Brasília-DF,
20/OUT/2017

Fundador do Coletivo Criolina, DJ Pezão conta como faz para curtir a cidade

Entre noites e viagens de trabalho, Pezão, como é conhecido no meio artístico, arranja tempo na capital federal para ir a shows de amigos e conciliar lazer e trabalho

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:05/07/2013 06:01
Surfar no Paranoá nas manhãs de sábado é um dos programas preferidos de Pezão e da esposa Ana Stella (Paula Froes/Esp. CB/D.A Press)
Surfar no Paranoá nas manhãs de sábado é um dos programas preferidos de Pezão e da esposa Ana Stella

Um dos fundadores do Coletivo Criolina, referência em discotecagem em Brasília, Tiago Machado, 35 anos, gosta do fim de semana em família, seja em casa com amigos, seja nadando no Lago Paranoá. Entre noites e viagens de trabalho, Pezão, como é conhecido no meio artístico, arranja tempo na capital federal para ir a shows de amigos e conciliar lazer e trabalho. “Cada churrasco em casa, cada roda de música, cada encontro com meus amigos pode render novos projetos”, diz o DJ, que mantém a já consagrada festa semanal (homônima ao coletivo) às segundas-feiras, no Bar do Calaf, com os parceiros Barata e Oops.

Sábado

Manhã

Pezão gosta de aproveitar o dia, sair no sol. Portanto, começa o sábado indo nadar no lago com a mulher. Morador do Setor de Mansões do Lago Norte, ele afirma que não foi à toa que procurou viver perto do Lago Paranoá. Além disso, ele e a esposa, Ana Stella, têm prancha em casa e adoram conciliar a natação matutina com um surfe nas “ondas” do “mar” brasiliense. “Temos várias ‘praias’ gigantes em Brasília e o lago é lindo e limpo, mais pessoas deveriam aproveitar”, recomenda.

Tarde

Almoçar fora às vezes ou reunir os amigos para comer em casa, tudo isso temperado com bastante música. Dos batuques em casa, nascem futuros projetos, já que, segundo o DJ, “lazer e trabalho se encontram em minha vida”. Na hora em que está sozinho, Pezão diz achar “um exercício, uma terapia” cuidar do quintal de casa, cortar a grama.

Noite

Figura tarimbada na discotecagem brasiliense, Pezão tem muitos amigos músicos e DJs. As noites de sábado, quando livres, servem para ir a alguma festa ou show dos colegas do ramo. “Meus amigos brasilienses são meus maiores ídolos. Para mim, é muito mais proveitoso e importante ir ao show deles do que ao de uma megaestrela internacional”, resume.

Domingo

Manhã

Para o DJ, é sagrado não fazer nada na manhã de domingo. “Quem é músico e DJ trabalha muito, apesar de as pessoas acharem que quem vive de música está sempre fazendo farra. Portanto, é o momento da minha semana em que mais descanso”, explica.

Tarde

Almoço em família é outro ritual sagrado para Pezão. Mãe, irmãos, mulher, sogro, sogra, cunhados, todos estão lá. Logo depois de comer com os parentes, ele começa a preparar a semana: lê jornais e revistas para se informar, arruma arquivos. “Preparo o que alimenta meu trabalho”, sintetiza. Quando o dia parece mais longo e a disposição permite, o DJ ainda aproveita a tarde de domingo para praticar skate no Eixão do Lazer

Noite

O domingo à noite é o momento de preparar o que vai ocorrer na segunda-feira, dia da festa semanal do Criolina, no Bar do Calaf. “Preparo os flyers, tudo o que precisamos, e procuro dormir cedo, porque a noite seguinte já é de trabalho”, diz. Um adendo que Pezão faz questão de enfatizar: as quatro cadelas que ele e Ana Stella criam. “Todas são vira-latas, a melhor raça”, frisa. “Gosto muito do quarteto. Procuro passar muito tempo com elas, minha mulher e meus amigos. Sempre vai rolar um churrasquinho, uma roda de música, e assim segue…”, afirma.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]