Giraffa’s, está reformando a loja do Lago Norte (estacionamento do Pão de Açúcar) para abrir nova grife, em voo solo: Officina di Pasta, que traz massas e molhos da Sanfelice.

- Com o falecimento de d. Norma, Manoel Rodrigues passou o ponto de O Rei do Glúten (411 Sul, Bl. D, Lj. 2) para o cliente Irapuan Sobral, que mantém o serviço com ingredientes orgânicos e nenhuma carne, mas trocará o nome para Prasada, termo que em sânscrito significa alimento abençoado. O bufê (R$ 43, o quilo) ganhou novos pratos, como o arroz cremoso com beterraba.

- A celebração da gastronomia francesa Goût de France/Good France terá a segunda edição em 21 de março. Este ano, os restaurantes apresentarão cinco pratos: aperitivo/canapés, entrada, prato principal, queijos e sobremesas —,
que poderão ser duas, no caso de o estabelecimento não dispor de queijos de qualidade.

- O projeto MiniChefs do Pátio já recomeça amanhã com a aula de bombom de uva e, no domingo, de pãozinho de alho. Todos os fins de semana do mês haverá oficinas gratuitas de hora em hora para participantes de 3 a 12 anos, no Pátio Gourmet, terceiro andar do shopping.

- Depois da Colombina, primeira cerveja de Goiás, surge, em Pirenópolis, a Santa Dica nos estilos IPA e Weiss, com uma pegada de hibisco. São elaboradas pelo mestre cervejeiro Roberto Dremer, que trabalhou na Ambev.
O nome é uma referência à santa milagreira que viveu na região no começo do século

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK