Brasília-DF,
23/OUT/2018

Pinóquio é criado no sertão brasileiro em adaptação com os costumes do Nordeste

O toque final da adaptação fica por conta da narrativa, que é contada em repente, uma tradição folclórica brasileira que mistura métrica, rima e canto

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:06/09/2013 06:05Atualização:05/09/2013 17:22
Gepeto trabalha na construção de Pinóquio: história é contada em repente e cantada ao vivo por banda de forró (Cia Néia e Nando/Divulgação)
Gepeto trabalha na construção de Pinóquio: história é contada em repente e cantada ao vivo por banda de forró
A clássica história de Gepeto e de seu boneco Pinóquio é transportada para o sertão brasileiro no espetáculo Pinóquio no sertão, em cartaz sábado (6/9) e domingo no Teatro da Escola Parque (307/308 Sul; 3901-1546). Na adaptação da Cia. Néia e Nando, Pinóquio é neto de Gepeto, um nordestino que faz bonecos de argila. Outros personagens do conto italiano de Carlo Collodi também recebem características da região: a fada madrinha é uma baiana, o dono do circo se chama Severino, e a raposa e o gato do mato são substituídos pelo carcará e pela onça pintada.

O toque final da adaptação fica por conta da narrativa, que é contada em repente, uma tradição folclórica brasileira que mistura métrica, rima e canto. Os cenários e os figurinos também ganham roupagem nordestina por meio de elementos típicos da cultura dessa região. Para completar, a trilha sonora do espetáculo é feita ao vivo por uma banda de forró.

Saiba mais...

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES