Brasília-DF,
23/JUN/2018

Peça 'Trabalhos de amor (quase) perdidos' faz releitura de texto de Shakespeare

Na adaptação, o rei virou o prefeito e seu par é uma rainha do morango, figura típica das festas agrícolas

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Mariana Vieira Publicação:04/07/2014 06:11
Montagem leva universo de Shakespeare para o interior de São Paulo (Luis Gustavo Prado/Divulgação)
Montagem leva universo de Shakespeare para o interior de São Paulo

De navarra, na Espanha, para José Bonifácio, no interior de São Paulo. Esse foi o caminho percorrido, entre memórias de infância e elementos culturais, pela professora e atriz Valéria Rocha, diretora e cenógrafa responsável pela adaptação de Trabalhos de amor (quase) perdidos, de William Shakespeare.

“Escolhi esse texto porque é um clássico, mas resolvi usar elementos da minha cidade natal, no interior”, explica a diretora. No texto original, um rei, preocupado com a educação dos súditos, baixa um decreto. Os homens da cidade devem seguir à risca os juramentos firmados: não praticar relações sexuais, comer pouco e dormir apenas três horas por dia. Aquele que descumprir os juramentos será acusado de traição. Tudo sai dos eixos quando a filha de um rei vizinho é enviada à cidade para cobrar uma dívida, e ela se envolve com o rei local.

Na adaptação, o rei virou o prefeito e seu par é uma rainha do morango, figura típica das festas agrícolas. “É uma forma de aproximar a peça do público. Também temos os elementos de catira do Goiás, ritmos nordestinos e uma quadrilha contemporânea”, ressalta.

Tags: celular

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES