Brasília-DF,
21/JUN/2018

Espetáculo Viva o Samba comemora os 100 anos do gênero musical mais popular do Brasil

Martinho da Vila, Alcione, Diogo Nogueira e Roberta Sá são os convidados do projeto

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Irlam Rocha Lima Publicação:21/03/2014 07:00

Espetáculo Nivea Viva o Samba: Diogo Nogueira, Alcione e Martinho da Vila  (	Leo Aversa/Divulgação)
Espetáculo Nivea Viva o Samba: Diogo Nogueira, Alcione e Martinho da Vila

Apoteose do samba

"eu sou o samba/ A voz do morro sou eu mesmo sim senhor/ Quero mostrar ao mundo que tenho valor/ Eu sou o samba/ Sou natural daqui do Rio de Janeiro/ Sou eu quem levo a alegria/ Para milhões de corações brasileiros". É com alto astral, cantando A voz do morro, de autoria de Zé Keti, que Martinho da Vila, Alcione, Diogo Nogueira e Roberta Sá abrem o espetáculo Viva o Samba.

Os quatro sambistas são os convidados do projeto promovido pela Nívea, com o qual são comemorados os 100 anos do gênero musical mais popular do Brasil. O brasiliense vai poder assistir ao show gratuitamente, dia 6 de abril, às 17h, na Praça das Fontes do Parque da Cidade.


Durante o show, eles interpretam individualmente e em duos clássicos como Feitiço da Vila (Noel Rosa), A flor e o espinho (Nelson Cavaquinho e Guilherme Brito), O mundo é um moinho (Cartola), Poder da criação (João Nogueira e Paulo César Pinheiro), Pressentimento (Elton Medeiros e Hermínio Bello de Carvalho) e Foi um rio que passou em minha vida (Paulinho da Viola). O final apoteótico — quando os quatro voltam a juntar as vozes — é com Aquarela brasileira (Silas de Oliveira) e Isto aqui o que é (Ary Barroso). Classificação indicativa livre.


Artista múltiplo

O cantor e ator carioca Alfredo Del Penho brilha fazendo vários personagens — inclusive e principalmente, Gonzaguinha — no musical Gonzaga, a lenda, de João Falcão, em cartaz desta sexta (21/3) a domingo (23), no Teatro da Caixa. Artista múltiplo, ele estava no elenco de Sassaricando, espetáculo sobre a história de marchinhas carnavalescas, que cumpriu temporada, durante o último verão, no Teatro Tereza Raquel, em Copacabana, no Rio de Janeiro. No segundo semestre, Del Penho volta à cidade para, ao lado de Pedro Paulo Malta, participar do Samba de bamba, outro projeto da Caixa Cultural. Não recomendado para menores de 12 anos.

Protesto sutil

Um dos alvos da ditadura, Chico Buarque, com sutileza, fustigou o regime militar, em várias músicas. No Cale-se, show que farão em 1º de abril, no Feitiço Mineiro, Pecê Souza e Salomão di Pádua, interpretarão canções como Angélica, Apesar de você, Não existe pecado ao sul do Equador, Samba de Orly e Vai passar, composta por Chico naquele período. Não recomendado para menores de 18 anos.


Funk carioca

A próxima edição do Baile da Favorita, em 29 próximo, terá como local o Centro Internacional de Convenções (Setor de Clubes Sul, próximo à Ponte JK), com discotecagem de Tubarão e Helen Sancho. Haverá a participação de MCs convidados. Não recomendado para menores de 18 anos.

Guitarra baiana

Atração da próxima semana do Clube do Choro, no projeto que homenageia João Donato, com show da próxima quarta a sexta-feira, Armandinho Macedo comemora em 2014 os 50 anos de carreira — ele começou a tocar em trio elétrico ainda criança. Para celebrar a data, o guitarrista e bandolinista lança em breve o álbum Guitarra baiana e grava o DVD Sinfonia Afro Baiana, com a participação do Ilê Aiyê, Olodum e Ara Ketu. Não recomendado para menores de 14 anos.

Bandas oitentistas

O hard rock do Guns N´ Roses e o punk rock da Plebe Rude estarão lado a lado na próxima terça-feira. A banda brasiliense vai abrir o show da banda norte-americana, no Ginásio Nilson Nelson. Contemporâneas, ambas surgiram nos anos 1980. Não recomendado para menores de 16 anos.

Viva Odair!

A cantora Maria Alcina, que recentemente lançou o CD De normal basta, os outros, comemorativo dos 40 anos de carreira, volta à cidade segunda-feira (dia 24). Imediatamente, ela se junta ao elenco de cantores e atores nos ensaios de Eu vou tirar você deste lugar — As canções de Odair José, musical com roteiro e direção de Sérgio Maggio, que estreia em 5 de maio, no teatro do CCBB.

Loca festa

Os DJs Gabriel Faro, Leandro Rossini, Flávio Galvão e Clara Coutinho, do coletivo Bailito Soundsytem, comandam a festa dos dois anos do Loca Como Tu Madre Gastropub (306 Sul), sábado (22), das 21h às 23h, tocando black music, indie, house e MPB, num set que vai de Sidney Magal a Britney Spears. Antes, a partir das 16h, Luciana Duanny e Wash comandam as picapes, enquanto Drezin fecha a programação, já na madrugada de domingo. Não recomendado para menores de 18 anos.


Bem sofisticado

A cantora Virginia Feu Rosa, intérprete sofisticada que inclui em seu repertório canções de Tom Jobim, Chico Buarque, Frank Sinatra e Ella Fitzgerald, solta a voz nesta sexta (21), às 19h, no Caleuche (310 Norte). Quem a acompanha é o violonista Cairo Vitor. Classificação indicativa livre.


Bossa jazz

Outros mares é o nome do CD que o baterista e compositor Di Steffano lança em apresentação pelo projeto Sextas musicais, nesta sexta (21), às 20h, no auditório da Casa Thomas Jefferson (606 Norte). Instrumentista identificado com a bossa jazz e o jazz fusion, no show ele tem a companhia de Jeferson Alves (piano), Moisés Alves (trompete) e David Nery (baixo). A entrada é franca. Classificação indicativa livre.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES