Brasília-DF,
21/FEV/2018

Baseada em estudo do psicanalista, peça fala sobre jovem que se apaixona por uma mulher mais velha

Escrita pelo paulista Ronaldo Ventura, a peça abre temporada em Brasília com direção de Luana Proença

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vanessa Aquino Publicação:24/01/2014 07:00

Cena de Camélia: espetáculo foi vencedor da 6º Seleção Brasil em Cena
 (	Estúdio Califórnia/Divulgação)
Cena de Camélia: espetáculo foi vencedor da 6º Seleção Brasil em Cena

A história de uma garota que se encanta por uma mulher mais velha é o ponto de partida do espetáculo Camélia: o que há de mais gracioso. Escrita pelo paulista Ronaldo Ventura, a peça abre temporada em Brasília com direção de Luana Proença.

O espetáculo é inspirado no caso de uma paciente homossexual publicado por Freud por volta de 1920. O autor descobriu que a protagonista viveu até os 100 anos. Relacionou-se com uma mulher casada e, apesar de tantas paixões, esse foi seu único e verdadeiro amor até o fim da vida.

Ventura é ganhador do prêmio LGBT do Ministério da Cultura em 2009, com o projeto Trilogia lésbica. “Eu luto e escrevo para que as pessoas possam amar quem elas quiserem e não quem as outras pessoas querem que elas amem”, diz.


Serviço : Camélia: o que há de mais gracioso
Até 16 de fevereiro, de quinta a domingo, às 19h, no Centro Cultural Banco do Brasil (SCES, Tc. 2, Cj. 22; 3108-7600). Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia). Não recomendado para menores de 18 anos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES