Brasília-DF,
16/OUT/2018

Pela primeira vez em Brasília, espetáculo exibe vida de mulher abandonada

A peça é uma coletânea das histórias narradas pela norte-americana da poeta Dorothy Parker

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Publicação:04/10/2013 06:06Atualização:04/10/2013 08:51

Birolli dá vida a Alice: abandonada pelo namorado em um sábado à noite  (Deca Produções/Divulgação)
Birolli dá vida a Alice: abandonada pelo namorado em um sábado à noite
A escritora, jornalista e poeta americana Dorothy Parker nasceu em 1893, mas a irreverência de seus contos ainda é atual, principalmente para Adriana Birolli. Nascida quase um século depois, em 1987, a atriz protagoniza a peça Manual prático da mulher desesperada, em cartaz nesta sábado (5/10) e domingo (6) no Teatro dos Bancários. O espetáculo é uma coletânea das histórias narradas pela norte-americana. Em cartaz no país desde 2007, a montagem vem a Brasília pela primeira vez.

 

No manual didático e com tom tragicômico, Birolli é Alice, uma mulher abandonada pelo namorado em pleno sábado à noite. Nada mais justo do que desabafar com o manicure e amigo Celinho antes de ir a uma boate e conhecer Everton (ambos interpretados pelo ator Alex Barg).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ficou a cargo do diretor Ruiz Bellenda a tarefa de transformar em peça os textos de humor ácido de Dorothy Parker, que fez críticas afiadas em prol da igualdade de direitos civis e ao papel feminino na sociedade.


Assim como Alice, Birolli já se viu diante de situações que deixam inquietas qualquer mulher, como esperar a ligação de um pretendente. Porém, quando se trata de relacionamentos, a atriz acredita que muitas já não esperam a iniciativa masculina. “Somos livres para escolher como queremos agir em relação ao amor”, afirma a atriz.

 

Duas perguntas para Adriana Birolli

Você já se identificou com alguma das situações vividas por Alice, sua personagem no espetáculo?


Quem nunca ficou esperando alguém ligar e o telefone não toca? Acho que essa é a cena mais comum de se ver no cotidiano desse momento delicado de espera pelo amor. A espera de um telefonema, ele diz que vai ligar e o telefone não toca... Será que é hora de tomar uma atitude ou é o momento de esperar? Esse dilema é colocado já na primeira cena do espetáculo.

Mesmo considerada uma peça de humor, o Manual... traz reflexões sobre relacionamentos?


Sem dúvida! A comédia sempre teve a função de trazer questões importantes à sociedade, e é isso que nós fazemos também. Nos divertimos com as situações, mas elas também nos fazem refletir.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES