Brasília-DF,
20/JUN/2018

Praça será palco de shows de grandes nomes da música de resistência à ditadura

O Museu Nacional da República receberá o grupo Tarancón e o grupo da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Nahima Maciel Publicação:11/04/2014 06:05
 Tarancón: o som da América do Sul a favor da democracia
 (Wanderlei Pozzembom/CB/D.A Press)
Tarancón: o som da América do Sul a favor da democracia

Eduardo Galeano, 73 anos, homenageado da 2ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, faz a palestra de abertura do evento hoje, às 20h30, no auditório do Museu Nacional da República. Autor de As veias abertas da América Latina, ele é também um dos nomes emblemáticos da crítica à colonização e às ditaduras no continente.

Jornalista exilado durante o regime militar uruguaio nos anos 1970, Galeano é enfático ao apontar como a colonização europeia e a influência hegemônica dos Estados Unidos selaram o destino da América Latina.

Em seu último livro, Os filhos dos dias, ele reconta a história da humanidade a partir da perspectiva da cultura maia: cada dia do ano corresponde a um acontecimento histórico e importante na vida do continente latino-americano.

Depois da fala de Galeano, o grupo Tarancón sobe ao palco para o show de abertura do evento, às 22h, ao lado da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, na Praça do Museu Nacional da República. O golpe de 1964 será um dos temas recorrentes dos debates da Bienal. O evento terá ainda uma série de shows de artistas que fizeram da música um instrumento de luta contra o regime.

Formado por seis músicos de origem uruguaia, brasileira e espanhola, o Tarancón vai recuperar canções dos anos 1970, quando os shows eram censurados, e os integrantes, perseguidos pelos militares.

“Vamos pegar o trabalho que fazíamos na época, quando dava aqueles rolos todos”, garante Emilio Nieto, vocalista e flautista do Tarancón.

Uma das características mais marcantes do grupo é a mistura de ritmos e instrumentos da América Latina, como cajón, zamponha e charango.

Tarancón

Praça do Museu Nacional da República (Esplanada dos Ministérios). Hoje, às 22h. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES