Brasília-DF,
15/DEZ/2018

Kung-fu é indicado para todas as idades e pode ajudar tratamentos médicos

Alguns estilos são inspirados na mitologia chinesa, mas a maioria da arte marcial surgiu da observação do movimento dos animais

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:20/02/2015 06:35
 Lutador de kunf-fu Leandro José Rosa  (Arquivo Pessoal)
Lutador de kunf-fu Leandro José Rosa

Aos 15 anos de idade, Leandro José Rosa caiu de uma altura de seis metros e teve um desvio de coluna. Ele resolveu se submeter a um tratamento de acupuntura e — por sorte — a pessoa que cuidou dele era mestre de kung-fu. Aos poucos, o especialista o convenceu a praticar o esporte. Vinte e cinco anos depois, Leandro se tornou professor da modalidade em duas academias de Samambaia e diz que o kung-fu mudou sua forma de ver a vida.

“Nunca tinha feito nenhum tipo de luta. Depois do acidente, consegui ter mais disciplina. Uma vez, falei para o meu mestre que iria parar por falta de tempo. Ele propôs que eu fizesse aulas das 5h às 6h. Aceitei o desafio, fui persistente e consegui continuar”, conta.

O kung-fu é a mais antiga das artes marciais. Alguns estilos são inspirados na mitologia chinesa, mas a maioria deles surgiu da observação do movimento dos animais, como o Garra de Águia, o Louva-a-Deus e o Doze Punhos do Dragão. Os benefícios para quem pratica são vários, entre eles a perda de peso e o fortalecimento da fibra muscular.

Leandro explica que, por ter uma base filosófica, a arte marcial mexe com o psicológico das pessoas. “Com a prática, o aluno fica mais tranquilo, diminui a agressividade, pensa mais para agir. Depois de um tempo, você percebe isso em quem era meio rebelde. O kung-fu traz tranquilidade e, com isso, retarda o envelhecimento, tudo fica sereno”. Não há idade para lutar. A academia de Leandro recebe desde crianças de 5 anos a idosos de 66 anos. Apesar de ser um exercício solo, muitas famílias costumam aderir à prática. “Há casais, primos, pais e filhos. É todo mundo muito unido”, diz.

Qualquer um pode aderir à arte marcial, que exige mais técnica do que força, mas, antes de começar, é preciso uma avaliação médica. “É muito mais seguro fazer uma atividade após o aconselhamento de um especialista. Há alguns que chegam com problemas respiratórios ou de coluna e é preciso ajustar o exercício; eles não podem fazer atividades de explosão, por exemplo”, explica Leandro. As maiores dificuldades para quem está começando são a disciplina e o condicionamento físico. “Mas três meses de prática é um bom tempo para que o aluno consiga essa adaptação”, esclarece o professor. “Antes de tudo, o kung fu é qualidade de vida.”

Cumprimento

Kin Lai
Uma das saudações mais conhecidas do kung-fu é a Kin Lai, na qual a mão direita deve estar fechada, representando o Sol, enquanto a esquerda, aberta, simboliza a Lua. Unidos, Sol e Lua formam o Ming, símbolo para o esclarecimento. A saudação transmite ideia de respeito ao oponente, com a mão aberta demonstrando a superioridade da inteligência sobre a força.

Onde Praticar

Associação Águia Dourada de Kung Fu
(QR 314, Conjunto 8, Loja 2, Samambaia; 8466-0479). Mensalidade a partir de R$ 90, para aulas três vezes por semana.

Academia Bodytech
(EQSW 301/302, Lote 3, Sudoeste; 3327-2822). Mensalidade a partir de R$ 525, no plano Fitness, que dá acesso a todos os equipamentos e aulas coletivas.

Escola de Wushu Olímpico
(115 Norte, Escola Classe 115; 4042-3388). Mensalidade a partir de R$ 120 para aulas três vezes por semana.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES