Brasília-DF,
26/ABR/2018

Gastronomia »

Confira dicas de pratos para não ficar mal alimentado durante o carnaval

O folião precisa abastecer o organismo para não pifar antes da hora. Veja como se alimentar bem para curtir o carnaval até o fim

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Beatriz Queiroz* - - Rebeca Borges* Renata Rios Vinicius Nader Publicação:09/02/2018 06:00Atualização:09/02/2018 09:09
Desde a década de 1930, quando Braguinha cantou, numa marchinha, que banana tem vitamina e faz crescer que a fruta de casca amarelada acompanha os foliões. O sambista não estava errado.  É preciso se alimentar bem — e se hidratar bastante.  

O Divirta-se Mais apresenta uma série de opções, como grãos, açaí e alimentos integrais que vão garantir: a alegria terminará só na quarta-feira.

A nutricionista Ana Luiza Matias afirma que “o ideal é consumir uma refeição completa em nutrientes, com carboidratos, proteínas e gorduras”.

No Dylan, os pães das torradas e sanduíches são 80% integrais, levando na massa centeio, trigo e farinha integrais e brancos.

Ana Luiza dá duas dicas preciosas: frutas e hidratação. No primeiro caso, a salada de frutas do Girassol ganha uma companhia de luxo: creme de castanhas. No segundo, vale apostar na indefectível água mineral, na deliciosa água de coco e em sucos, como o que combina manga e menta, do Bhumi.


Bebida energizante


Hidratação é essencial para se manter em pé nos dias de festa. A casa de produtos naturais Clover Detox, em Taguatinga, oferece diversas opções de vitaminas. Luana Machado, uma das proprietárias do estabelecimento, conta que as bebidas são opções ideais para quem busca energia. “Todas as nossas vitaminas têm uma base composta por fibras, com chia, quinoa, chá-verde ou chá de hibisco e gengibre”.

Além dessa combinação de ingredientes, as receitas contam com elementos adicionais, de acordo com o sabor de cada bebida. A vitamina de ameixa, por exemplo, leva abacaxi, ameixa, maçã e couve. Luana explica que as vitaminas são ótimas opções para quem pretende passar a tarde fora de casa: “além de ser um detox e te dar energia, é gostoso”.

O kit com cinco garrafinhas de vitaminas, de 300ml cada, custa R$ 34,99, e é ideal para quem vai curtir a semana inteira na folia: é só colocar a garrafa na bolsa e partir para o bloquinho! Entre os sabores, Luana indica tradicional (com chás, fibras e gengibre), maracujá, manga, ameixa e beterraba.
 
A Clover Detox tem cinco opções de vitaminas no cardápio (Luana Machado/Divulgacao)
A Clover Detox tem cinco opções de vitaminas no cardápio
 

Influência paraense

O pará é a grande inspiração para a energia do carnavalesco que for ao TNT Fit Food, no Sudoeste. Isso porque a fonte é o açaí, oferecido em vários tamanhos e com “adereços” diferentes.

“O açaí é calórico e, por isso, dá energia, o que é fundamental para quem vai às festas. A pessoa tem que se alimentar bem antes de pular carnaval porque, quando começa a beber, não come mais”, afirma Rafael Guimarães, proprietário do TNT Fit Food.

No endereço, a delícia paraense pura vem em três tamanhos: 300ml (R$ 13,90), 500ml (R$ 16,90) e 800ml (R$ 23,90). A fruta é batida na hora, com  polpa ou com xarope. “Recebo muitos clientes do Pará aqui. Eles preferem o açaí puro e eu acabo fazendo para quem quer”, explica Rafael.

Entre as receitas mais elaboradas com o açaí estão a Energy (R$ 8,90 — 350ml e R$ 12,90 — 600ml) e a TNT Vitamina (R$ 14,90 — 680ml). Na primeira, estão reunidos açaí, suco de laranja, xarope e guaraná em pó. No segundo caso, o açaí ganha a companhia de xarope, banana e leite ou água.

O TNT Fit Food ainda serve sanduíches, como o Hambúrguer fit (R$ 19,90 — 120g e R$ 23,90 — 180g), preparado no pão australiano caseiro, com aveia e mel. No recheio, hambúrguer de patinho, muçarela de búfala, cebola roxa, molho caseiro e alface americana. “Usamos o patinho porque é uma carne magra. O resultado é um hambúrguer mais saudável”, garante o empresário.

O açaí dá energia para quem quiser pular carnaval bem alimentado (Ana Carneiro/Esp. CB/D.A Press)
O açaí dá energia para quem quiser pular carnaval bem alimentado


Para folião arretado


Sucesso na culinária nordestina, o cuscuz é uma ótima opção para quem quer começar o dia entre confetes e serpentinas. No Raízes do Sertão, a chef Rosinha Magalhães prepara o prato em duas versões: recheado ou com leite.

Tradicional nas mesas de muitos brasileiros, o cuscuz cozido embebido no leite é acompanhado de ovos mexidos (R$ 14,90). Quem prefere uma proteína mais forte pode experimentar o cuscuz cozido e recheado com carne de sol desfiada (R$ 18,90). Segundo o sócio de Rosinha, Fabiano Martins, as receitas são saudáveis e garantem a saciedade do folião.

“É uma comida leve e que dá uma boa energia para pular no carnaval. Tem fibra, proteína, é pura energia. No Nordeste, se não comer cuscuz de manhã nem pula carnaval”, enfatiza, com bom humor.

Para acompanhar o prato, o café coado (R$ 5) é feito na mesa de acordo com o gosto do cliente. Mas as opções do Raízes do Sertão não param por aí. Especializado em tapiocas, o restaurante oferece recheios com preços que variam de R$ 5,50 a R$ 27,90.

A combinação entre cuscuz e café garante a animação para a folia inteira (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
A combinação entre cuscuz e café garante a animação para a folia inteira

Jeitão brasileiro


Arroz e feijão poderiam ser o mestre-sala e a porta-bandeira da escola de samba Brasil. A combinação acompanha os brasileiros desde pequenos e é uma das preferidas, de norte a sul do país.

Para garantir que as pessoas tenham esse gostinho de comida caseira mesmo ao comer fora de casa, surgiu o restaurante Pê Efe. “É para ser como o dia a dia, mas um almoço rápido, com substância e um bom preço”, explica Heric Drummond, que está à frente da casa desde setembro de 2015.

A combinação mais brasileira que existe é também uma receita infalível para sustentar os foliões no carnaval. O Pê Efe com peito de frango acebolado (R$ 16) traz arroz, feijão preto com caldo, farofa biju, vinagrete e a proteína. Para os que preferem a carne vermelha, o pê efe com bife de alcatra (R$ 19) é uma ótima opção.

O Pê Efe também oferece uma série de sanduíches e saladas, servidos a partir das 15h. Inspirados nos pratos da casa, eles são servidos em quatro sabores: americano (R$ 10), bife de alcatra suína acebolado (R$ 13), bife de alcatra acebolado (R$ 15) e peito de frango acebolado (R$ 12).

As saladas são feitas com alface, agrião, cenoura, tomate, rúcula, pepino e azeitona e são servidas nos tamanhos pequeno (R$ 9) e grande (R$ 12).

A combinação preferida do brasileiro é a premissa do Pê Efe (Antonio Cunha/CB/D.A Press)
A combinação preferida do brasileiro é a premissa do Pê Efe


As cores das frutas


As saladas de frutas são boas alternativas para quem precisa de energia. O restaurante Girassol, na Asa Sul, oferece, por R$ 6,90, um mix de maçã, banana-nanica, mamão-formosa, kiwi e tâmaras desidratadas. As frutas são acompanhadas por um creme de castanha de caju desidratada e água de coco verde.

Ros’Ellis Moraes, nutricionista e uma das proprietárias do estabelecimento, explica: “Essa salada de frutas é um prato rico, oferece energia e proteína”. Ros’Ellis também conta que o açúcar é substituído pelas tâmaras desidratadas, que adoçam o preparo.

O diferencial do prato é o creme de castanhas: “É um creme mais saudável, sem lactose, sem açúcar. Substitui os cremes convencionais, como o leite condensado.”, conta Rayane Taveira, uma das proprietárias da casa. Outra estrela do prato é a água de coco.“É uma água mais equilibrada e dá sabor na preparação”, explica Rayane.

O creme de castanhas que acompanha a salada de frutas é o diferencial da iguaria do Girassol ( Antonio Cunha/CB/D.A Press)
O creme de castanhas que acompanha a salada de frutas é o diferencial da iguaria do Girassol


Tradição e leveza


Quem tem planos de passar o dia dançando ao som das marchinhas carnavalescas pode abastecer as energias na Tapiocaria Maria Bonita. A casa oferece um vasto cardápio com opções de tapiocas e cuscuz.

O prato queridinho da casa é a clássica tapioca de frango (R$ 14,40), com frango desfiado, queijo, tomate e cebola. Nelci dos Santos, uma das proprietárias do estabelecimento, que funciona há 14 anos no Sudoeste, explica: “a tapioca é uma opção de alimento leve, que oferece carboidratos de fácil absorção no organismo. Como a goma não tem leite, é bom para quem é intolerante à lactose”.

Outro prato leve, sugerido pela proprietária da casa, é a tapioca de rúcula com tomate seco, que também custa R$14,40. Para quem busca um pouco mais de energia, a sugestão de Nelci são os cuscuzes, que variam entre R$8,50 e R$14.

A tapioca de frango é um dos pratos mais tradicionais da Tapiocaria Maria Bonita (Antonio Cunha/CB/D.A Press)
A tapioca de frango é um dos pratos mais tradicionais da Tapiocaria Maria Bonita


A estrela é o pão integral


O pão integral é o grande estandarte no Dylan Café Bakery para dar energia ao folião. Várias são as versões servidas na casa.

Em uma delas, a torrada de pão 80% integral (preparado com centeio e trigo integral e branco, além de farinha de trigo) vem acompanhada por manteiga de amendoim, bacon, banana e mel (R$ 19). Pelo mesmo preço, ela pode vir com cream cheese, shitake e tomilho fresco.

Se a ideia é comer um sanduíche, o pão 80% integral envolve pastrami, salada, maionese caseira, muçarela e rúcula — por R$ 29.

O detalhe é que o pão do Dylan é de fermentação natural e o processo leva até dois dias para se completar. “Por conta da longa fermentação, o carboidrato do nosso pão acaba sendo pré-digerido. Isso diminui a quantidade de glúten e o índice glicêmico”, afirma o proprietário do café, Fabrício Campos.

O mesmo princípio é usado na fabricação do brioche que serve de base para o cheeseburguer (R$ 34), recheado com hambúrguer de 200g preparado com mix de três carnes, queijos prato e gorgonzola, molho de pepino, cebola caramelizada e rúcula e tomate servidos à parte, num bowl.

Pão 80% integral e com fermentação natural é a base para a torrada do Dylan (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Pão 80% integral e com fermentação natural é a base para a torrada do Dylan


Ideal para o carnavalesco


Comida leve e energizante: a combinação perfeita para quem pretende passar a tarde na folia. Quem quiser se preparar para o carnaval pode se deliciar com os pratos do restaurante especializado em alimentação saudável Viva Leve, localizado na Octogonal.

O sanduíche Maresia (R$ 13) oferece uma combinação de ingredientes leves, que garantem vigor aos foliões. O clássico pão baguete com gergelim é a base do prato, que tem recheio de frango em tiras, alface crespa, tomate, queijo branco e requeijão.

Andressa Virgínia, proprietária do estabelecimento há 8 anos, explica: “O pão é uma ótima fonte de carboidratos, garantindo energia do começo ao fim da folia. O frango e o queijo são ricos em proteínas, complementando a alimentação para o carnaval junto com as fibras e vitaminas da alface e do tomate”.

O acompanhamento ideal para o sanduíche é a vitamina Viva leve (R$ 12 — 500ml), de leite, açaí, banana, xarope de guaraná e amendoim. “A mistura de leite e açaí garante cremosidade, proteínas, vitaminas e minerais, sustentando a brincadeira até o fim!”, explica Andressa.
 
 
O sanduíche Maresia é uma opção para quem pretende se saciar de forma saudável (Antonio Cunha/CB/D.A Press)
O sanduíche Maresia é uma opção para quem pretende se saciar de forma saudável


Sem sair da dieta


Os foliões que querem pular carnaval todos os dias precisam de bastante energia. Não é preciso deixar a dieta de lado nem optar por refeições pesadas. Ao menos não se você passar pelo Bhumi — Cozinha Orgânica e Saudável.

“Nossa sugestão sempre é muita água de coco, um isotônico natural que a natureza nos deu. Dar preferência para refeições leves como saladas e carnes brancas. Castanhas e frutas secas são ótimas companhias para manter o pique durante a folia”, pontua um dos proprietários da casa, Luiz Gustavo Manso.

Entre as saladas do restaurante está a Quatro estações (R$ 26,80). O mix de folhas orgânicas se mistura às castanhas e frutas secas, cenoura e beterraba raladas.

Para acompanhar, o suco de manga com menta (R$ 10,90) aproveita o período em que a fruta está por todos os lados e ainda garante a energia para a festa.

“O suco de manga é ótimo para a digestão e sistema imunológico, logo, ideal para aguentar o ritmo intenso do carnaval, mantendo a imunidade em níveis adequados mesmo que o cansaço seja alto”, garante Luiz Gustavo.

Os pratos do Bhumi são feitos com produtos orgânicos (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Os pratos do Bhumi são feitos com produtos orgânicos


ONDE COMER


Bhumi — Cozinha Orgânica e Saudável 
(113 Sul, Bl. D, ljs 33 e 34; 3345-0046), aberto de segunda a sábado, das 8h às 22h, domingo e feriado, das 8h às 16h.

Clover detox 
(QNG 41, Lt. 2, lj. 5, Taguatinga; 99191-6000), aberto de segunda a sexta, das 9h às 20h. A casa também funcionará no endereço QI 9, Lt.84A, em Taguatinga, a partir de amanhã, de segunda a sexta, entre 8h e 19h.

Dylan Café Bakery 
(315 Sul, bl. A, lj. 15; 3363-1294), aberto de terça a sexta, das 13h às 22h, sábado, das 9h às 22h, e domingo, das 8h às 14h.

Girassol 
(409 Sul, Bl. B, ljs. 15/16; 3242-1542), aberto de segunda a sexta, das 8h às 20h, e aos sábados, das 8h às 15h30.

Pê Efe 
(405 Sul, Bl. C, lj 2; 3242-5892), aberto todos os dias, das 11h30 às 22h.

Raízes do Sertão 
(309 Norte, Bl. E, ljs 8/9; 3037-9433), aberto de segunda a sábado, das 9h às 22h30.

Tapiocaria Maria Bonita 
(CLSW Qd. 104, Bl. C, Lj 8, Sudoeste; 3344-0646), aberto de segunda a sábado, das 8h às 21h30, e aos domingos, das 8h às 12h.

TNT Fit Food 
(CLSW 301, bl.C, lj.14; 3257-2777), aberto de segunda a sexta, das 12h às 22h; sábado, das 12h às 19h.

Viva Leve 
(Área Especial 3/8, Octogonal; 99293-2002), aberto de segunda a sábado, das 11h30 às 21h.
 
*Estagiárias sob supervisão de Vinicius Nader  

Tags: gastronomia

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK