Brasília-DF,
21/ABR/2018

Conheça a gastronomia criativa e pulsante de shoppings

Confira as opções em centros comerciais em Taguatinga, Guará, Plano Piloto, Águas Claras e Lago Norte

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Renata Rios Publicação:25/11/2016 06:05Atualização:24/11/2016 17:34

Lagosta Coco Bambu comprova: comida de shopping pode ser requintada (Jhonatan Vieira/Esp.CB/D.A.Press)
Lagosta Coco Bambu comprova: comida de shopping pode ser requintada


Uma pesquisa nacional conduzida pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) comprovou que, este ano, muitas pessoas vão gastar menos ao comprar presentes de Natal.  Na busca pelo presente certeiro, muitas pessoas vão passar mais tempo nos corredores, como uma forma de comparar preços e fazer boas escolhas.


Nem só de corre-corre e empurra-empurra são feitas as compras de fim de ano. Veja o lado bom: é uma boa chance para conhecer novidades na gastronomia —  de clássicos a comidinhas rápidas.

 

Nesta semana, mostramos opções em centros comerciais em Taguatinga, Guará, Plano Piloto, Águas Claras e Lago Norte. O Coco Bambu do Brasília Shopping, por exemplo, foi um marco para a rede cearense. Com 550 lugares, tornou-se o primeiro endereço do grupo  num shopping. Para isso, foram cumpridas exigências como entrada social e privativa e serviço exclusivo de manobrista.

 

A situação é parecida com a marca de cachorro-quente do tipo premium The Dog Father. No JK Shopping, entre Ceilândia e Taguatinga, funciona a primeira loja da marca dentro de um shopping no Brasil.

 

Apesar do momento pouco favorável na economia, que tem por consequência a diminuição nas compras e na ida aos shoppings, os restaurantes situados dentro deles continuam a buscar reinvenções diárias para não perder a clientela. A Pizzeria e Trattoria Peluso, situada no Felicittà, em Águas Claras, lançou cardápio novo, impulsionado pela compra de um forno combinado de lenha e gás, onde são assadas as novas pizzas da rede.

Bem mais que fast-food, restaurantes, bares e cafés de shoppings da cidade têm gastronomia criativa e pulsante

O mar é logo ali


O mar, quando quebra na praia, é bonito, bem sabemos. Mas, diferente do baiano Dorival Caymmi, os brasilienses encaram mais de 1000km de distância entre a capital e o litoral. Endereços como o Coco Bambu encurtam distâncias e diminuem a nostalgia praiana.

 

Quem entra no Coco Bambu do Brasília Shopping, com 550 lugares, sequer se lembra de que está em um centro de compras. “Ocupamos a área onde ficava o cinema do shopping e, curiosamente, consegui aumentar em sete vezes o movimento que havia por lá”, gaba-se o sócio Beto Pinheiro.

 

O vasto menu nem de longe lembra itens comuns em praças de alimentação. Por lá, vigoram receitas como a lagosta Coco Bambu (R$ 121), composta por duas lagostas inteiras, grelhadas, acompanhadas de risoto de limão siciliano, batatas ao forno e manteiga de ervas.

 

A loja foi a primeira da rede a se estabelecer dentro de um shopping center. Deu tão certo que rapidamente surgiram outras. “Esse conceito deu tão certo que vários shoppings de todo o Brasil procuraram para fazer operação semelhante, vendo o bom resultado do endereço de Brasília”, continua Pinheiro.

 

Daniel Levoni Moura e o filé-mignon grelhado com salada: cozinha fitness e homenagem à capital no Paralelo 15 (Jhonatan Vieira/Esp. CB/D.A Press
)
Daniel Levoni Moura e o filé-mignon grelhado com salada: cozinha fitness e homenagem à capital no Paralelo 15
O sonho de Dom Bosco
“Entre os paralelos 15 e 20, eu vi uma enseada extensa, que partira de ponto onde se transformará num lago. Aparecerá aqui a terra prometida. Será de uma riqueza inconcebível”. O sonho de Dom Bosco virou referência para a casa de sucos Paralelo 15, instalada desde abril —  coincidentemente, quando se celebra o aniversário da capital —  no ParkShopping.

 

A relação afetiva com a cidade se estende da decoração (com painel onde estão desenhados os principais pontos turísticos de Brasília) ao cardápio, pintado com geometrismos que lembram os azulejos de Athos Bulcão. “O Brasil precisa conhecer o lado positivo da capital. Queremos fazer um resgate do que há de bom na cidade, aliado a uma alimentação saudável”, comenta o proprietário, Daniel Levoni Moura.

 

A omelete, um dos xodós do menu, surge na maneira convencional por R$ 22,90, recheada com frango desfiado, queijo minas, tomate e orégano. Feita somente de claras, custa R$ 25,90 complementada com dois ovos mexidos, semente de chia, tomate e queijo minas.

 

Embora se declare uma casa de sucos, o cardápio do Paralelo 15 não para nos lanches e comidinhas. No almoço, também aparecem bons pratos. Caso do filé-mignon grelhado (R$ 36,90) escoltado por uma salada.

 

São cinco as combinações possíveis, tendo como campeã de pedidos a tropical, de rúcula, alface, tomate, damasco, palmito e castanha de caju ao molho mostarda e mel.


Parceria
Com frases que explicam gírias e expressões brasilienses, como “véi”, “rodô” e “camelo”, as camisetas usadas como uniforme no Paralelo 15 são resultado de uma parceria com a camiseteria Verdurão, com sede situada no Conic, no coração da capital.

 

 

A costela de cordeiro é uma alternativa saborosa e farta no American Prime (Carlos Moura/CB/D.A Press)
A costela de cordeiro é uma alternativa saborosa e farta no American Prime
 

Almoço, petisco e sobremesa!

Seja para aproveitar um petisco e um chope enquanto espera os parentes terminarem as compras natalinas, seja para curtir uma refeição farta, ao final da maratona, o American Prime é uma boa opção. O menu atende refeições, passa por tira-gostos e finaliza com sobremesas.

 

Para quem vai apostar em uma refeição, a sugestão é apreciar a lamb rack (R$ 79,99) servida na forma de french rach, a costela de cordeiro. “Temperamos a carne à base de alho em pó, pimenta e sal”, afirma a gerente da casa, Valéria Ramalho.

 

O cliente recebe de entrada o pão especial da casa e uma salada Caeser, além da geleia de hortelã, que acompanha a proteína, e um acompanhamento à escolha do comensal.

 

Já o petisco pode vir na forma do camarão empanado acompanhado de molho rosé (R$ 40,99) e harmonizado com um chope (R$ 9,99 — 350ml). Das18h até as 21h, a bebida fica no esquema pague um e leve dois do happy hour da casa. Para quem é chocólatra, a gerente recomenda o brownie da casa (R$ 29,99), servido de uma maneira pouco convencional.

 

O brownie vem numa taça; por baixo do bolo, duas bolas de sorvete; por cima, chantilly. A parte externa do copo é coberta de calda de chocolate.

 

Prato criado para a família, no Abraccio, mistura três receitas à base de frango
 (Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Prato criado para a família, no Abraccio, mistura três receitas à base de frango

Feito para compartilhar

É dura a missão de encarar as compras de Natal. Em família, então, a situação pode beirar o estressante com facilidade.  No Iguatemi, o Abraccio aparece como ótima alternativa por conta dos pratos maiores, ideais para compartilhar.

 

No menu, uma seção dedica-se inteiramente a eles. Chama Piatti di famiglia, literalmente, prato de família, no qual se sobressai o pollo de famiglia (R$ 79), com peito de frango: briani (coberto por queijo de cabra, tomate seco e molho “burro al limone”, com manjericão), fontina (recheado com presunto italiano) e marsala (com cogumelos champignon frescos, presunto italiano e molho de vinho marsala).

 

O glutão ainda escolhe dois acompanhamento.
Do próximo domingo até dia 29 de dezembro, o pollo di famiglia sai a preço promocional, por R$ 89,30, com entrada de pão italiano mais seleção de ervas e azeite, aperitivo (a decidir entre arancini e muçarela marinada) e sobremesas definidas pelo restaurante. Um tinto italiano vai bem com todas as etapas do menu, garante o proprietário, Jefferson Nunes.

 

Nunes elenca algumas razões positivas em estar localizado em um shopping: “A segurança é a maior delas. Outro atrativo é o grande número de vagas, bem diferente de restaurantes de quadras comerciais. Além, é claro, de ter uma dezena de lojas como distração, caso haja fila de espera”, enumera.

 

Com a decoração similar a um vagão de trem, o Voyage gourmet aposta nos crepes (Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Com a decoração similar a um vagão de trem, o Voyage gourmet aposta nos crepes

 Viagem gourmet

Como o nome em francês indica, no Voyage Gourmet, tudo lembra viagem: da decoração, que lembra um trem, ao menu. Cada crepe tem o nome de uma estação de trem da França”, explica a proprietária do estabelecimento, Priscila Moreira.

 

Uma sugestão é o crepe de presunto, queijo e orégano (R$ 15,10). Outra alternativa salgada são os crepes de frango com catupiry (R$ 19,30) e camarão com catupiry (R$ 26,30).

 

Já o de banana com chocolate (R$ 17) vem com um recheio generoso. “Colocamos chocolate ao leite e banana no recheio. A calda é apenas um toque, sem exagero, para o crepe não ficar desmanchando”, explica.

 

Outra sugestão que ela dá é aproveitar o crepe de beijinho de coco (R$ 21,60), com calda de tapioca e sorvete de creme. “Esse é um crepe que todo mundo que pede fica encantado e volta”, garante.

Na Peluso, as pizzas são assadas em forno especial (Liana Sabo/CB/D.A Press)
Na Peluso, as pizzas são assadas em forno especial


Mais italiano, impossível

A pizza é uma das receitas mais simples e procuradas em todo o mundo. As redondas até podem ter cara de comida rápida e despretensiosa, mas, na companhia certa, equivalem a um jantar. Boa solução para dar a elas contornos especiais é associá-las a um bom vinho.

 

Na Pizzeria e Trattoria Peluso, no Shopping Felicittà, em Águas Claras, o glutão que pedir uma pizza média recheada com linguiça de Formiga (MG) harmonizada ao vinho tannah (linha Agnus) da vinícola gaúcha Lídio Carraro paga R$ 68,90.

 

O local passou por relevantes mudanças no começo do mês, quando foi instalado em enorme forno flexível a lenha e a gás. A ideia foi retornar às origens de Jorge Ferreira,  que já havia capitaneado uma pizzaria na cidade.

 

A linguiça importada de cidade mineira já preencheu todo tipo de criação das 9 casas do grupo.

Com queijo maçaricado na hora, cachorro-quente do The DogFather se sobressai na praça do JK Shopping, na avenida Hélio Prates (Jhonatan Vieira/Esp. CB/D.A Press)
Com queijo maçaricado na hora, cachorro-quente do The DogFather se sobressai na praça do JK Shopping, na avenida Hélio Prates
 

Hot-dog gourmet

 

A onda da “gourmetização” que tomou conta de toda sorte de itens culinários, do brigadeiro à tapioca, chegou ao cachorro-quente. A versão da receita não se descola totalmente da “underground”, pois conta com itens parecidos, como o milho, batata palha e até purê, mas aprimora a receita.

 

O JK Shopping é o único do DF a contar com uma loja da marca The DogFather, especializada em hot dogs premium. O mais procurado é o Corleone (R$ 18, 90, com 17cm, ou R$ 25,90, com 33cm), composto por pão, maionese salsicha envelopada no bacon, cheddar, purê e batata-palha.

 

Também tem boa saída o Vito (R$ 16,90, com 17cm, ou R$ 23,90, com 33cm), com pão, maionese, salsicha, chilli, purê, doritos e batata palha.
Ambos contam com molho especial de tomate pelati, mostarda, ketchup e muçarela fundida. “É maçaricado na hora, derretendo o queijo, que chega quentinho à mesa do cliente”, explica a gerente, Thayse Santos.
Pagando mais R$ 10 nos sanduíches de 17cm ou R$ 8 nos de 33cm, o cliente garante  batata Pringles e refrigerante em lata.


Bar, por que não?

Os petiscos são a aposta do Zero61 na hora de atrair a clientela. “Tentamos fazer receitas diferenciadas do que se encontra por aí”, promete o proprietário da casa, Diego Reis. E de fato, os petiscos encontrados na casa são no mínimo incomuns e criativos.

 

A primeira opção vem na forma dos tradicionais lanchinhos infantis, os nuggets, mas nesse caso, a receita ganha um toque especial, ela é feita de rabada. “Os nuggets de rabada (R$ 42,90) vem com um pesto de agrião. Essa é uma combinação clássica, mas quisemos fazer em um formato diferenciado para a casa”, explica Diego. Outra pedida é ainda o parmegiana de mignon apereitivo (R$ 65), feito no formato tira-gosto.

 

“São cubos de filé-mignon empanados individualmente, cobertos por molho de tomate da casa e queijo, para gratinar”, detalha.

 

Já para quem é fã dos quitutes suínos, o croquete croc croc (R$ 37,90) é uma explosão. O recheio é feito com pernil temperado e desfiado, o inusitado vem na forma de empanar o bolinho. No lugar da tradicional farinha de rosca, a casa aposta em uma farinha de torresmo, feita da barriga do porco, na própria casa.

 

“Deixamos esse bolinho bem temático e essa farofa é um grande diferencial, especialmente no sabor do preparo”, finaliza.

 

 

O preparo na pedra garante que os ingredientes escolhidos sejam bem incorporados à massa do sorvete (Arquivo Pessoal/Divulgação)
O preparo na pedra garante que os ingredientes escolhidos sejam bem incorporados à massa do sorvete

Sorvete na pedra

Quem passa pela Ice Creamy, no Conjunto Nacional, não consegue deixar de prestar atenção no processo de preparo dos sorvetes. Em vez do formato tradicional, o quiosque aposta no sorvete na pedra.

 

O grande, com direito a um sabor e quatro acompanhamentos, tem 250ml e sai por R$ 16. “A pessoa escolhe entre os 13 sabores de sorvete que trabalhamos e os complementos, que incluem caldas variadas, Nutella, leite em pó, granulados e Ovo Maltine”, explica o  proprietário Thadeu Moreira.

 

“O de chocolate belga e o ninho são os que mais saem. Mas trabalhamos também com cookies, doce de leite, amarula e musse de chocolate, morango, baunilha, chocolate branco, algodão-doce e chiclete”, diz.
Uma alternativa já montada é o choquíssimo (R$ 7), sorvete de chocolate, belga ou premium.

ONDE COMER

Abbraccio Cucina Italiana
(SHIN CA 4, 1º Piso, Shopping Iguatemi, Lago Norte; 3468-4854 ou 3468-5590), aberto de segunda a quinta, das 12h às 23h; sexta e sábado, das 12h à 0h; e domingo, das 12h às 22h30.

American Prime
(Octogonal 5, Terraço Shopping, piso térreo, lj 118/119/126, Sudoeste;
3032-05674), aberto de segunda a quinta, das 12h à 0h; sábado e domingo, das 12h à 1h; e domingo, das 12h à 0h.

 

Coco Bambu
(Setor Comercial Norte, Qd. 5, Bl. A, Brasília Shopping, ljs. 2w, 3w e 4w; 3038-1818), aberto de segunda a quarta, das 11h30 às 15h30, e das 17h30 à 1h; quinta e sexta, das 11h30 às 15h30, e das 17h30 à 1h; sábado, das 11h30 à 1h; e domingo, das 11h30 à 0h.

Ice Creamy
(SDN, Bloco único, Quiosque T1 19; 3327-0923), aberto de segunda a sábado, das 10h às 22h; domingo, das 12h às 20h.

Paralelo 15
(2º piso, lj. 257, ParkShopping, Guará; 98408-0400), aberto diariamente, das 10h às 22h.

Pizzeria e Trattoria Peluso
(Shopping Felicittà, Avenida Castanheiras, lt. 5, Águas Claras; 3042-5585), aberto de segunda a quinta, das 19h à 0h; sexta, das 18h à 0h; e sábado e domingo, das 12h à 0h (pizzas, só a partir das 18h).

The DogFather
(lj. 324, Shopping JK, Av. Hélio Prates, QNM 34, Área Especial 1, M Norte, Ceilândia; 3491-5552), aberto de segunda a sábado, das 10h às 22h; e domingo, 12h às 22h.

 

Voyage Gourmet
(STN, Conj. J, lj T53, Asa Norte, Boulevard Shopping; 3447-4737) e (QS 01 lt. 40, lj. 3050, Taguatinga Sul, Taguatinga Shopping; 3562-2973),aberto de segunda a sábado, das 10h às 22h; domingo, das 12h às 22h.

Zero61
(SCES 2, Tr. 2, Conj. 32, Pier 21; 3224-0061), aberto de segunda a quinta, das 12h à 1h; sexta, sábado e domingo, das 12h às 2h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK