Brasília-DF,
25/SET/2018

Espetáculo que se passa no século 19 discute as conquistas femininas na sociedade

A peça Casarão ao vento estreia nesta sexta-feira (21/2) às 19h, no CCBB

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Publicação:21/02/2014 06:50

Ilhadas em uma casa abandonada, irmãs expõem fragilidades no texto de estreia de Francisco Alves (João Julio Mello/Divulgação)
Ilhadas em uma casa abandonada, irmãs expõem fragilidades no texto de estreia de Francisco Alves

Há quem pense que nunca houve melhor época para ser mulher como o século 21. Elas podem votar e serem votadas. Tornam-se presidentes e têm espaço no mercado de trabalho. Tantas conquistam surpreenderiam Nísia Floresta, ícone do feminismo nacional. Durante nove anos, o carioca Francisco Alves debruçou-se sobre o trabalho da escritora potiguar que, no século 19, lutou pela igualdade de direitos no país. Dessa pesquisa, nasceu o primeiro texto para teatro, Casarão ao vento. O resultado conquistou os jurados na etapa carioca do projeto Seleção Brasil em cena. Agora, é a vez de Brasília conhecer a obra, adaptada pelo diretor Marco André Nunes, com estreia nesta sexta-feira (21/2) às 19h, no CCBB.

Em Casarão ao vento, um pai concede a mão de três filhas em casamento ao perder uma aposta em uma briga de galo. Horas antes de subir ao altar, as três protagonistas decidem se encontrar em um casarão abandonado. A pressão psicológica aumenta na mesma medida em que uma tempestade se inicia. A chuva que cai as deixam ilhadas e permite que as irmãs exponham seus fantasmas. “O texto é fictício, mas reflete a real condição feminina na sociedade atual, que continua muito discutível”, argumenta Francisco Alves.

 “Dentro do contexto de um desconfortável casamento forçado, debatemos temas que vão de representação política a relacionamentos”, completa o autor. Francisco Alves criou os diálogos com um pé na história e no combate de Nísia Floresta, outro em sua própria sensibilidade. Ele revela que, ao se deparar com o texto pela primeira vez, o diretor Marco André pensou ter sido escrito por uma mulher.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES