Brasília-DF,
20/JUN/2018

Ellen Oléria e Paulinho Moska apresentam show em homenagem a Vinicius de Moraes

O espetáculo Canta Vinicius integra a programação do festival comemorativo do centenário do Poetinha

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Irlam Rocha Lima Publicação:09/05/2014 06:12
Ellen interpretará as canções 'Chega de saudade' e 'Berimbau' (Diego Bresani/Estudio California)
Ellen interpretará as canções "Chega de saudade" e "Berimbau"

Ellen Oléria e Paulinho Moska juntam as vozes no show Canta Vinicius, no próximo dia 14, às 20h, no Auditório Máster do Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O espetáculo integra a programação do festival comemorativo do centenário do Poetinha, do qual fazem parte, também, peça teatral e debates sobre a obra do homenageado.

No Canta Vinicius, Ellen e Moska — dirigidos por Pedro Martins — vão interpretar clássicos, como Arrastão, Berimbau, Canto de Ossanha, Chega de saudade, Insensatez, Minha namorada e Samba da bênção. Não recomendado para menores de 14 anos.

Chico e Sampaio

Cordelista e forrozeiro, Chico Salles botou o pé no samba. No recém-lançado CD, Sérgio Samba Sampaio, o paraibano, radicado no Rio de Janeiro desde os anos 1970, revela uma das facetas da obra do cantor e compositor capixaba, autor de sambas-canções com letras bem-humoradas, inteligentes e ainda atuais.

Hoje, Chico canta o repertório do disco — que teve a participação de Raimundo Fagner, Zeca Baleiro e Zeca Pagodinho — em que são destaques Cada lugar na sua coisa, O que pintar, pintou e História do boêmio (Um abraço em Nelson Gonçalves), em show no Feitiço Mineiro. Antes, Edmar Oliveira, que escreveu o texto de apresentação do álbum, autografa o livro Terra do fogo. Não recomendado para menores de 18 anos.

Na estrada

Em comemoração aos 30 anos de carreira, Zeca Pagodinho está na estrada com o a turnê Vida que segue, nome também do DVD lançado em 2013. No próximo dia 24, o sambista chega à cidade para apresentação na Villa Mix (Vila Planalto). No show, ele canta clássicos como o autoral Camarão que dorme a onda leva, Aquarela brasileira (Silas de Oliveira), O sol nascerá (Cartola e Elton Medeiros) e sucessos que marcaram sua trajetória, entre os quais Brincadeira tem hora, Judia de mim, Samba pras moças e, claro, Deixa a vida me levar. Não recomendado para menores de 18 anos.

Rock clássico

A banda inglesa Uriah Heep, destaque do rock setentista, ao lado de Led Zeppelin e Black Sabbath, está sendo anunciada como a grande atração da 29ª edição do Ferrock, que vai ocorrer de 23 a 25 próximos, na Praça da Administração, em Ceilândia. De acordo com a produção, outros destaques do festival são as paulistas Made in Brazil e Patrulha do Espaço e a capixaba Mukeka di Rato. Classificação indicativa livre.

Temática popular

A Feira de Caruaru e de São Cristovão (Rio de Janeiro) e o mercado Ver o Peso (Belém) serão temas da próxima Mimosa Noite, em 17 próximo, no Arena Futebol Clube. A balada, conhecida dos descolados brasilienses, terá no comando das picapes os DJs Biondo e Daniel Black e a participação de convidados.

Em homenagem

O cantor, compositor e violonista Sérgio Duboc será homenageado por músicos da cidade na quarta-feira próxima, no Teatro dos Bancários (314/315 Sul). No show, sob a coordenação do pianista e maestro Rênio Quintas, já estão confirmadas as participações de Eduardo Rangel, Célia Porto, Aloísio Brandão, Flávio Fonseca e dos grupos Liga Tripa e Mambembrincantes. Classificação indicativa livre.

Música incidental

O tecladista Mú Carvalho, do A Cor do Som, grupo que se reúne eventualmente para apresentações, assina a trilha sonora da peça Enfim, nós, com Maria Clara Gueiros e Ricardo Tozzi, em cartaz de hoje a domingo, às 21h, no Teatro da Unip (913 Sul). Ele utilizou músicas incidentais e efeitos sonoros na produção. Não recomendado para menores de 14 anos.

Jovem chorão

Tiago Tunes, outro talentoso bandolinista brasiliense que tem Hamilton de Holanda como referência, brilha em rodas de choro espalhadas pelos quatro cantos da cidade. Amanhã, a partir das 13h, ele estará ao lado de Fernando César (violão 7 cordas), Pedro Vasconcellos (cavaquinho) e Valerinho Xavier (pandeiro), no projeto Vila do Choro, No Vila Madá (Deck Norte/ Lago Norte). Classificação indicativa livre.
 
Tributo & crítica

Com total domínio de cena e exibindo uma voz potente e bem modulada, Eriberto Leão “revive” com propriedade o lendário Jim Morrisson, vocalista da banda norte-americana The Doors, no musical Jim, e aproveita para criticar o rock brasileiro atual por “falta de atitude”. O espetáculo, que lotou o teatro do Espaço Brasil 21 (Setor Hoteleiro Sul), no fim da semana passada, volta a ser apresentado, naquele palco, de hoje a domingo, às 21h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES