Brasília-DF,
20/FEV/2018

Exposição de Yayoi Kusama combina loucura com um bom humor e muita cor

A inspiração da artista surge durante as alucinações que a acometem em um hospital psiquiátrico

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Nahima Maciel Publicação:21/02/2014 06:53Atualização:20/02/2014 12:47

A mostra Obsessão infinita é composta também por instalações de espelhos e luzes (Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
A mostra Obsessão infinita é composta também por instalações de espelhos e luzes

O mundo de Yayoi Kusama é encantado pela combinação de loucura com uma estética bem-humorada e colorida. Em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), Obsessão infinita é uma retrospectiva da artista japonesa cuja obra transita entre o universo pop, a vanguarda dos anos 1970 e a biografia da autora.

Kusama sofre de transtornos da personalidade e vive em um hospital psiquiátrico há mais de quatro décadas. Durante as alucinações que a acometem, a artista costuma ver bolinhas coloridas, as mesmas reproduzidas em muitas de suas instalações e pinturas.

É pelas bolinhas que o trabalho da Kusama costuma ser reconhecido, mas seu universo inclui também uma série de outras formas reproduzidas em objetos sempre conectados com a realidade da artista. Uma sala de espelhos tem milhares de flashes de bolas disparados enquanto o público se confunde com a sensação de infinito.

Em uma série de objetos, Kusama amontoa pênis e formatos fálicos, ou então acumula esculturas de comidas e utensílios de cozinha para falar de seu temor diante de tudo que possa penetrar seu corpo. “As bolas”, avisa o curador Philip Larratt-Smith, “são uma metáfora do ser humano e do espaço, como se fôssemos bolinhas no espaço.”

 

Visita guiada para todas as idades

A ideia de estar ausente que marca a obra da japonesa Yayoi Kusama vai guiar o projeto educativo do CCBB.

Enquanto a exposição Obsessão infinita estiver em cartaz, um programa montado para visitantes adultos e crianças vai colocar à disposição do público monitores familiarizados com a obra da japonesa e preparados para fazer visitas guiadas pelas três galerias da exposição. A ideia é que os educadores sirvam de ponte entre o público e as obras.

Como parte do projeto, o Laboratório de Ações Criativas vai receber o público com atividades que vão permitir a interação com a obra.
Kusama sofre de um distúrbio da personalidade que faz com que se sinta ausente, embora seu corpo esteja presente.

O conceito de ausência de si mesma permeia praticamente toda a obra da artista e é com ele que as oficinas vão trabalhar. O público será convidado a se camuflar com projeções dos motivos estampados na obra da artista.

Uma sala multimeios foi reservada para que o público também possa se expressar. Nas paredes brancas, os visitantes poderão colar adesivos com as bolinhas coloridas de Kusama.

 Além das ações planejadas para Obsessão infinita, o público do CCBB terá à diposição um programa de contação de histórias. Em cantos e contos, os contadores utilizam textos populares para explicar a arte contemporânea.

Os horários para grupos que quiserem visitar a exposição de Kusama devem ser agendados, mas visitas de uma em uma hora estão programadas para o público durante os dias de semana. Já o Laboratório de ações criativas acontece às 13h, aos sábados e domingos. 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES