Brasília-DF,
15/JUL/2018

Copa na tevê e na mesa: confira pratos com cores do mundo todo

Restaurantes da cidade aproveitam o Mundial para criar pratos inspirados em países como Rússia e França

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Borges* Renata Rios Publicação:15/06/2018 06:00Atualização:15/06/2018 10:18
Tem comida para todos os países (Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Pressee)
Tem comida para todos os países

Futebol é uma paixão nacional e quando chega a Copa do Mundo, então, o brasileiro para. Não existe nada que possa interromper uma partida da Seleção Brasileira ou um daqueles clássicos que todo mundo quer conferir. Mas, na verdade, tem uma coisa que dá para tirar uns segundinhos para apreciar durante os jogos: comida. Seja um petisco, seja uma refeição, seja uma sobremesa — todos eles ganham um espacinho com o torcedor.
 
O Divirta-se Mais selecionou casas que criaram pratos especialmente para o evento da Fifa. Tem um pouco de tudo e as referências rodam o mundo todo, indo do Brasil ao Japão, com diversas paradas pelo globo. Entre os estabelecimentos que optaram por homenagear a Rússia, o país-sede, vale destacar o Trinus Bar. O local, que apresenta uma proposta de drinques pelo mundo, oferece o borscht para a ocasião. Ele vem combinado com outros três drinques em uma espécie de pacote. “Esse é um drinque muito refrescante. Ele leva a beterraba e o hibisco, além da espuma de limão”, descreve Danilo Cavalcanti, mixologista da casa.
 
No Camarão Burger, a Rússia também é lembrada em sanduíche que leva pão de baguete, costela desfiada, camarões salteados, molho de cerveja, cole slaw e queijo muçarela. O local também apresenta uma versão tupiniquim, com pão de alho, hambúrguer de picanha, queijo coalho e maionese de vinagrete. Para finalizar, um clássico das copas e da gastronomia. O crepe suzette, mais que tradicional na França, será a aposta no C’est la vie, onde o proprietário, Rodrigo Quintiliano dará de brinde a sobremesa para os comensais que pedirem um creme nos dias de jogo da França. A boa gastronomia vai dar de goleada! 

*Estagiária sob supervisão de Vinicius Nader

O verde e o amarelo são as cores

Parece imperdível, não é mesmo? (Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Pressee)
Parece imperdível, não é mesmo?
 

 

Ainda um bairro com poucos restaurantes e comércio, o Noroeste dá os primeiros passos rumo a um cenário gastronômico. Na região funciona o 360 Grill e Pizza, espaço voltado para a gastronomia contemporânea. “Trabalhamos com ingredientes de qualidade, pois nosso público é muito exigente”, informa Danielle Martins, uma das sócias da casa, que é administrada pela família: João Salvador, pai; Rosangela, mãe; e Gustavo, irmão.
 
A partir das 18h o forno à lenha começa a funcionar. Para a Copa, o pizzaiolo ganhou carta branca e criou a pizza arretada (R$ 63,90) — carne de sol, pimenta calabresa e catupiry. “Nossa massa é diferenciada, foi preparada por um grupo de italianos e ficou muito boa”, destaca Danielle. Para quem não está no clima da pizza, a sócia destaca uma opção criada para o evento: o bife ancho com arroz com brócolis e farofa de ovos (R$ 39,90). “Nesse caso, quisemos oferecer não só um corte nobre, mas também trazer o verde e amarelo!”, explica.

Torcida turbinada!
Nos dias dos jogos do Brasil a casa conta com dose dupla de chope. A bebida sai por R$ 8,50 e a promoção é válida das 12h às 16h.

Drible no preconceito

A mistura de sabores do Camarão Burger aposta no surf%u2019n%u2019turf ( Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
A mistura de sabores do Camarão Burger aposta no surf%u2019n%u2019turf

 

O surf’n’turf é uma aposta cada vez mais recorrente nas casas de Brasília. A proposta de mesclar uma carne vermelha com um fruto do mar aparece em duas das receitas criadas para a Copa do Mundo no Camarão Burger. Um prato é inspirado na gastronomia mexicana e outro, na russa. A casa oferece, ainda, opções com referências ao Brasil e à Alemanha. Na montagem dos sanduíches, o cliente encontra, no México (R$ 43,61) pão de brioche, molho remoulade (picante), camarões salteados, muçarela, hambúrguer e picles de jalapeño. “A jalapeño dá um ardor rápido. Não é um sanduíche que deixa a boca ardendo”, explica o chef consultor da casa, André Amorim.
 
Ainda na proposta surf’n’turf, o sanduíche do país-sede traz pão de baguete, costela desfiada, camarões salteados, molho de cerveja, cole slaw e queijo muçarela (R$ 39,61). Para o Brasil (R$ 39,61), André escolheu a queridíssima picanha para o hambúrguer e, no lugar da muçarela, ele acrescenta queijo coalho. Para compor a criação, o chef destaca o pão de alho e a maionese de vinagrete. Para finalizar, André destaca a linguiça de camarão artesanal da casa, feita especialmente para o sanduíche da Alemanha (R$ 39,61), que leva ainda pão baguete, vinagrete de cebola e orégano e cream cheese com rondashe.

Um por dia
Cada dia um país será o homenageado no Camarão Burger. Terça é dia de México, quarta tem Rússia, às quintas será servido Alemanha e, sexta, é a vez do Brasil.

Gol de placa

A fusão do Peru e do Japão vem com tudo no Nikkei (Ed Alves/CB/D.A Press)
A fusão do Peru e do Japão vem com tudo no Nikkei
 

 

Duas gastronomias marcantes, a peruana e a japonesa, se revelaram uma ótima combinação, que até ganhou nome: Nikkei. Esse é o mesmo nome que batiza a casa onde o chef Miguel Ojeda comanda as caçarolas e se prepara para a Copa do Mundo. Vai ter fusão gastronômica entre a América Latina e o Oriente! Para receber os torcedores, o chef criou o lomo domburi (R$ 39,90). Desde o nome é possível ver a mistura do tradicional lomo salteado, do Peru, com o domburi, uma espécie de cumbuca japonesa — aquela do yakissoba. No preparo, o chef salteia legumes em uma woki com shoyo, mirim e siriracha — tudo verde, numa referência ao campo. No meio do prato, uma semiesfera de arroz, usando o domburi com carne, faz uma clara menção à bola de futebol.
 
“Esse é um prato com muitos sabores. Você consegue sentir um sabor de teriaki, devido à mistura de temperos, apesar de o preparo não levar o ingrediente”, garante. Ele ainda explica que os cubos de filé são salteados no mirim e no shoyo e o arroz escolhido é o mesmo do sushi. “O arroz dá uma pegada muito oriental para o prato, mas ele mantém a proposta da casa, que é a fusão das duas culturas gastronômicas”, explica Ojeda.

Arriba, México!

O prato México tem a picância como característica principal (Henrique Peron/Divulgação)
O prato México tem a picância como característica principal
 

 

Com um menu preparado especialmente para o Mundial, a Vivenda do camarão traz a mistura de ingredientes tipicamente brasileiros com itens da gastronomia global. Especializada em receitas com frutos do mar, a casa oferece cinco pratos em homenagem à copa do mundo. “Nos inspiramos em um dos momentos de maior diversão e entusiasmo do brasileiro, com os pratos típicos dos países selecionados”, explica Rodrigo Perri, sócio-diretor do restaurante.
 
Uma das iguarias de destaque do menu é a receita México (R$ 28,90), formada por massa ao molho bravo de camarão. A refeição conta com molho vermelho picante de pimenta dedo-de-moça. “O prato que representa o México é uma receita menos convencional do que as outras, unindo um dos ingredientes mais tradicionais da culinária mexicana, a pimenta, com uma das marcas que é referência no preparo de condimentos no Brasil, a Bravo”, afirma Rodrigo.
 
Todos os pratos especiais para a Copa do Mundo levam peixe ou frutos do mar no preparo. Além da receita que representa o México, a casa terá pratos em homenagem ao Brasil (R$ 22,90, escondidinho de camarão), à Inglaterra (R$ 27,90, fish’n chips ao molho Pale Ale), à Alemanha (R$ 28,90, tilápia grelhada com molho de mostarda escura e batata souteé) e à Espanha (R$ 24,90, massa ao alho e óleo com páprica e camarões). Os pratos ficarão disponíveis em todas as franquias da Vivenda do Camarão até o mês de julho.

Petiscos internacionais

Representando a Alemanha, o espetinho de salsichas é um dos petiscos servidos no Carpe Diem (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Representando a Alemanha, o espetinho de salsichas é um dos petiscos servidos no Carpe Diem
 

 

Há 27 anos no mercado, o Carpe Diem tem a Copa do Mundo como um evento marcado na história do estabelecimento. “A gente já passou por muitas Copas, e sempre temos essa tradição de transmitir os jogos”, explica Fernando La Rocque, chef e proprietário do estabelecimento. Nesta edição do Mundial, o Carpe Diem servirá espetinhos e finger foods. “As pessoas poderão comer um petisco rápido, se divertir, ver o jogo e gastar pouco”, ressalta Fernando.
 
Um dos destaques entre os espetinhos é o Alemanha (R$ 24). O petisco conta com salsichas alemãs , molho de mostarda e salada de batata alemã. “A salada de batatas é um acompanhamento que os alemães comem muito”, afirma o chef.
A casa oferecerá outras opções de espetinhos, como o França (R$ 24; filé e champignon ao molho quatro queijos e batata frita) e o Japão (R$ 20; coxa e sobrecoxa ao molho teriyaki com abacaxi grelhado e farofinha).
 
Outra opção são as finger foods, caso de batatas à portuguesa (R$ 15), empanadas argentinas (R$ 16). O combo com uma cestinha de finger food e dois chopes custará R$ 35.

Só clássicos em campo

A paella valenciana é um dos pratos típicos da Espanha (Rômulo Juracy/Divulgacao)
A paella valenciana é um dos pratos típicos da Espanha
 

 

Conhecido por trabalhar com diversos pratos da culinária internacional, o restaurante Oliver oferecerá um open food, de feijoada, ceviche e paella. “A feijoada tem tudo a ver com o Brasil. A paella e o ceviche já são dois clássicos do restaurante — os escolhemos pela expertise do estabelecimento”, afirma Diego Brada, chef do Oliver.
 
Um dos destaques entre os três pratos oferecidos no cardápio é a paella valenciana, receita mais tradicional da gastronomia espanhola. Além do arroz, ingrediente base do prato, a iguaria leva coxa e sobrecoxa de frango assadas, camarão, lula, mexilhão e açafrão da Espanha. 
 
“A mistura de frango e frutos do mar já é um casamento bem antigo na comida espanhola. É um prato de terra e mar, um clássico”, ressalta Diego.
Oferecido por R$ 120, o menu especial dará aos clientes acesso à vontade aos três pratos durante os jogos do Brasil. Além das receitas dedicados ao campeonato, o Oliver transmitirá as partidas de futebol em um telão. 

Rivalidade à flor da pele

Se o Brasil ganhar ou a Argentina perder, a Detroit fará promoção (Hyago Castro/Divulgação)
Se o Brasil ganhar ou a Argentina perder, a Detroit fará promoção
 

 

A Detroit Steakhouse conta com um espaço que já tem a infraestrutura voltada para a Copa do Mundo, com telas de LCD e a decoração no mais puro estilo americano. Além disso, a marca pensou em uma maneira divertida de ajudar os comensais a torcer pela seleção Canarinho no Mundial. Para cada vitória tupiniquim, o rodízio de costela e de aperitivos sairá por R$ 29,95. O mesmo vale para as derrotas dos nossos hermanos argentinos. O sócio-diretor da rede, Fábio Marques Jr. explica que a ação busca aproveitar a grande rivalidade que existe entre a seleção do Neymar e a do Messi, além de atrair o público com novidades por tempo limitado. “Pensamos em uma ação mais ampla do que nosso calendário promocional com as datas tradicionais”, explica.
 
Vale ainda ressaltar que é também nesse período da competição que será lançado o Detroit Gourmet Burger. São três opções para o cliente escolher, todas a R$ 29,95: Detroit Ribs & Onion (Babyback Ribs desfiada, onion rings, bacon, queijo cheddar e molho ranch), Detroit Egg & Burger (Hambúrguer Angus, cebola caramelizada, queijo cheddar, ovo e molho blue cheese) e Detroit Special Burger (Hambúrguer Angus, cebola caramelizada, queijo cheddar, bacon e molho Spirit of Detroit).

Metade francês, metade brasileiro

A galette é servida em formato hexagonal. Será um prenúncio do hexa? (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
A galette é servida em formato hexagonal. Será um prenúncio do hexa?
 

 

A culinária francesa é marca registrada do C’est la vie. O café e bistrô funciona desde 2015, sob o comando de Rodrigo Quintiliano, e oferece uma variedade de crepes, além de bufê nos horários de almoço. Para representar a França durante a Copa do Mundo, o proprietário do estabelecimento destaca duas receitas: a zucchini galette (R$ 32, no tamanho tradicional; R$ 28,50, o mini) e o crepe suzette.
 
A primeira delas é um clássico na França. A iguaria leva abobrinha salteada com queijo parmesão e alho-poró frito. “Ela é como um crepe, mas é feita com massa de trigo sarraceno e servida no formato hexagonal”, explica Rodrigo. Enquanto isso, o crepe suzette é uma sobremesa preparada com licor de laranja amargo. O suzette será servido como brinde no estabelecimento para quem pedir qualquer crepe do cardápio nos dias de jogos da França.
 
Apesar da tradição da casa, as receitas francesas não serão destaque no primeiro jogo do Brasil, neste domingo. Para esta partida, o C’est la vie vai ficar verde e amarelo! “A gente vai servir um bufê bem brasileiro, com pratos como milho cozido, feijoada, feijão-tropeiro, contrafilé grelhado, torresmo, tutu de feijão”, garante Rodrigo. O bufê custará R$ 67,40 (o quilo) e será servido a partir das 12h30. Além disso, o estabelecimento contará com samba e choro ao vivo para animar o jogo do Brasil.

Quatro estações

No Trinus Bar a proposta é levar o cliente para uma pequena viagem gastronômica pelas bebidas do mundo (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
No Trinus Bar a proposta é levar o cliente para uma pequena viagem gastronômica pelas bebidas do mundo
 

 

No Trinus Bar, o cliente se encontra em uma pequena estação de trem na capital. Os trilhos nas paredes e as bandeiras de diferentes países deixam claro que o tema da casa é viagem. “Usamos matérias-primas características de cada região do mundo”, explica Leandro Walter de Albuquerque, um dos sócios da casa. Para a Copa do Mundo, a casa não deixou a data passar em branco e sugere um combo com quatro drinques (R$ 59).
 
Para acompanhar algum dos petiscos, também temáticos na casa, o mixologista Danilo Cavalcante, sugere o borscht, da Rússia — à base de vodca, chá de hibisco e chub de beterraba; ou o flagge, da Alemanha — de cerveja e licores herbais. “O primeiro drinque é principalmente refrescante, mas tem toques florais e cítricos”, explica Danilo.
 
Sobre o drinque criando para o Brasil, Pindorama, preparado com licor de açaí, licor de banana e redução de coco, o chef explica: “escolhi fugir da caipirinha e usar ingredientes que remetam ao Brasil”. Para finalizar, El lord de los alfajores, da Argentina. Na taça comparecem conhaque, licor de cacau e doce de leite. “Esse é um drinque menos doce do que parece”, pontua.

Onde comer: 

360 Grill e Pizza 
(CLNW 10/11, Bl. C, lj 6, 7 e 8, Noroeste; 3968-1333), aberto segunda, das 12h às 22h30; de terça a quinta, das 12h às 23h; sexta e sábado, das 12h à 0h; domingo, das 12h às 23h.

Camarão Burguer 
(311 Norte, Posto BR), aberto de terça a quinta, das 17h33 às 22h57; sexta e sábado, das 17h03 às 23h29; domingo, das 17h03 às 22h57.

Carpe Diem 
(104 Sul; 3325-5301), aberto todos os dias, das 12h à 1h.

C’est la vie 
(408 Sul, Bl. A, lt 5; 3244-6353), aberto às segundas, das 11h30 às 15h30, de terça a quinta, das 11h30 às 23h30, às sextas, das 11h30 à 0h30, aos sábados 11h30 às 23h30, e aos domingos, das 11h30 às 23h.

Detroit Steakhouse 
(SCES, Tr. 2, Shopping Pier 21; 3225-8099), aberto diariamente, das 12h às 22h.

Nikkei Sushi Ceviche Bar 
(SCES Tr. 2, lt 32, Orla da ponte JK; 2099-2460), aberto segunda, das 19h à 0h; terça a sexta, das 12h às 15h e das 19h à 0h; sábado e domingo, das 12h à 1h.

Oliver 
(St. de Clubes Esportivos Sul, Tc 2; 3323-5961), aberto aos domingos e segundas, das 12h às 17h, e de terça a sábado, das 12h à 1h.

Trinus Bar 
(203 Norte, Bl. C lj 373797-4520), aberto terça e quarta, das 18h à 1h; de quinta a sábado, das 18h às 2h; domingo, das 17h às 23h.

Vivenda do Camarão 
(Pátio Brasil Shopping; Conjunto Nacional; Brasília Shopping; Boulevard Shopping e Taguatinga), aberto todos os dias, das 10h às 22h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK