Brasília-DF,
22/FEV/2018

Exposição Luzescrita apresenta obras baseadas em poesia e luz

Mostra multimídia, que traz mais de 30 obras entre instalações, fotos, vídeos e poemas onde a luz é o instrumento principal de criação

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:13/05/2014 06:00Atualização:12/05/2014 15:42
Mostra Luzescrita - Luz e Poesia (Divulgação)
Mostra Luzescrita - Luz e Poesia

A partir de terça-feira (13/5), a Caixa Cultural Brasília apresentará mais de 30 obras dos artistas Arnaldo Antunes, Walter Silveira e Fernando Lazlo, na exposição Luzescrita, que reunirá entre instalações, fotos, vídeos e poemas em que a luz é o instrumento principal de criação.

Materiais como pólvora, lâmpadas e metal são matérias-primas utilizadas para conceber as obras, e tendo a luz como protagonista principal: sol, fogo, projetores e sinalizadores, todos utilizados para escrever e dar formas às palavras.

Saiba mais...
Criado em 2010, o projeto, tinha como ideia inicial a elaboração de um livro, mas quando apresentado ao diretor artístico do ICCo e curador Daniel Rangel, ele percebeu que havia material suficiente para formar um exposição.

A mostra é divida em duas salas: A Sala Clara, que estão expostas as fotografias, que são o resultado final dos trabalhos, e na Sala Escura, onde estão os vídeos, objetos e instalações de luz. A mesma essência está presente em toda a exposição, fundindo a poesia e artes visuais, analógico e digital, abstrato e concreto, efêmero e eterno, todos explorados tanto no conteúdo como na forma da obra.

A exposição, que já percorreu diversas cidades brasileiras, como Salvador, Rio de Janeiro, Curitiba e outras, já esteve em Portugal, durante a 16ª Bienal de Vila Nova de Cerveira. Segundo Daniel Rangel, a mostra Luzescrita nunca é a mesma, sempre acrescida de novas poesias e instalações.

O projeto tem a ambição de sempre se renovar, acreditam que, de uma exposição nascem outros textos que levam a outras instalações e a exposição vai crescendo. Exemplo da obra Noite, que é o objeto inédito exibido na sala escura da exposição em Brasília, e pode vir a ser uma fotografia na sala clara da exposição seguinte a esta.

No dia da abertura, o curador da exposição, assim como os artistas Arnaldo Antunes, Fernando Laszlo e Walter Silveira, farão, uma visita guiada aberta ao público. A mostra fica em cartaz até o dia 6 de julho e é livre para todos os públicos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES