Brasília-DF,
15/OUT/2018

Festival de rock goiano completa 20 anos e comemora com bandas de várias cidades

Matanza (RJ), Cachorro Grande (RS) e Mundo Livre S/A (PE) estão entre as atrações

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Juliana Figueiredo Publicação:05/12/2014 06:20Atualização:04/12/2014 12:27


Os gaúchos da Cachorro Grande mostrarão faixas de Costa do Marfim (Cisco Vasques/Divulgação)
Os gaúchos da Cachorro Grande mostrarão faixas de Costa do Marfim
O goiânia noise festival — festival de rock independente mais antigo de Goiás e segundo mais antigo do Brasil (só perde para o Abril Pro Rock) — celebra 20 anos com uma programação especial, hoje, no Centro Cultural Oscar Niemeyer, amanhã e domingo, no Centro Cultural Martim Cerere.

Nesta data comemorativa, o evento recebe bandas que se destacaram em edições anteriores. Matanza (RJ), Mundo Livre S/A (PE) e Relespública (PR), por exemplo, são nomes que já passaram mais de uma vez pelos palcos do Noise e estão de volta à programação. Goiânia também foi uma das primeiras cidades onde os gaúchos da Cachorro Grande, que estão com disco novo na área, o Costa do Marfim, tocaram fora do Rio Grande do Sul.

“Além de chamarmos bandas que fazem parte da nossa história, outro princípio foi valorizar a cena de Goiânia e mostrar como esses 20 anos serviram para consolidar a produção local. Muitos meninos começaram a tocar porque viram no festival uma vitrine para a música que desejavam fazer, como Overfuzz, Bang Bang Babies, Carne Doce e Girlie Hell”, conta Leonardo Razuk, um dos produtores do evento.

A essas bandas, somam-se atrações que tocam pela primeira vez no festival, como Barizon, Daniel Groove, The Dead Pixels e Dr. Mao, nova banda do ex-vocalista dos Garotos Podres (este, sim, um nome que já esteve no Noise). “É um festival bem diverso em termos de estilos, linguagens, tendências e sotaques. Nenhuma das três noites é segmentada por estilo”, completa Razuk.

Ao lado dos criadores do festival, Leo Bigode e Márcio Jr., desde a sétima edição do evento, Razuk acredita que a longevidade do evento se deve ao empenho de todos os envolvidos. “O principal motivo é a persistência. Nunca deixamos de realizar uma edição, mesmo nas piores condições. Se não temos recursos, fazemos menor, mas não deixamos de fazer. Costumamos falar que o Noise é igual carnaval. Tem todo ano”, brinca e comemora o produtor.

 

Goiânia Noise Festival
Hoje, às 19h, no Centro Cultural Oscar Niemeyer  (Av. Dep. Jamel Cecílio, nº 4.490; 3201-4900) Sábado e domingo, às 16h, no Centro Cultural Martim Cererê (Rua 94-A S Setor Sul; 3201-4688), 20º Goiânia Noise Festival. Ingressos: R$ 40 (meia-entrada). Não recomendado para menores de 18 anos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES