Brasília-DF,
18/SET/2021

Coluna mostra a trajetória de restaurantes que estão no gosto do brasiliense

Favas Contadas traz iguarias que compõem o menu de cardápios ecléticos no Distrito Federal

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:19/02/2016 07:00Atualização:18/02/2016 17:14
 (Fotos: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)

Aconchego no Parque
oito anos depois de abrir na 209 Sul o Ilê (em iorubá, língua africana, significa casa, lugar de aconchego), o carioca Paulo Maurício Ferreira — que antes de abraçar a gastronomia, trabalhou na área de computação, vendeu cozinhas e foi dono de loja de calçados (Cat Shoes) —, expande a grife de frutos do mar para novos horizontes. Justamente onde o ar é mais puro e a vegetação mais verde.


Desde segunda-feira, o chef vem atendendo à fiel clientela no Parque da Cidade, estacionamento 9, onde funcionou o Pirraça. Chama-se Ilê Praia Parc a nova casa com 250 lugares, que ocupa um imóvel no estilo praiano, completamente aberto. “Eu optei por uma casa maior, mais confortável e que oferece custo-benefício melhor”, justifica Paulo Maurício, que já desativou o antigo endereço. Até porque aproveitou não só o mobiliário rústico como os quadros da parede.

Camarão é a estrela

 (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
A previsão era de abrir no início de janeiro, “mas as chuvas atrapalharam muito as obras”, queixa-se o chef-restaurateur, que administra a casa com a mulher Eleonora Bonorino. Eles trocaram o piso para cimento queimado com ladrilhos hidráulicos, revestiram as colunas com tijolinhos e plantaram 100 mudas de coqueiro ao redor. As coisas iam nesse ritmo quando no fim de semana, o casal convocou toda a equipe para apressar o término, porque na segunda-feira iria começar a 14ª edição do Restaurant Week, evento do qual a marca participa desde a primeira.


Desta vez, os pratos principais do almoço (R$ 44,90) são: uma moqueca de camarão e frutos do mar servida no coco verde, escoltada por arroz branco e pirão (foto) ou camarões ao creme de catupiry e alho-poró com batatas assadas. Da sugestão ainda fazem parte uma entradinha (pastel de carne ou brochete de camarão) e sobremesa com raspas de coco e calda de chocolate. O menu da noite (R$ 54,90) difere pouco do do almoço a não ser pela segunda opção com filé-mignon ao molho de queijos ou de mostarda acompanhado por batatas ao murro.

Novo menu

A casa traz, em seu novo endereço, duas novidades: ostras e tilápias. Fornecidas por uma fazenda marinha de Santa Catarina, as ostras podem ir à mesa in natura (R$ 29) ou gratinadas com manteiga de ervas (R$ 36), sempre com seis unidades. No item entradas, são mantidos o polvo à galega, as lulas crocantes e a casquinha de siri com farofa de dendê, além dos pasteis.


Já a tilápia reina em quatro versões: com legumes; arroz; alcaparras; e empanada na farinha de panko com purê de batata, cujos preços variam de R$ 26 a R$ 30. Outra estreia é a do lombo de pirarucu grelhado com purê de banana e gengibre (R$ 65).
Ah! O crustáceo emblemático da casa ainda ganhou uma nova roupagem. Preparados com suculento creme de catupiry, os camarões vêm dentro da metade de um abacaxi gratinado ao forno e acompanhado com arroz de brócolis (foto) por R$ 51.
Eleonora convocou três importadoras para selecionar os rótulos da carta de vinhos, na qual há 13 só de espumantes, entre eles, prosecco, na convicção de que é o frescor das borbulhas o que mais combina com a delicada comida. Funciona todos os dias, a partir das 11h30 até meia noite, sem interrupção. Telefone: 3443-8099.

Banquete oriental

 (fotos: Rayan Ribeiro/Divulgação)
quando o proprietário do restaurante não é apenas empresário, mas um gastrônomo que conhece o métier, tem mais chance de alcançar o sucesso. Agora, quando além de conhecer os segredos e as técnicas usadas na cozinha, ele é capaz de elaborar receitas, o resultado estará praticamente assegurado. É nessa categoria que se enquadra Nicolas Fujimoto, de 29 anos, dono de seis estabelecimentos, dos quais três sushibares da marca Nazo. O terceiro, no estilo express, abrirá as portas em março no Shopping ID.

É da autoria de Fujimoto uma trufa de camarão empanado e cream cheese envolta em salmão e molho tarê chamada Gunkan. Extremamente saboroso, o prato (seis peças por R$ 32,90) faz parte do novo menu da grife nipônica, que ocupa dois endereços: SIG, Quadra 8 e 214 Norte, Bloco D.

Pratos quentes
Na qualidade de headhunter, Nicolas tem perseguido bons profissionais para tocar os empreendimentos, como o chef Beto Fonseca, autor do menu italiano do Piazza 8, que fica ao lado do Nazo. No novo cardápio do sushibar, Fonseca assina o risoto de frutos do mar (R$ 48), com arroz japonês, polvo, lula e camarão ao molho oriental; a cafta de salmão ao molho de limão siciliano (R$ 16,90) e o filé de salmão maçaricado recheado de arroz, cream cheese e camarão.

“Não consigo me dedicar à criação tanto quanto gostaria, por isso procuro descentralizar”, explica Nicolas que costuma reunir a equipe e pedir sugestões de sabores capazes de surpreender. “Além disso, precisamos ter variedade e nos diferenciar de outras casas do mesmo segmento”.

Sushis grelhados
A diferenciação a que se refere o restaurateur teve forte colaboração do novo sushiman Gel Messias, que empresta à casa longa experiência adquirida no balcão ao lado de importantes nomes da culinária japonesa, como mestre Takeo, com quem trabalhou pelo menos em três locais. Gel avalia se a sugestão agrada ao oferecê-la no rodízio. “Eu crio um prato, coloco na esteira e espero para saber o resultado”, diz. O Nazo inaugurou a primeira esteira de sushi da cidade.

Destaque para o fried uramaki (R$ 32,90, com 10 peças) preparado com arroz com cream cheese grelhado na manteiga e tartar de salmão; o salmão stick traz enrolados do peixe com cream cheese na calda de maracujá e gergelim (R$ 31,90, com seis peças) e maki lemon, um must do menu, que usa peixe branco com fina fatia de limão e cream cheese. Depois de maçaricado, o peixe é regado com molho tarê (R$ 25,90, com seis peças). Confira no site http://www.nazosuhibar.com.br

Longe da carne

 (Destak/Divulgação)

No mundo inteiro, sábado é dia de feira. Brasília aos 55 anos já reúne um bom número delas que se espalham por todo o quadradinho. A novidade fica por conta da natureza dos produtos — cada vez mais saudáveis. Com uma pegada orgânica, a Eleve oferece amanhã, das 8h às 12h, além de verduras e legumes fresquíssimos, pratos congelados como o escondidinho de batata-baroa com cogumelos, lasanha de berinjela, cenoura, abobrinha e tofu, risoto de quinoa e o fusili de milho com vegetais. Todos produzidos no Bálsamo Spa.


A feirinha é uma extensão do Mercado Saudável, estabelecimento aberto há seis meses no Bloco D da 708/709 Norte, pelo empresário Oswaldo Scafuto (proprietário do restaurante Santé 13) em parceria com Christiano Camargo. Cerca de 6 mil produtos povoam as prateleiras da loja, que comercia queijos veganos, cervejas sem glúten, leites vegetais, papinhas para bebês, farinhas variadas, suplementos esportivos, etc. Telefone: 3045-0707.

Estreia árabe

 (Rafaela Cambuy/Divulgação)
Na onda de hambúrgueres que assola a cidade, mais um estabelecimento decide lançar o sanduíche com recheios específicos, como cordeiro com tomate assado, alface, coalhada de hortelã acompanhado de geleia de hortelã e batatas fritas por R$ 28,90. Onde? No Empório Árabe da 215 Sul, somente aos domingos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK