Brasília-DF,
16/JUN/2019

Coluna Favas Contadas traz dicas de espaços gastronomicos para o carnaval

Aproveite algumas opções de estabelecimentos em Brasília que apresentam menu especial para o feriado de folia

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:05/02/2016 07:00Atualização:04/02/2016 12:13

 (Liana Sabo/CB/D.A Press)
 

 

Samba na sombra

 

Tem bares que combinam com carnaval mais do que outros. Apesar do nome que inspira santidade, o Abençoado Bar & Espetaria, instalado na Quadra 105, Bloco C, do Sudoeste é um deles. Desde que inaugurou, em abril do ano passado, a casa tem música ao vivo. “Nunca tivemos problema com barulho”, afirma Caio Lovato, 2º tenente da reserva da Marinha, que abandonou a carreira para tocar o empreendimento.
Localizado num bloco comercial, o bar não tem vizinhos que morem perto, apenas o prédio da direção geral da Polícia Civil em frente, de cujos quadros faz parte o pai de Caio. A mãe Sandra Maria, renomada gourmet, elaborou o cardápio com o filho.

Menos de 30 reais

 (Liana Sabo/CB/D.A Press)
Crocante por fora sem deixar de ser cremosa por dentro, a polenta é servida com rabada por cima e, por isso, se chama rabugenta. Outro must, de que gostei, é o ossobuco também com polenta. No menu da semana, o prato (R$ 27,90) responde pela quarta-feira. Quem aprecia língua vai se deliciar com o corte ao molho madeira por R$ 28,90.
O menu é tão extenso que, além de saladas, carpaccios, caldos, sanduíches e prato infantil, oferece espetos, que vão da brasa para a mesa em diversas preparações. Destaque ainda para a carta de drinques, como o gim-tônica com pepino, além de uma coleção de cachaças.

Roteiro

 (Liana Sabo/CB/D.A Press)
No estilo botecão, a casa se espalha pela varanda, onde se pode dançar. Hoje, a partir das 18h e até as 23h, haverá uma roda de samba, que se repete neste domingo e terça-feira. Nesse dia, porém, os músicos se aninharão embaixo de uma frondosa árvore no estacionamento, das 17h às 23h.
Amanhã, o samba dará lugar à música sertaneja. Segunda-feira, o Abençoado funcionará sem música, mas com todo o sugestivo cardápio. Telefone: 3256-0008.

Dicas para o carnaval

Recuperada da enchente do Rio das Almas, Pirenópolis se prepara para oferecer o melhor carnaval dos últimos tempos com pousadas e restaurantes funcionando a pleno vapor. Como o Montserrat, onde o chef restaurateur Juan Pratginestós lança arroz de bacalhau e camarão Malandrinho, prato com molho de tomate, coentro, caldo de legumes e açafrão por R$ 90, serve duas pessoas. Reservas pelo telefone (62) 3331-2628.

O grito quem dá é a chef Mara Alcamim, amanhã, às 13h, quando o público poderá dançar até as 17h ao som de Carol Nogueira e Banda em torno da feijoada que será servida no Universal Dinner por R$ 79.

A adega Bartolomeu, que funciona dentro do restaurante do mesmo nome na 409 Sul, acaba de lançar loja online com mais de 400 rótulos de vinhos e espumantes das mais importantes regiões produtoras com preços que variam de R$ 47 a R$ 2.800, a garrafa. Veja em adegabartolomeu.com.br

Carninha grelhada é sempre bem-vinda para recuperar as forças. No Dom Francisco da Asbac, há uma saborosa maminha de alcatra prime escoltada de arroz de brócolis e farofa de ovos por R$ 120, para duas pessoas. A casa funciona todos os dias, sendo que domingo só até as 17h.

Surpresinha é uma entrada de bacalhau com couve crocante lançada por Manuelzinho Pires que ainda sugere o bacalhau Tejo, uma fornida posta acompanhada por deliciosa cebola marinada no Don Pepe, xerez espanhol. O prato (R$ 129) é tão farto que dá para dividir. Tejo fica no Bloco B da 404 Sul. Telefone: 3264-7005.

Cinco dias após a folia de Momo, o Restaurant Week bota seu bloco na rua com mais de 50 restaurantes que servirão pratos clássicos com toques brasileiros. Eles custarão no almoço R$ 44,90 e no jantar,
R$ 54,90 até o dia 6 de março. Confira no site restaurantweek.com.br.

El Negro nas ruas

 (Bruno Peres/CB/D.A Press)
Ninguém na constelação gastronômica de primeira grandeza na cidade tem mais mobilidade do que o chef gaúcho Marcello Piucco, agora mesmo em visita aos Estados Unidos, de onde voltará quarta-feira, com novidades para implantar em novo desafio: o El Negro, cuja cozinha comandará pela terceira vez.
O coração de Piucco balança entre duas paixões: o grupo de hotéis do qual faz parte o Fatti a Mano e o El Negro. Ora num, ora noutro, dá para ver que a felicidade do chef está onde ele mais pode criar e dar vazão ao seu enorme talento culinário.
“Eu e o João (Clerot) sempre tivemos uma ótima sintonia com nossas ideias e projetos. Mesmo quando fiquei fora do restaurante, sempre houve contato entre nós. Agora, vamos lançar nosso primeiro food truck, que levará para as ruas o sabor do El Negro com uma roupagem diferente do que existe por aí. São muitas as possibilidades que poderemos explorar”, declarou o chef antes de viajar.

De tirar o fôlego
 (Mapa Comunicação/Divulgação)
curitiba — Qualquer época do ano é válida para se visitar o Paraná. Depende da temperatura que você preferir. Se quiser o gélido vento do inverno, quando se come os melhores pinhões do Brasil, aquela espécie de castanha que dá na araucária, portentosa árvore símbolo do estado, cujo plantio é feito no bico da gralha azul, ou o calorento verão. Como agora, que transborda turista para todos os lados. A ponto de não haver vaga na litorina.
Apontada pelo The Wall Street Journal como um dos três passeios de luxo sobre trilhos mais interessantes do mundo, a viagem de litorina pela Serra do Mar é superdisputada e o vagão só tem 22 lugares. Resta o trem, operado igualmente pela Serra Verde Express, que percorre a mesma ferrovia, construída há 130 anos e considerada uma das cem obras mais importantes da engenharia no país.

Carne barreada


Com vista de algumas atrações da natureza, como a Cascata Véu da Noiva, e passagem por 13 túneis, o percurso até Morretes dura três horas. Dele ainda faz parte o almoço na cidade histórica, cujo prato típico é o barreado. Consiste em um corte de carne bovina de segunda, como paleta, coxão mole ou patinho, temperado com cebola, alho, toucinho de porco, pimenta-do-reino, louro e cominho cozido na panela de barro até desmanchar.
Na mesa, cabe ao cliente misturar a carne à farinha de mandioca até receber a consistência que dá nome ao prato de origem açoriana trazido pelos portugueses, que se instalaram no litoral paranaense no século 18. Servido com arroz e banana fatiada, o sabor é indiscutível!


Depois do almoço, o pacote ainda oferece city tour por Morretes e Antonina, igualmente histórica e com forte vocação cultural. Em seu teatro, no início do século passado, cantou Carmen Miranda que a bordo de um navio ancorado na baía aceitou convite do prefeito para se apresentar na cidade. Antonina até hoje realiza o mais famoso carnaval do Paraná.

Adega top

 (Gerson Lima/Divulgação)
O fundador do império Madero — atualmente com 63 restaurantes no Brasil e um nos Estados Unidos (Miami) —, Junior Durski guarda um trunfo na manga, que não tem nada a ver com os super-hambúrgueres da sua expansiva grife: é o restô de alta gastronomia internacional, com uma pegada ucraniana, que leva o seu nome e ostenta uma das adegas mais completas do Brasil.
“Eu não tenho dúvidas: trata-se da melhor adega de restaurante no país”, diz o especialista em vinhos Eugênio Oliveira, do blog Decantando a vida, que ficou extasiado com as raridades, entre elas, o Romanée-Conti de diversas safras. São 2.300 rótulos de 24 países. Outra atração é a coleção de Château d’Yquem, o melhor vinho branco doce do mundo, ideal para acompanhar foie gras — presente no cardápio da casa curitibana com maçãs ao molho de baunilha (R$ 110).

Banquete eslavo
 (Liana Sabo/CB/D.A Press)
Após mais de um ano fechado para reforma, o restaurante Durski reabriu no último mês de outubro, com a volta do banquete eslavo (R$ 110, por pessoa), que traz uma sequência de pratos servidos para toda a mesa e composta de salada russa, galantina de leitão, minipanquecas de batatas, borsch, pierogi, frango à Kiev, charutinhos de repolho com costelinha defumada, leitão assado no forno e, de sobremesa, kutiá (trigo sarraceno cozido com frutas secas e mel).
Enrico Didier, o sommelier italiano, não hesita em sugerir a melhor harmonização, como Mauro, um tinto espanhol que acompanhou muito bem tanto o tornedor Rossini com legumes (foto) como o rack de cordeiro — dois pratos esplêndidos. Telefone (41) 8855-5383.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK