Brasília-DF,
19/FEV/2018

Discussão familiar é o ponto de partida da peça 'Ninguém falou que seria fácil'

O roteiro segue em cartaz até 1º de junho, no teatro Caixa Cultural

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Publicação:23/05/2014 06:08Atualização:23/05/2014 12:30
Comédia não linear parte de discussão entre marido e mulher (Renato Mangolin/Divulgação)
Comédia não linear parte de discussão entre marido e mulher

Mesmo com diversos prêmios na bagagem, o ator, autor e diretor Felipe Rocha não se acomoda nas sessões de Ninguém falou que seria fácil, comédia do grupo Foguetes Maravilha em cartaz na cidade. O espetáculo começa com uma discussão entre o casal Pedro e Ana. Algum dos dois esqueceu a filha de três anos, Marina, em uma movimentada avenida. A troca de farpas entre eles, ambos na casa dos 20 anos, é o ponto de partida da trama, que escancara dilemas da paternidade e da infância.

Não há protagonista, antagonista ou elenco de apoio: a sintonia entre os atores Felipe, Renato Linhares e Stella Rabello é quase perfeita. Todos interpretam o pai, a mãe e a filha em diferentes etapas da vida e outros personagens. Nas próximas semanas, Rocha será substituído pelo brasiliense Emanuel Aragão.

O título, uma espécie de anunciação, dá ao espectador a dimensão do que ele encontrará nos 90 minutos do espetáculo. Ninguém falou que seria fácil não é uma peça simples. Pode confundir quem vai ao teatro com expectativas de assistir a uma trama convencional — numa das cenas, o trio simula um ménage à trois com elementos de dança contemporânea. Tudo acontece de maneira não linear, porém de maneira fluida, tendo como norte a máxima dos tempos modernos: tudo ao mesmo tempo agora, sem pausas ou respiros. Como a vida.

Ninguém falou que seria fácil

Caixa Cultural (Setor Bancário Sul, Qd. 4, Lotes 3/4; informações 3206-9448). Com o grupo Foguetes Maravilha. Texto de Felipe Rocha e direção de Alex Cassal. Sexta e sábado (23 e 24/5), às 20h; e domingo (26/5), às 19h. Até 1º de junho. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Não recomendado para menores de 14 anos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES