Brasília-DF,
16/JUL/2018

Férias: que tal estimular as crianças a conhecer novos pratos e culturas?

O Divirta-se mais selecionou pratos populares entre o público infantil ao redor do mundo. Confira!

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Renata Rios Rebeca Borges* Publicação:13/07/2018 06:00Atualização:12/07/2018 17:37
O lamen faz sucesso entre as crianças japonesas e brasileiras  ( Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
O lamen faz sucesso entre as crianças japonesas e brasileiras

A infância costuma ser um período especial na vida de qualquer pessoa. É nessa época que se desenvolvem os corpos, a personalidade é talhada, e os gostos são descobertos! Claro que com o paladar não é diferente e esse é um momento para explorar sabores.

Aproveitando o mês de férias — período em que muitos pais se desdobram para criar situações e divertidas para os pequenos — o Divirta-se Mais sugere levar a criançada para uma volta ao mundo gastronômico. A ideia é simples: conhecer o que crianças de países diferentes comem no dia a dia, indo do Brasil ao Japão, com parada na Índia, Itália e até na França.

Dulcinéa Cassis, proprietária do Zahia, especializado em comida árabe, conta que a relação com a comida é muito importante. “O nosso primeiro contato com a comida é de afeto. Por isso, um está muito interligado ao outro. Para as crianças, a parte sensorial é muito forte, comer com as mãos, por exemplo, é um ótimo hábito para eles”, sugere Dulcinéa. Ela ainda destaca que a gastronomia árabe, além de muito saudável, vem com tudo na proposta de comer com as mãos.

Entre os franceses, por exemplo, não existe diferenciação, assim que possível os pequenos entram na rotina alimentar dos pais, independentemente de ser ou não saudável. “Não existem pratos infantis ou se cozinhar algo diferente para as crianças, se os pais estão comendo um prato repleto de legumes, as crianças comerão também. O mesmo acontece se a comida não for das mais saudáveis”, explica Serge Segura, proprietário da L’Amour du pain, um dos pontos para apresentar um pedacinho da França aos pequeninos.

* Estagiaria sob supervisão de Igor Silveira.

As refeições do Pê Efe acompanham arroz, feijão, farofa e vinagrete
 ( Antonio Cunha/CB/D.A Press)
As refeições do Pê Efe acompanham arroz, feijão, farofa e vinagrete

Clássico dos clássicos


Arroz, feijão, bife e farofa: essa é uma das refeições mais características das terras verde-amarelas. O prato agrada adultos e as crianças brasileiras e é uma combinação com garantia de sucesso. A iguaria é a especialidade do restaurante Pê Efe, que funciona há cerca de quatro anos. “A ideia é servir um prato para o dia a dia e que tenha cara de comida caseira. Tento trazer o que as pessoas comem em casa para o menu do restaurante”, explica Heric Drummond, proprietário do estabelecimento.

Entre as crianças, o cardápio do Pê Efe é sensação: Heric atribui a popularidade ao sabor de “comida da mamãe” das receitas. Todas as opções do menu levam arroz, feijão, farofa e vinagrete — a escolha da carne fica por conta do cliente. Um dos carros-chefes da casa é o PF com bife de alcatra acebolado (R$ 19). Outras alternativas são o PF com peito de frango (R$ 16), bisteca (R$ 16) e frango à parmegiana (R$ 17,50). Além disso, o estabelecimento oferece acompanhamentos como porções de ovo frito (R$ 2), batata frita (R$ 4,50) e salada (R$ 4,50).

“Hoje, eu percebo que as crianças querem almoçar comida caseira: arroz e feijão”, explica o proprietário sobre os hábitos alimentares mais saudáveis dos pequenos nos dias atuais. Ele conta que, durante o período escolar, muitos alunos escolhem o restaurante para fazer refeições durante o dia. As refeições do Pê Efe também são solução para pais e mães no período das férias escolares das crianças. Caso prefiram saborear o almoço em casa, o estabelecimento atua com serviço de delivery, com todo o cardápio disponível.


Novo endereço
Em breve, o restaurante Pê Efe ganhará uma loja na praça de alimentação do shopping Conjunto Nacional (Setor de Diversões Norte). O estabelecimento será uma alternativa para saborear comida caseira em meio aos fastfoods que ocupam os shoppings.

Gabriel Tessier, filho do chef Rosario, não esconde o sangue italiano e se esbalda com o bife à milanesa com batata frita (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A. Press)
Gabriel Tessier, filho do chef Rosario, não esconde o sangue italiano e se esbalda com o bife à milanesa com batata frita

Comida da mama


Entre os italianos, a tradição é simples: as crianças crescem com a comida da mama, que inclui entre muitas alternativas, espaguete com polpetine ou a massa à bolonhesa. Para quem quer fugir da massa, o chef da Trattoria da Rosario, Rosario Tesier, sugere a alternativa infantil do menu, o Cotolette alla milanese com patate fritte (R$ 61, para crianças maiores; R$ 49, opção para crianças muito pequenas). “O bife à milanesa é um prato do dia a dia. As crianças adoram, tanto na Itália quanto no Brasil”, garante Rosario. Segundo ele, no seu país natal, a receita pode ser feita com filé de frango ou de boi.
 
“Aqui, no restaurante resolvi fazer apenas de carne vermelha”, complementa Rosario, que ainda explica que antes de ser preparada, a carne passa pela farinha de trigo e ovo, depois ela é colocada no óleo bem quente. “A casca empanada ajuda a carne a manter a suculência”, promete o especialista.

Para os pais, a sugestão é a versão adulta do preparo. “Para os adultos, o lombo de cordeiro à milanesa (R$ 79), também com batata frita, é muito bem-aceito”, informa o chef, que garante uma carne suculenta e muito saborosa no preparo.

A opção vegetariana não deixa a desejar no PiauÍndia (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A)
A opção vegetariana não deixa a desejar no PiauÍndia

Com muito sabor


Quem leva os pequenos no PiauÍndia encontra mais do que apenas a gastronomia indiana. No local, o comensal se depara com um ambiente diferenciado, com diversas referências à cultura do país. “Temos cerca de 12 anos de projeto, três destes aqui na Vila”, revela Nicole Magalhães, proprietária da casa.

Entre os adultos e as crianças, Nicole Magalhães ressalta a falta de diferenciação na hora de se alimentar. “Lá, não se faz nada separado. A comida é a mesma, até na picância e nos temperos, não se diferencia”, pontua a chef. Para apresentar aos pequenos tupiniquins de cá, Nicole aproveita para sugerir duas opções, uma vegetariana e outra vegana. Ambas as bases de cogumelo, as receitas vêm acompanhadas de salada, legumes, grãos, chapati, chutney e arroz. “Mudamos os acompanhamentos de acordo com a sazonalidade dos insumos”, pontua Nicole.

A opção vegetariana se trata de cogumelos eryngui, creme de leite fresco, batata e couve-flor (R$ 49) a outra alternativa é o Thali de cogumelos (R$ 56), com os cogumelos eryngui e abobrinha frescos e cortados e finas tiras, salteados no óleo de babaçu, ao molho massala de tomate, pimentão vermelho e especiarias.

A Three Burgers oferece opções de hambúrgueres bovinos, suínos e para o público vegano e vegetariano
 (Monique Renne/CB/D.A Press)
A Three Burgers oferece opções de hambúrgueres bovinos, suínos e para o público vegano e vegetariano

Hambúrguer repaginado


Quando se fala na culinária dos Estados Unidos, o hambúrguer é um dos pratos que logo vem à mente. Popular entre as crianças, a iguaria é a especialidade do restaurante Three Burgers. Há sete anos, o estabelecimento trabalha com a proposta de atender a diversos tipos de público. “A ideia era ter opção para todo mundo. Temos alternativas de hambúrguer para vegetarianos e veganos”, conta Shirley Soares, proprietária da loja.

“Hoje em dia o hambúrguer é mais gourmetizado, não é aquela coisa do junk food que deixa os pais preocupados”, afirma Shirley. No Three Burgers, os pratos são preparados com carne de alta qualidade. Segundo a proprietária do estabelecimento, essa característica garante uma carne macia e menos gordurosa. Para as crianças, a sugestão de Shirley é o burger infantil (R$ 18,90), com um hambúrguer de 70g de queijo, salada, batata frita e molho. “Os molhos são feitos na própria casa”, explica a proprietária sobre os preparos disponíveis nos sabores maionese, aioli, cebola teriyaki e chutney de manga.

Além disso, a casa também serve hambúrgueres de 170g e 240g (a partir de R$ 28,90), preparados diferentes tipos de carne, como cordeiro, e uma opção vegana, com cogumelos shitake e berinjela.

O lamen é famoso entre o público infantil e apresenta ingredientes coloridos, tornando a refeição mais divertida
 ( Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
O lamen é famoso entre o público infantil e apresenta ingredientes coloridos, tornando a refeição mais divertida

Gostoso e divertido


Diversas receitas japonesas são apreciadas por crianças. Entre elas, as massas costumam fazer sucesso, como explica Sérgio Kano, proprietário do restaurante Goemon. “É muito comum as crianças pedirem lamen aqui”, conta. A casa funciona desde 2001 e oferece diversas iguarias do Japão no menu.

“Entre as crianças japonesas, as massas mais populares são o udon e o lamen”, afirma Sérgio. A primeira é preparada com farinha de trigo e água, e conta com caldo à base de alga, shoyu e cogumelo shitake fresco. “No Japão, ele é vendido pronto nos mercados, o que facilita a vida das mães”, conta. No Goemon, a iguaria é um dos carros-chefes. O prato pode ser oferecido com filé bovino, cebola e ovos (R$ 32) ou com lombo suíno à milanesa, cebola e ovos (R$ 34).

Outro sucesso entre o público infantil é o lamen, preparado com farinha de trigo, ovos e água. A refeição leva caldo à base de galinha e de carne suína. “O caldo leva cerca de 12 horas para ficar pronto e é temperado com shoyu e sal”, conta Sérgio. A iguaria (R$ 36) acompanha legumes, lombo de porco assado, ovo cozido e massa de peixe.
 
Sonho comum entre os pais, na china as crianças comem muitos legumes e verduras (Antonio Cunha/CB/D.A Press)
Sonho comum entre os pais, na china as crianças comem muitos legumes e verduras

Muitos legumes


A postura em relação à alimentação dos pequenos muda de país para país. Entre os que integram a criança na rotina diária, em vez de criar opções separadas para os pequenos, está a China. No local, a alimentação da criançada conta com muitos legumes e, dependendo da região, muito arroz ou muito macarrão. Entre os preparos que fazem parte da gastronomia chinesa, o frango xadrez é um prato que funciona tanto entre os pequenos de lá,quanto com os daqui no Restaurante China.

O frango xadrez tradicional vem com pimentões, cebola e amendoim e sai por R$ 53, servindo de duas a três pessoas. “Entre as crianças daqui, o frango xadrez puro (R$ 62, para duas a três pessoas) é o favorito. Elas não gostam muito de verde, normalmente, por isso os pais pedem muito essa alternativa só com o frango”, esclarece Yung Tisui, sócia do Restaurante China.

Yung ainda sugere o arroz colorido (R$ 20) como acompanhamento. “Por estar picadinho, misturado, as crianças acabam comendo o arroz, que vai com cenoura, ovos e cebolinha, por exemplo”. Ainda para agradar aos pequenos brasileiros, o Ninho de batata palha com frango xadrez é um queridinho. “Nesse prato, o frango xadrez puro vem à mesa sobre a batata palha”.

A empanada é uma opção de lanche popular entre as crianças argentinas (João Teles/Divulgação )
A empanada é uma opção de lanche popular entre as crianças argentinas

Queridinhas argentinas

A Argentina é famosa pela alta produção e consumo de carnes, mas tem outras iguarias de sucesso na culinária. As receitas do país podem ser encontradas no restaurante Toro Parrilla que, há sete anos, oferece pratos típicos da Argentina, do Uruguai e do Rio Grande do Sul.

Famosas entre os “hermanos” argentinos, as empanadas são a sugestão do chef Hélio Rodrigues para as crianças (e adultos) que quiserem saborear a gastronomia do país vizinho. “As empanadas são como um lanche, e são tão populares na Argentina quanto o nosso pastel brasileiro”, explica. Sucesso entre as crianças, a receita é de preparo simples.
 
A iguaria é uma massa composta de farinha de trigo, misturada com sal e banha de porco derretida. “Toda massa deve levar uma gordura. A banha de porco ajuda a dar mais sabor e textura”, conta Hélio”. Depois de ter o recheio adicionado — que pode ser de diversos sabores —, a massa é assada.

No Toro, as empanadas (R$ 9,50) estão disponíveis nas opções de carne, frango e caprese (com queijo, tomate e manjericão). O chef conta que a iguaria pode ser apreciada no café da manhã, lanche da tarde ou como entrada, no almoço ou jantar.

Os quibes da Dona Yolanda são uma homenagem à avó de Dulcinéa Cassis, proprietária do local (Ana Rayssa/Esp.CB/D.A Press. )
Os quibes da Dona Yolanda são uma homenagem à avó de Dulcinéa Cassis, proprietária do local

Para comer com as mãos!


A milenar gastronomia árabe conquista corações de crianças e adultos. Os preparos diversos, que podem ser comidos com a mão, ou em uma refeição mais formal. “As crianças naturais de lá costumam se adaptar a gastronomia árabe. Isso é interessante, pois a gastronomia árabe tem como característica ser muito saudável, usando grãos, cereais integrais e pouca carne”, pontua Dulcinéa Cassis.

Entre os preparos que a casa oferece, Dulcinéa destaca o Quibe da Dona Yolanda (R$ 28, com 8 unidades). “Esse é um quibe frito pequeno, mas ao contrário do que se encontra muito, ele é oco. Isso o torna ótimo para comer com pastinhas, por exemplo”, sugere a proprietária. Ela ainda revela que a receita a acompanha durante toda a vida.
 
“Minha avó fazia esses quibes quando eu era criança. Vejo que, assim como eu gostava, as crianças que vêm comer aqui também gostam”, garante.
Para quem vai com os pequenos e pretende ampliar as opções, além do bufê de almoço (a partir de R$ 47, o quilo), com diversas opções árabes, o Super Mezzi (R$ 89) é uma ótima alternativa. “Esse é um combinado com quatro pastas, quibe cru, rabanete, pepino, pão, quatro bolinhos de falafel, quatro quibes ocos e quatro esfirras pequenas”, descreve Dulcinéa, que garante que o pedido é um sucesso com os pequenos.

O croque-monsier é uma receita consumida por todas as idades na França (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A)
O croque-monsier é uma receita consumida por todas as idades na França

Receita especial


Não existe essa história de um preparo diferenciado para os pequenos entre os franceses. No país, as crianças, seja para o bem, seja para o mal, comem o mesmo que os adultos, tão logo quanto possível. “Devido à correria, os pais acabam oferecendo bastante massa, ovo, legumes”, lista o francês Serge Segura, proprietário do L’Amour du Pain.

Entre as alternativas que costumam fazer sucesso com os pequenos — e os crescidos — Serge indica o croque-monsier (R$ 21) — pão de forma artesanal, mostarda djon, molho bechamel com parmesão, presunto e gruyère —, esse é um preparo clássico. 
Na França, ele é uma espécie de lanche especial, tanto para pais quanto para filhos. Ele não tem hora, é um quebra fome”, explica. Vale ressaltar que a casa ainda possui outras duas versões do sanduíche: uma versão com salmão, queijo de cabra, abobrinha e espinafre, além do tradicional bechamel (R$ 24), uma com mostarda djon e mel (R$ 21).

Outro preparo que faz a festa entre os pequenos franceses e a criançada brasileira é o pain au chocolat (R$ 7). “Esse pão costuma ser vendido nas escolas, para as crianças lancharem no intervalo”, relembra Serge, que ainda garante que a receita arranca suspiros de todas as idades.

Festa da Bastilha
Na noite desta sexta-feira (13/7), os comensais podem desfrutar de uma festa que a casa organiza para celebrar a queda da Bastilha. “A data é na verdade no dia 14, mas lá, já estaremos no dia certo”, explica Serge. Sobre o evento, ele explica que serão servidos um prato de charcutaria, um prato de queijos e uma taça de vinho (R$ 55, sem vinho, R$ 75, com vinho). O local ainda vai contar com uma apresentação da banda Gipsy Jazz Club.

Onde comer:


China Restaurante
(103 Sul, Bl.D, lj 2; 3224-3339), aberto de segunda a sexta, das 11h30 às 14h30 e das 19h às 23h, e sexta, sábado e domingo, das 11h30 às 15h30 e das 19h às 23h.

Zahia
(CLSW 301, BL. B, lj 1, Sudoeste; 3201-6121), aberto de segunda a sábado, das 11h30 às 22h.

Piauíndia
(Acampamento Pacheco Fernandes, Vila Planalto; 3574-4234), aberto terça e quarta, das 12 às 15h, e sábado, das 12h às 17h.

L’amour du pain
(115 Sul, Bl. B, lj 10; 3525-5909), aberto todos os dias, das 7h às 22h.

Pê Efe
(405 Sul, Bl. C, lj 2; 3242-5892), aberto todos os dias, das 11h30 às 22h30.

Trattoria da Rosario
(SHS QI 17, Bl. H, lj 215, Lago Sul; 3248-1672), aberto de terça a sexta, das 12h às 15h e das 19h à 0h, sábado, das 12h às 16h e das 19h à 0h, e domingo, das 12h às 17h.

Toro Parrilla
(104 Sul, Bl. C, lj 29; 3225 0494), aberto segunda, das 12h às 15h e das 19h às 22h30, de
terça a quinta, das 12h às 15h e das 19h à 0h, sexta, das 12h às 16h e das 19h à 0h, sábado, das 12h às 17h e das 19h à 0h, e domingo, das 12h às 15h.

Goemon
(CLSW 105, Bl. C, Sudoeste; 3233-8441), aberto de terça a sábado, das 12h às 14h30 e das 18h30 às 23h30, e domingo, das 12h às 14h30.

Three Burgers
(413 Norte, Bl. E, ljs 63 e 67; 3033-3136), aberto de terça a quinta, das 17h30 às 23h30, sábado e domingo, das 17h30 à 0h, e domingo, das 17h30 às 23h30.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK