Brasília-DF,
22/FEV/2018

Fela Anikulapo-Kuti é inspiração para espetáculo O jogo subterrâneo do espírito

O espetáculo será exibido de sexta a domingo no Teatro Plínio Marcos da Funarte Brasília

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:26/07/2013 06:21

Rodrigo Santos revê a trajetória de Fela Kuti no monólogo O jogo subterrâneo do espírito, na Funarte (Silvana Marques/Divulgação)
Rodrigo Santos revê a trajetória de Fela Kuti no monólogo O jogo subterrâneo do espírito, na Funarte

A vida e as ideologias do músico multi-instrumentista, compositor e ativista político nigeriano Fela Anikulapo-Kuti (1938-1997) é a fonte de inspiração de O jogo subterrâneo do espírito, monólogo que o ator Rodrigo dos Santos encena de sexta-feira (26/7) a domingo (28) no Teatro Plínio Marcos da Funarte Brasília. Multinacionais, imperialismo, corrupção, religião, tradicão e música são alguns dos temas tocados pelo texto, escrito e dirigido pelo próprio Rodrigo.

Fela Kuti criou o movimento cultural e o gênero musical conhecido como afrobeat e construiu uma trajetória que, oscilando entre a polêmica e a reverência, exerceu grande influência na estética teatral negra e em alguns elementos da cultura africana bem conhecidos no Brasil — como a dança dos orixás, o candomblé, a capoeira d’Angola e o hip-hop. Usando a música como arma, combateu os abusos cometidos pela ditadura militar e pelo governo civil na Nigéria.

O jogo subterrâneo do espírito começa quando Fela Kuti — que nasceu em Abeokuta, capital do estado nigeriano de Ogun — retorna à Nigéria, depois de longa turnê pelos Estados Unidos, trazendo na bagagem uma nova consciência política, influenciada pelo pensamento dos Panteras Negras e de Malcom X. A ação se estende até a morte do protagonista, em Lagos. No palco, Rodrigo estabelece uma relação direta entre o texto e a plateia, tornando-a participante do espetáculo.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES