Brasília-DF,
20/NOV/2017

Quer dar uma apimentada? Conheça receitas elaboradas com ingredientes afrodisíacos

O Correio separou nove opções que podem ser uma boa pedida para as comemorações antecipadas do Dia dos Namorados

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Renata Rios Publicação:02/06/2017 06:00Atualização:01/06/2017 17:37
O drinque Baixaria fez sucesso no carnaval e ficou de vez no menu do Tabuada Tábuas&Drinks (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
O drinque Baixaria fez sucesso no carnaval e ficou de vez no menu do Tabuada Tábuas&Drinks
 
O antropólogo roberto da matta escreveu: “Alimento é aquilo que se ingere para manter a pessoa viva; comida é tudo aquilo que se come com prazer”. 
 
Faltando dez dias para a data mais romântica do ano, o Divirta-se Mais une a satisfação natural partilhada pelos casais que dividem a mesa a ingredientes afrodisíacos. Para que esperar até 12 de junho, Dia dos Namorados, para colocar pimenta na relação? 
 
Segundo o estudo Afrodisíacos de origens vegetais e animais – Uma revisão da atual literatura científica, da universidade espanhola Gluelp, o ginseng, o açafrão e a substância ioimbina (encontrada em lojas de produtos naturais, é a única erva citada no índice médico para quem tem disfunção sexual) tiveram o melhor desempenho ao ser analisada uma série de alimentos com potencial de melhorar a atividade sexual.
 
Os dois primeiros aparecem, respectivamente, em um steak tartare do La Rubia Café e em risoto da Risotti d’Oro. E não paramos aí. Ainda que não seja comprovado pela ciência, é sabido que em muitas culturas certos insumos são valorizados, também, pelo potencial de esquentar a relação.
 
Em certos casos, como o do café, literalmente. O ceviche, por exemplo, tem no leche do tigre uma mistura de várias especiarias que transcendem a satisfação das pupilas. Diferentes tipos de pimenta somados a suco de limão aceleram o metabolismo, dando o gás extra que faltava para a celebração da próxima semana.
 

Baixaria de carnaval

Bebida à base de vinho, suco de maçã, guaraná e um cipó amazônico chamado marapuama, a catuaba foi a febre do último carnaval em todo o país. A bebida “selvagem” arrebatou os foliões. Na época, o Tabuada Tábuas&Drinks criou um drinque, chamado Baixaria (R$ 15), em que ela aparece somada à cachaça, suco de laranja, canela, xarope de gengibre e bitter.
 
A bebida causou tamanho burburinho que ficou de vez no menu. Embora o nome recebido seja pouco romântico, ela pode ser um reforço para uma noite animada entre um casal de pombinhos. A soma de catuaba, popularmente famosa por elevar o vigor sexual, com a canela, que acelera o metabolismo, é garantia de uma noite quente.
 
André Amorim, proprietário do bar com pegada cool, sugere combinar o Baixaria com uma das especialidades da casa e vedete do menu: a tábua I love pastrami!, com pastrami, picles, cebolinhas em conserva, coleslaw (saladinha de repolho), pimenta-biquinho e molho à base de mostarda Dijon e mel. “Para o Dia dos Namorados, estamos elaborando uma tábua com atum e camarão. Ela será servida exclusivamente no dia 12”, adianta.
 

Delicadeza em cada peça

O drinque Baixaria fez sucesso no carnaval e ficou de vez no menu do Tabuada Tábuas&Drinks (Romulo Juracy/Divulgacao)
O drinque Baixaria fez sucesso no carnaval e ficou de vez no menu do Tabuada Tábuas&Drinks
 
A delicadeza é fundamental na hora de realizar um preparo afrodisíaco. Sabores agressivos e exagerados dificilmente ornam com a proposta desse tipo de comida. Mas para quem procura uma textura interessante, um visual chamativo e um sabor peculiar, o Miwa pode surgir como uma solução. Na casa, a aposta, entre os preparos servidos, é o sushi de ovas, que traz todas as características que um bom prato afrodisíaco deve ter.
 
“Usamos ovas de capelim, conhecidas como massagô. Nós a temperamos de maneira bem suave com wassabi e saquê, colocamos também o corante para ressaltá-las”, explica Rosa Takematsu, proprietária da casa. Segundo ela, o prato é servido no à la carte da casa e vem à mesa por peças (R$ 6,90, a unidade).
 
Devido ao custo da matéria-prima, Rosa explica que o preparo não pode ser incluído no bufê de almoço da casa (R$ 89,90, o quilo). “O sushi de ovas é muito delicado. Ele não chega a ter a picância do wassabi. As ovas dão textura ao preparo, que fica levemente crocante”, garante.
 
Já nos pratos quentes, é possível encontrar, em boa parte deles, o gengibre, feito na forma de conserva. “Quem faz a conserva é minha mãe. Com 81 anos é ela quem pica e realiza o preparo —  a gente pode, no máximo, descascar”, brinca Rosa.
 
Entre as opções com o gengibre estão o gyudon e o chicken teriaky (R$ 19,90, pequeno; e R$ 25,90, médio, cada um). O primeiro se trata de uma carne acebolada com bastante gengibre, temperada com shoyo e cebolinha. Já o segundo, é um frango com o molho adocicado tradicional da culinária oriental e gengibre para temperar.
 
Marcelo Galo apresenta proposta da Terça Afrodisíaca, que terá menu do chef André Carvalho a partir da semana que vem (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Marcelo Galo apresenta proposta da Terça Afrodisíaca, que terá menu do chef André Carvalho a partir da semana que vem
 

Caliente do início ao fim 

Desde o mês passado, o estímulo ao prazer ganhou outra dimensão no La Rubia Café, com o projeto Terças de Afrodite. A deusa grega do amor foi escolhida para nomear menu com petisco, entrada, prato principal e sobremesa por R$ 59, 90. 
 
Para essa primeira versão, o cardápio sazonal foi assinado por Lui Veronese, a convite do empresário Marcelo Galo. A partir da semana que vem, as criações serão de André Carvalho. 
 
Tem pratos batizados com frases intrigantes, começando pelo “Ostra, quem come (f)pode!”, shot de ostra fresca com gin, suco de tomate e ovo de codorna.
 
Na sequência, opta-se entre uma opção de entrada, “ceviche de catuaba e outras peripécias libidinosas” (ceviche de peixe branco com sagu de mandioca, tucupi, azeite de catuaba e chips de banana-da-terra).
 
Entre os principais está o “Acenda o fogo nesta noite!”, ou filé com purês diversos e redução de vinho do porto flambado com rum e erva damiana.
Por fim, “Nas trocas de olhares, a gente se alimenta, e come, e se come...”, sobremesa com morangos frescos, chocolate branco com páprica picante, chantili, caramelo e ganache de Nutella. 
 

50 tons de... Ceviche

Ceviche tailandês integra menu do Mazutan voltado ao preparo de origem andina (Telmo Ximenes/Divulgação)
Ceviche tailandês integra menu do Mazutan voltado ao preparo de origem andina
 
Reza a lenda que, no século passado, o uso da pimenta era restrito por monges e religiosos devido ao poder de estimular o desejo sexual. 
Pimentas são uma das bases do caldo de ceviche, receita peruana que ganha evidência a partir de hoje em festival no Mazutan. Do tipo malagueta, jalapeño ou biquinho, elas são incorporadas ao coentro e ao suco de limão e viram base das seis receitas disponíveis no evento, que vai até o dia 12 deste mês. O preço cobrado é R$ 65 e dá direito a dois sabores à escolha do cliente.
 
Uma das combinações sugeridas pelo chef consultor Ronaldo Catão é o “tailandês”, com peixe-branco, pimenta dedo-de-moça, molho de peixe fermentado, suco de limão, cebola, manga e coentro. Ele vem acompanhado de bolacha de arroz. Chama-se mexicano o composto por camarões, suco de limão, cebola roxa, coentro e pimenta jalapeño verde, na companhia de abacate.
 
“O ceviche é uma tendência que foi puxada pelo sucesso do sushi e do sashimi. Evoca a força do pescado quase in natura, comum no Japão”, defende Catão. O festival acontece de quinta a sábado, das 18h à 0h. 
 
Gengibre e açafrão compõem risoto do Risotti D%u2019oro (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Pres)
Gengibre e açafrão compõem risoto do Risotti D%u2019oro
 

Sedução em dobro

Cientificamente comprovado pela ação estimulante, o açafrão ganhou um risoto só para ele no Risotti D’oro. A receita custa R$ 24,90 e é servida dentro de uma cestinha de parmesão. Achou simples? O ingrediente também aparece no cítrico, como é chamado o risoto com a especiaria oriental mais gengibre, camarão e lemon pepper (R$ 30).
 
Essas são apenas duas das receitas do extenso menu do Risotti D’oro. São mais de 50 sugestões com assinatura da sócia Deborah Bastos, com quase 15 anos de experiência no segmento. Todos são feitos com arroz arbóreo, levam vinho branco e, na finalização, recebem queijo parmesão.
 
Com ou sem itens com apelo sexual, fazer risoto pede atenção e cuidado, características básicas, também, de qualquer relacionamento amoroso. Como o amor, a receita exige paciência.  
 
“É necessário mexer todo o tempo de cozimento e ir adicionando o caldo de legumes aos poucos, para que o arroz libere amido. Ele tem um ponto certo, não pode ser excessivamente cozido”, ensina Deborah.
 

Misturas fervorosas

Figo, parma e café são os protagonistas desse sanduíche nada convencional (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Figo, parma e café são os protagonistas desse sanduíche nada convencional
 
Foi em um passeio com a esposa pela Itália que Gustavo Urbano, proprietário do Il Basílico Bistrô, se deparou com uma das receitas mais afrodisíacas que ele oferece no restaurante. A ideia é inusitada e rica em sabores forte e marcantes. O sanduíche cru de figo (R$ 16) leva pão ciabatta tradicional, recheado com presunto de parma cru, figos em calda e café em pó.
 
“Substituí o figo in natura pelo em calda. A fruta brasileira tem um sabor muito suave. Para ter mais força, uso o de calda e limpo ele, para retirar o excesso de doçura”, explica Gustavo, que garante que o café é o toque final. “Ele não só é o que ajuda a misturar os sabores, como ele exalta tanto o presunto, quanto a fruta”, acrescenta.
 
Para quem procura uma refeição mais encorpada, ainda com toques afrodisíacos, a opção é o tortelone recheado (R$ 40) com ricota, pecorino, pera e mel. “O percorino é um queijo de ovelha, bem curado. O mel e a pera quebram o sabor forte do ingrediente”, finaliza.

A quiche de pralinê aposta nas amêndoas para aflorar a sensualidade do prato (Antonio Cunha/CB/D.A Press)
A quiche de pralinê aposta nas amêndoas para aflorar a sensualidade do prato
 

Licenciadas poeticamente

A quiche ainda é uma receita diferente para o brasileiro. A proposta de almoçar uma quiche, com salada e um caldo é uma ideia distante do que costumamos relacionar ao produto. Meio que na contramão, Valéria Moraes decidiu abrir o Viva la quiche, especializada na delícia francesa.
 
Para quem procura uma deliciosa sobremesa, a casa inova e lança as quiches doces. “A quiche doce é uma licença poética, pois na verdade essa é uma receita tradicionalmente salgada”, explica a proprietária. Segundo ela, para não se afastar da receita original, a ideia é trabalhar com a mesma massa, já o aparato — normalmente feito com leite, ovos e queijo — leva leite condensado no lugar do queijo, o que não só dá um toque brasileiro, como ajuda a massa a pegar uma consistência mais firme.
 
Entre as alternativas de sobremesa, a quiche de pralinê aflora a sensualidade dos ingredientes em uma mistura suave e delicada. “O recheio é feito com caramelo, nozes e amêndoas, picadas em pedaços e caramelizadas, como uma pralinê”, descreve. Na casa o cliente ainda encontra mais duas opções da tortinha doce: banana com canela e morango com Nutella. Todas as opções de quiche doce custam R$ 7,70.
 

Chocolate com pimenta

A combinação ousada aposta na harmonia de sabores entre o picante e o doce (Pedro Santos/Divulgação)
A combinação ousada aposta na harmonia de sabores entre o picante e o doce
 
Chocolate com pimenta é uma mistura ousada e popular, mas no Due trattoria e Bruschetteria, o lugar-comum sai da sobremesa e a combinação em um prato salgado: medalhão de filé-mignon regado ao molho de chocolate e guarnecido com risoto picante (R$ 59).
 
“Chegamos a essa receita por acreditar que essa combinação do doce com o picante se balanceia bem na boca”, relembra o proprietário Ivan Castro. Segundo ele, o chocolate entra com gordura no filé-mignon.
 
“Isso é muito bom, pois o filé é uma carne de sabor suave e sem gordura. Ela aguenta bem um molho mais gorduroso como esse”, ele explica e ressalta que o chocolate utilizado é um meio amargo para não ficar muito doce. “Já no risoto, fazemos uma mistura de pimentas, mas a dedo-de-moça se sobressai”, garante.
 
Outra alternativa, um pouco menos ousada, mas igualmente curiosa é o medalhão ao molho de framboesa, acompanhado pelo mesmo risoto picante. “Esse molho fica muito interessante, ao mesmo tempo que ele tem o sabor doce, a fruta é levemente azeda e leva isso para o molho”, pontua. Para finalizar, Taça Due (R$ 19), com sorvete, creme inglês e calda de framboesa.
 
Lorena Costa e o chocolate quente com cereja da Chocolateria Brasileira (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Lorena Costa e o chocolate quente com cereja da Chocolateria Brasileira
 

Amor de beber

O café é amplamente conhecido por ser uma bebida estimulante devido à concentração de cafeína —  o que ninguém costuma se lembrar é que aquela xícara vem também com uma dose de libido. Para quem curte a bebida, a Chocolateria Brasileira traz uma versão refrescante: o café mentolado (R$ 14) vem à mesa com um tiro curto de espresso, leite vaporizado e essência de menta. “É um café refrescante e a calda dá uma leve adocicada na bebida, fica muito interessante”, garante Lorena Costa, gerente da loja.
 
Outra alternativa para quem deseja fugir do lugar-comum nesta data é o chocolate quente, que nesse caso pode ser pedido com essência de cereja, o floresta negra (R$ 15), ou como o café, o chocolate quente mentolado (R$ 15). “Não é enjoativo porque nosso chocolate é levemente amargo, assim a essência não pesa demais no doce”, explica.
 
Segundo Lorena, a combinação já é um sucesso em outros formatos: “A gente vê muitos bombons recheados com licor de cereja, por isso acho que os clientes ficam curiosos para experimentar a versão do chocolate quente”.
  
 

ONDE COMER

Chocolateria Brasileira 
(CLSW 303, Bl. C, lj 12; 99620-1530), aberto de segunda a sábado, das 10h às 19h.
 
Due Trattoria e Bruschetteria 
(209 Norte, Bl. D, lj 59; 3532-1018), aberto de terça a sexta, das 18h à 0h, sábado, das 12h às 16h e das 18h à 0h; e domingo, das 12h às 16h.
 
Il Basílico Bistrô 
(SOF Sul, Q. 15, do lado do condomínio Prime Park Sul; 3028-1664), de quarta a sábado, das 18h30 às 23h; e domingo, das 12h às 15h30.
 
La Rubia Café 
(404 Norte, Bl. B, lj. 44, 3202-1717), aberto de terça a quinta, das 18h30 à 1h; sexta e sábado, das 18h30 às 2h.
 
Mazutan 
(201 Sul, Bl. C, lj. 19; 3226-9919), aberto de segunda a sábado, das 11h30 às 15h, e das 19h à 0h.
 
Miwa Donburi 
(SBS, Q. 2, lj 1, Ed. João Carlos Saad; 3321-0860), aberto de segunda a sexta, das 11h às 15h. Delivery, segunda, das 11h às 14h30; terça a domingo, das 11h às 14h30, e das 17h às 22h.
 
Risotti d’Oro 
(Brasília Shopping, 2º piso, Praça de Alimentação, lj. 224; 3033-2881), diariamente, das 11h às 22h.
 
Tabuada Tábuas&Drinks 
(CLSW 101, Bl. B, lj. 134, Sudoeste; 3526-8592), aberto de terça a quinta, das 18h à 1h; sexta e sábado, das 18h às 2h.
 
Viva lá quiche 
(407 Norte, Bl. B, subsolo, lj 88; 3033-4030), aberto todos os dias, das 11h30 às 22h, para delivery ou retirada na loja.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK