Brasília-DF,
26/SET/2021

DESCE MAIS UMA: pratos italianos atraem o público cativo brasiliense

A chefe Ana Toscano tem conquistado o paladar de muitos clientes com menu gastronômico diferenciado na Capital Federal

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Sara Campos - Especial para o Correio Publicação:13/05/2016 07:00

 (Zuleika de Souza/CB/D.A Press)


Antes de chefiar uma cozinha, Ana Toscano — um dos nomes mais importantes da gastronomia local — atuou em outros segmentos. Professora, secretária parlamentar e estudante de filosofia estiveram entre as atividades. Mas foi na cozinha que ela encontrou a verdadeira vocação. À frente das caçarolas do restaurante Villa Borghese, Ana é responsável pelos pratos italianos que atraem um público cativo desde fevereiro de 1994. “Cozinhar sempre foi uma atividade considerada uma extensão da minha vida. Eu tinha uma grande liberdade em transitar nas cozinhas da minha família.”

Influência de raiz


A ideia de abrir o restaurante partiu do ritual do preparo de massas italianas: prática que sempre fez parte da rotina familiar da chef, descendente de italianos da região norte que aportaram no Brasil no final do século 19. As famílias Frechiami e Zanello a influenciaram em conhecer, desde criança, o universo de sabores do País da Bota.


“Observava minhas nonnas (avós) preparando os pratos e em todas as receitas do restaurante há pinceladas do que vivenciei ao lado delas. São pitadas de ervas, especiarias e emoção”, destaca a chef em entrevista ao Correio. Entre os exemplares de inclinação afetiva estão o agnello della nonna: perna de cordeiro assada com ervas e vinho, e servida com tagliatelle na manteiga (R$ 72); e o nhoque alla zanello, massa servida com molho de carne e creme (R$ 62).
Diferentes realidades


Apesar da rotina exaustiva, Ana Toscano faz questão de cozinhar em casa todos os dias. Para ela, há pequenas diferenças ao preparar pratos em um ambiente familiar. “É uma questão de adaptar receitas. Algumas que podem exigir um maior tempo de preparo são melhores de fazer em casa. Outras mais rápidas podem se adaptar bem a uma rotina de restaurante”, destaca a chef, que segue a tradição do preparo de massas em casa, inclusive do caldo de capeletti, receita da avó paterna preparada em ocasiões especiais do clã.

 

Registro para as próximas gerações


“Fazíamos essa receita com toda a família em volta da mesa. Perpetuamos a tradição e fazemos a massa quando alguém ganha bebê, faz aniversário ou passa por alguma etapa importante na vida”, ressalta Ana Toscano, que, atualmente, organiza receitas da família para transformá-las em livro. “Cada um tem uma lembrança diferente das receitas. Quero unificar isso e garantir que esses preparos continuem vivos”, ressalta a chef, uma das primeiras mulheres a ter reconhecimento e ganhar notoriedade na gastronomia da cidade.

ONDE COMER


Villa Borghese
(201 Sul bl. A lj. 33; 3226-5650), aberto diariamente, das 12h às 15h e das 19h à 0h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK