Brasília-DF,
21/NOV/2018

Confira as opções culinárias para as férias em Brasília

Dezembro pode ser um mês com mais tempos para refeições demoradas, das confraternizações e dos almoços nas redondezas do DF

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Renata Rios Publicação:02/12/2016 06:10Atualização:02/12/2016 11:12
Fabrício Lima prepara café com grãos nobres no 'Seu Patrício - Querido Café' (Bárbara Cabral/D.A Press)
Fabrício Lima prepara café com grãos nobres no 'Seu Patrício - Querido Café'

Foi-se o tempo em que bastava chegar dezembro e a capital se esvaziava, resultado de um fluxo migratório rumo a outros destinos turísticos. Com cada vez mais frequência, brasilienses têm optado por passar as férias de fim de ano na cidade. Em parte, como consequência da crise econômica que força os habitantes a enxugar o orçamento para viagens.
 
Para quem pretende tomar café mais tarde, o Seu Patrício – Querido Café oferece grãos especiais da região paulista da Alta Mogiana associados a quitutes para lá de convidativos, com a dupla de waffle de cream cheese com bacon e de Nutella.
 
Aberto há menos de um mês, o endereço conta com decoração moderninha e já virou xodó de muita gente na cidade. 
 
Não é necessário embarcar num avião para “desopilar”. Aqui pertinho, a menos de duas horas do centro de Brasília, está o Santuário de Vida Silvestre Vagafogo, em Pirenópolis. São mais de 45 itens, a maioria artesanal, como os lácteos, produzidos com leite de vacas da fazenda, e os chutneys e geleias, com frutas colhidas no pé.
 
Ao chegar, a família apresenta o universo onde habitam, marca do turismo ecológico. “O serviço é pessoal. As pessoas estão buscando isso, um pouco mais de atenção no serviço gastronômico”, explica Uirá Ayer. Muito parecida a proposta do Cerrado Lodge, a 6 quilômetros do Shopping Iguatemi. Ali, há uma imensa vegetação nativa do cerrado e um brunch por R$ 100, o casal.
 
Além da comilança, os interessados podem aproveitar a feira orgânica montada no local, também aos domingos, com 10 feirantes. “Temos hortaliças, geleias, artesanato. É uma feira bem variada”, detalha o sócio Luiz Eduardo Camargo. Para quem quer passar o fim de semana, a hospedagem do casal, com o brunch incluso, sai por R$ 700.

Tomar um café mais tarde 

Hábito enraizado no brasileiro, tomar um cafezinho faz parte da cultura e da economia do país. Somos o maior produtor e exportador do grão do planeta. Apesar disso, a bebida ainda aparece em seu caráter mais tradicional, geralmente preparado com as marcas vendidas em supermercado, muitas com qualidade inferior ao potencial da nossa matéria-prima, uma das mais apreciadas no mundo.
 
Para popularizar os cafés especiais e comprovar que os grãos “gourmet” não são frescura, nasceu, há menos de um mês, o Seu Patrício — Querido Café. A ideia do proprietário, Fabrício Lima, é desmistificar a ideia de que um bom café precisa ser caro. Ele evitou trabalhar com muitos lotes diferentes simultaneamente, concentrando as bebidas, em uma primeira fase, em grãos importados da região da Alta Mogiana, de São Paulo.
 
Aromáticos e de sabor único, eles se prestam a receitas clássicas, como o expresso (R$ 6) e o capuccino (R$ 10).
 
Para harmonizar com a bebida preferida dos brasileiros, aos sábados e domingos o café oferece uma dupla de waffle em preço promocional (R$ 24). O glutão escolhe um sabor salgado (entre cream cheese e bacon, manteiga temperada com açúcar e noz-moscada e azeite perfumado com alecrim e orégano) ou doce, a decidir entre o de doce de leite ou Nutella. Durante a semana, cada um sai por R$ 15, individualmente.
 
Há opção de massa sem leite e sem nenhuma adição de ingredientes de origem animal.

Ocupar as pequenas mãozinhas
O período de férias pode ser uma ótima oportunidade para despertar as habilidades culinárias dos pequenos (Íris Cruz/ Divulgação)
O período de férias pode ser uma ótima oportunidade para despertar as habilidades culinárias dos pequenos

Com as férias de dezembro batendo à porta, nem sempre é fácil entreter a criançada. Muitas vezes os pais ficam sem ideias, ou falta tempo para divertir os pequenos. Para quem pretende apostar nas habilidades culinárias dos pequenos, ou apenas acha a proposta divertida, a sugestão é agendar uma aulinha na Cozinha do MiniChef.
 
O local aposta em aulas diversas para crianças a partir de dois anos. O preço começa em R$ 95, para o curso individual, mas varia de acordo com a quantidade de pequenos e se os pais vão participar das aulas.
 
Neste sábado, a proprietária do local, Ana Inês, promete o curso de biscoitos natalinos decorados. “Temos diversos cursos, alguns, como o dos biscoitos, nós marcamos, mas se houver interesse fazemos agendamento para grupos entre cinco e quinze pessoas”, sugere Ana. Na lista das aulas, cupcakes, cookies, bolos, pizza e até panini fazem parte das alternativas.
 
Já para quem quer apenas desfrutar de uma saborosa sobremesa, o local trabalha também com itens por encomenda, como os biscoitos decorados, que começam em R$ 6, a unidade, e bolos, que vem em diversas formas e receitas. 
 
“Trabalho com bolos sem leite, sem glúten e com os normais também, o quilo sai a partir de R$ 90, dependendo do tamanho, sabor e da decoração escolhida para o preparo”, finaliza.

Reforçar a dieta 
Feijoada também pode ser light! No 'Eskadaria Sabor e Saúde', o prato aparece em versão mais leve (Luís Nova/D.A Press)
Feijoada também pode ser light! No 'Eskadaria Sabor e Saúde', o prato aparece em versão mais leve

A chegada do verão no próximo dia 21 serve como estímulo ao começo de uma dieta. Seja para perder os quilinhos adquiridos ao longo do ano, seja para se adiantar, precavendo as “gulas” excessivas das festas de fim de ano. No Eskadaria Sabor e Saúde, as restrições calóricas podem ser encaradas, literalmente, com leveza.
 
Isso porque o cardápio privilegia receitas criativas e que, mesmo com menor teor de sódio e gordura, não devem nada as receitas tradicionais. É o caso da feijoada light, que é escaldada por três vezes para ficar mais magra, com todos os ingredientes cozidos em separado. 
 
Se, mesmo assim, a receita parece ousada demais a quem está de olho nas calorias, há uma segunda opção: o cassoulet, uma espécie de feijoada, mas com feijão-branco e sem tantos cortes suínos.
 
As duas alternativas fazem parte do menu do self-service (R$ 39,90, o quilo) às sextas-feiras. A proprietária Lara Habka afasta qualquer preconceito com esse tipo de serviço, em que o cliente monta o próprio prato. 
 
No endereço, os preparos recebem a mesma atenção dos servidos no esquema à la carte. “As comidas são mais elaboradas e interessantes, como a paleta de cordeiro”, evidencia.
 
O cardápio é montado em parceria da nutricionista Renata Soares com o chef Arthur Mendonça. À noite, vigora, no menu, quitutes na linha “frango com batata-doce”, uma maneira de chamar quem frequenta a academia e tem uma alimentação mais regrada.
 
Recentemente, foram integrados caldos, que caemcomo luva no tempo chuvoso. O de batata-baroa e de alho-poró com batata mal chegaram e já foram alçados ao posto de queridinhos. Custam R$ 6,90 (300ml) ou R$ 8,90 (500ml). Servidos em potinhos com cara retrô, os sucos também se sobressaem. O detox, com laranja, cenoura, maçã e gengibre, tem valor de R$ 8 (400ml).

Trilhas, piscinas e bela vista
O pato com laranja é uma alternativa para dividir no 'Trem da Serra', onde os clientes podem aproveitar o espaço ao ar livre para outras atividades (Rodrigo Lopes/Divulgação)
O pato com laranja é uma alternativa para dividir no 'Trem da Serra', onde os clientes podem aproveitar o espaço ao ar livre para outras atividades

A vista é um atrativo por si só no salão do Trem da Serra. O espaço conta com uma parede de vidro para privilegiar quem quer apreciar o cenário. Já a comida e a decoração do local vêm com um toque da roça. “Dá um gostinho de fazenda sem ter que sair da cidade”, declara o proprietário do local, Renato Peixoto. Quem aposta no passeio pode aproveitar ainda a trilha ecológica, toda pavimentada e com cerca de 1,6 km; ou ainda dar um pulo na piscina.
 
Entre as alternativas que vão à mesa, a sugestão que Renato dá é o pato com laranja (R$ 132,90). “Esse preparo conta com meio pato, serve entre duas e três pessoas”, afirma. Para acompanhar a carne, que é cozida no suco da laranja, vem à mesa arroz, farofa de talo de couve e cenoura e batatas soute. “Esse prato mistura um pouco de requinte com aquela comida de fazenda, nossos clientes costumam gostar muito”, garante.
 
Outra alternativa que já é famosa na casa é a leitoa a pururuca (R$ 283,90). O preparo vem acompanhado de feijão-tropeiro, mandioca frita, arroz colorido e couve mineira. “Esse prato vem com um quarto de leitão, com no máximo 50 dias de vida, para garantir a qualidade e maciez da carne”, explica. Ele ainda finaliza alertando que o preparo é bem servido: “Esse prato chega a ser dividido por até 6 pessoas.”

Um brunch em “Piri” 
Brunch do 'Santuário de Vida Silvestre Vagafogo', em Pirenópolis (Vagafogo/Divulgação)
Brunch do 'Santuário de Vida Silvestre Vagafogo', em Pirenópolis

Cerca de 140km separam Brasília de Pirenópolis, cidade goiana considerada um quintal do quadradinho do Distrito Federal. As incontáveis cachoeiras, a tradição e o clima rústico do centro histórico são como uma viagem no tempo. 
 
A pequena viagem vale ainda mais a pena se acrescida de um passeio no Santuário de Vida Silvestre Vagafogo, um lugar onde as horas parecem não correr.
 
Além do turismo ecológico, o local é conhecido pelo brunch. São cerca de 45 itens a R$ 48 por pessoa, valor que cai para R$ 18 se o comensal for criança.                   
 
A principal marca do menu é o caráter artesanal. Apenas o mel e a granola não são feitos na fazenda que Evandro Engel Ayer toca com a esposa, Catarina Schiffer, e o filho, Uirá Ayer.
 
“Temos essa ideia que acompanha muitos chefs do alimento ir do campo para a mesa. Os lácteos, como requeijão e iogurte, são preparados aqui, das nossas vacas. É uma produção orgânica nossa, com variedade enorme de frutas do cerrado e frutas cultivadas”, elucida Evandro. Pães, chutneys, omelete, pão e biscoito de queijo, broa de milho, salada de frutas, waffle, cafés, chás e sucos são algumas das comidinhas servidas por lá.

Orgânico e colhido na hora
O brunch do 'Cerrado Lodge' é todo orgânico. O leite é ordenhado algumas horas antes de o café ser servido (Cerrado Lodge/Divulgação)
O brunch do 'Cerrado Lodge' é todo orgânico. O leite é ordenhado algumas horas antes de o café ser servido

Se a procura é por uma alternativa orgânica, o Cerrado Lodge é o local perfeito. A propriedade, localizada a apenas 6km do   Shopping Iguatemi, dá aos visitantes diversas alternativas orgânicas, boa parte colhida no local. 
 
Para quem se interessou, a dica é aproveitar o brunch de domingo, R$ 100, o casal, ou R$ 60, individual. “É um brunch de fazenda mesmo, são produtos que são daqui, além de algumas opções que compramos de produtores da região”, destaca Luiz Eduardo Camargo.
 
Segundo Luiz, ele e o sócio, Ricardo Monterosa, tentam valorizar o máximo possível os pequenos produtores. No brunch, o comensal encontra frutas, mel, coalhada, leite, queijos, tudo feito no Cerrado Lodge
 
“Servimos preparos de acordo com nossa disponibilidade. Por exemplo, nesta semana devemos ter frutas como jabuticaba, manga e pitanga”, explica Luiz.

Beber vinho sem culpa
Joelho de porco, novidade no 'IVV Swine Bar', casa onde o casamento de carne suína e vinho acontece com perfeição (Bárbara Cabral/D.A Press)
Joelho de porco, novidade no 'IVV Swine Bar', casa onde o casamento de carne suína e vinho acontece com perfeição

“O porco é uma obra de arte inventada por um deus guloso, uma divina construção, um clássico”. A sentença de Nina Horta, autora de O frango ensopado da minha mãe (Companhia das Letras), resume o sentimento de Eduardo Nobre e Ariela Lana em relação à carne suína, a ponto de criarem um endereço onde ela reina, soberana. Além de derrubar preconceitos contra o animal, o IVV Swine Bar quebra o paradigma de que vinho é assunto dos mais complicados. “Queremos tirar esse classicismo do vinho, que nada mais é que suco de uva fermentado”, brinca Eduardo.
 
Para o mês de dezembro, o bar, que rapidamente se tornou queridinho dos brasilienses, lançou algumas novidades. A primeira delas é o joelho de porco (por R$ 49). Defumado, o corte fica na pressão por horas com cravo, louro e cebola, até as fibras amolecerem. Depois, é assado por uma hora, ganhando um gratinado que o deixa pururucado.
 
À mesa, vem na companhia de trio de mostardas, uma junção da tradicional, a com mel e a IVV, que tem semente de mostarda hidratada com vinho branco adocicada com rapadura e apimentada com bhut jolokia. A mesma mostarda aparece como sugestão de molho de tábua de frios (R$ 42), composta por seleção de quatro carnes curadas, com 150g, mais giardiniera, receita que consiste em vegetais condimentados. Acompanham, também, porções de torradas da La Boulangerie.
 
Outro item fresquinho no cardápio é a porção com três mini-hambúrgueres (R$ 24) de blend de carne suína. 

Uvas do cerrado
 
Para quem está disposto a dirigir um pouco, a cerca de 90km do Plano Piloto os amantes de vinhos encontram um pedacinho de paraíso. Trata-se da vinícola Pireneus Vinhos e Vinhedos. No local, os clientes podem aproveitar o dia livre para conhecer as plantações de uvas e aproveitarem um almoço harmonizado (R$ 160) com os vinhos produzidos no local. “É uma experiência interessante, pois a chef, Adriana Carvalho, procurou fazer as melhores combinações para nossos vinhos”, explica o proprietário do local, Marcelo de Souza.
 
Com apenas quatro anos de mercado, os vinhos da vinícola são servidos em sequência. O primeiro é um rosé, que ainda está em teste. Ele acompanha uma entrada, normalmente feita à base de salmão ou de bacalhau. Depois, um dos rótulos do local, o Bandeiras, é servido harmonizado com uma quiche de pato conflitado acompanhada de molho de frutas vermelhas e gim. Em seguida, a harmonização fica por conta do vinho Intrépido/ nesse caso a chef aposta em um ragu de ossobuco com polenta. Para finalizar, a sobremesa fecha a refeição, mas vem sem nenhum vinho.
 
Segundo Marcelo, nesse mês começa a ser vendida uma nova edição do Intrépido (R$ 170) e do Bandeiras (R$ 150). “Nosso vinho já tinha uma qualidade muito boa, mas resolvemos diminuir a quantidade de garrafas e apostar em uma qualidade muito elevada”, garante.
 
Se divertir num pub
 
Personagem criado por Mario de Andrade no modernismo, em meados do século 20, Macunaíma, o “herói sem nenhum caráter”, inspirou a concepção do Macunaímas’s — Pub de Cozinha Brasileira. O bar tem um cardápio com pegada divertida, que transforma receitas internacionais com o uso de ingredientes tupiniquins. É o tal antropofagismo pelo qual o movimento artístico em que esteve inserida a obra do aclamado escritor é conhecido.
 
O stewed turkey necks vira, em bom português, pescoço de peru (R$ 35), elaborado ao molho tradicional nordestino e escoltado por farofa de ovos. O clássico fish and chips é rebatizado de ‘peixim’ com mandioca, com tilápia empanada na farinha de mandioca frita, molho de ervas e mostarda rústica (R$ 32).
 
Mesmo dono da Hamburgueria do Francês, o proprietário Felipe Gonçalves Evangelista pensou em detalhes precisos para a imagem do bar. “Os chefs estão virando a página da fusion food, ou cozinha de fusão, para se atentar ao local, aos ingredientes que o lugar onde moram tem de melhor”, acredita.
 
“Com o mundo hiperglobalizado, tudo se tornou comum, normal. Queremos resgatar a nossa identidade para nos diferenciarmos”, explica. Para isso, ele firmou parceria com produtores de cerveja da cidade de diferentes estilos, em pints vendidos por até R$ 25.

SERVIÇO
Cerrado Lodge 
(Núcleo Rural Jerivá, entrada A, Chácara Ipanema, setor de mansões Lago Norte, 6 km do Shopping Iguatemi, Lago Norte; 991645490), aberto domingos, das 9h às 13h; outros horários mediante agendamento prévio.
 
Cozinha do MiniChef 
(107 Norte, Bl. A, lj. 33; 98476-3254), encomendas por telefone, de segunda a sábado, das 8h às 18h; cursos mediante agendamento prévio.
 
Eskadaria Sabor e Saúde 
(412/ 413 Sul, 1º piso do supermercado Big Box; 3346-5937), aberto de segunda a sexta, das 7h30 às 22h; e sábado, das 8h às 16h.
 
Pireneus Vinhos e Vinhedos 
(BR 070, km 55, Zona Rural Cocalzinho de Goiás, 10 km antes da cidade de cocalzinho; 33313922),visitas agendadas previamente.
 
IVV Swine Bar 
(314 Norte, Bl. B, lj. 21; 3034-3471), aberto quarta, das 18h às 22h; quinta a sábado, das 18h à 0h.
 
Macunaíma’s – Pub de Cozinha Brasileira 
(409 Norte, Bl. B, lj. 61; 3349-0000), aberto de segunda a quarta, das 17h às 23h30; quinta a sábado, das 17h à 0h.
 
Seu Patrício – Querido Café 
(AOS ½, Bl. B, lj. 10; 99246-9263), aberto de terça a sexta, das 17h às 22h; sábado e domingo, das 10h às 15h.
 
Santuário de Vida Silvestre Vagafogo  
(Saída pelo Bairro Alto do Carmo, a 5km do centro de Pirenópolis; 62 3335-8515), aberto diariamente, das 9h às 16h, para o brunch; e das 8h às 17h para visitação. Fechado no dia 25 de dezembro.
 
Trem da Serra 
(Núcleo rural 2, chácara 46, na subida do Sesi, Sobradinho; 99965-7446), aberto de sexta a domingo, das 11h às 17h; horários especiais mediante agendamento prévio.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK