Brasília-DF,
20/OUT/2017

Atriz Patrícia Del Rey divide tempo livre aos fins de semana entre amigos

Quando resolve diminuir o ritmo das baladas, a artista opta por programas mais leves, como um piquenique para contemplar o pôr do sol brasiliense

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:22/11/2013 06:03
A atriz gosta de passar tempo com amigos nos bares (Pollyana Sá/Divulgação)
A atriz gosta de passar tempo com amigos nos bares
A atriz Patrícia Del Rey, que também se dedica a fazer intervenções urbanas com o Coletivo Transverso, gosta de passar tempo com amigos nos bares. As noites de sábado e de domingo terminam nos botecos da cidade. Quando resolve diminuir o ritmo das baladas, a artista opta por programas mais leves, como um piquenique para contemplar o pôr do sol brasiliense e uma visita à feira de alimentos orgânicos perto de casa.

Sábado

Manhã
O dia não começa tão cedo, já que a artista vive noites agitadas na sexta-feira e descansa da “correria da semana”. Após acordar, ela visita uma feira de alimentos orgânicos ao lado de casa, perto do Jardim Botânico. Outro programa é se encontrar com um artista da cidade. “Adoro visitar o poeta Nicolas Behr no Viveiro Pau-Brasília. Lá, a conversa sempre é divertida, e ainda tem uma rabada tradicional no barzinho ao lado, com direito a cervejinha e aula de poesia”, conta Patrícia.

Tarde
Patrícia gosta de exposições e de galerias de arte. Uma modalidade em particular é sua preferida: as casas-ateliês, com destaque para o Espaço Laje (708 Sul), a Galeria Ponto (716 Norte) e o Sindicato (705 Sul). “Outra pedida é escutar uma música gostosa e se deleitar com o melhor cheesecake de Brasília, no Objeto Encontrado (102 Norte)”, sugere.

Noite
É hora de reuniões com amigos, nas casas ou nos botecos. A parte gastronômica não é muito light. “Gosto de saborear os crepes do In The Garden (413 Norte) e pecar com a picanha do Paulicéia (113 Sul)”, diz. Após os comes e bebes, a vontade de ir para casa fala mais alto do que a tentação de mergulhar na balada.

Domingo

Manhã
O horário é dedicado ao trabalho com o Coletivo Transverso. “A gente se encontra, coloca os sprays e as máscaras no carrinho de feira e caminha por Brasília. É delicioso olhar a cidade de outro ângulo, e esbarrar com espaços, ideias, telas perfeitas para nossa tinta e poesia”, explica.

Tarde
Programas com cara de domingo: fazer um piquenique e ver o pôr do sol, aproveitar os parques e a orla do lago. “Costumo comprar o kit d’O Realejo (site de delivery), do chef Eduardo Sedelmaier, e o pão de azeitona da padaria francesa La Boutique (413 Norte) para dar um toque gastronômico na minha cesta de piquenique”, indica.

Noite
O período começa com uma ida ao teatro ou a alguma mostra de cinema. O final é bem brasiliense. “Finalizo a noite com os amigos no Beiras Norte (107 Norte)”, resume.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]