Brasília-DF,
19/SET/2018

Espetáculo InícioFiMeio explora o nascimento e o fim de uma história de amor

Nos palcos, os atores Bárbara Gontijo e Léo Gomes interpretam o casal Liz e Roger, respectivamente

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Publicação:08/05/2015 07:25
 (Michel Melo/Divulgação)

Em amores líquidos, Zygmunt Bauman decreta: nos relacionamentos modernos, nada é feito para durar. Com estreia neste fim de semana, InícioFiMeio é impregnado pelas ideias do sociólogo polonês. Do flerte à separação, a peça remonta a história de um casal durante oito anos de convivência.

Duas características conferem uma dinâmica moderna ao espetáculo: a narrativa não-linear e as projeções do VJ Arthur Pessoa, conhecido por videotecar na noite brasiliense.

InícioFiMeio é um projeto que une a direção do veterano Abaetê Queiroz ao primeiro texto montado do ator Léo Gomes. No elenco, ele é Roger, enquanto a atriz Bárbara Gontijo vive Liz.

Saiba mais...
“Como quem carrega uma lupa, o público poderá acompanhar o desgaste do amor ao longo dos anos. Contemplar como o sentimento se apoia em coisas que fazem bem ao casal, pequenos momentos e detalhes diários que ainda os liga”, explica Léo Gomes. “Com as projeções, trazemos outro ritmo e apelo visual, ofertando uma nova linguagem multimídia a quem assiste”.

O autor se preocupou em criar uma personagem feminina e feminista. Sem panfletos, mas independente e segura de si. “Ela discute em pé de igualdade com o parceiro. Essa é a realidade que vivemos hoje. A ideia da mulher submissa em uma relacionamento praticamente não existe mais”, comenta o autor e ator.

Duas perguntas Léo Gomes

Muitos artistas usam vídeo nas apresentações. O que a técnica  acrescenta no espetáculo?

As projeções serão diferentes no sentido de elas não estarem lá somente como um elemento do cenário, mas para transmitir de maneira não literal o que acontece nas cenas. Nós não temos uma interação direta com as projeções, mas dão um sentido visual as emoções do casal. Não usamos imagens óbvias: se Roger fala que quer ser pai, não surgirá a imagem de um pai e filho, mas sim uma imagem que remeta àquilo de forma lúdica.

O amor é um tema universal e rico em nuances. Em qual aspecto do sentimento se baseia o texto?

A história é contada em ordem não cronológica e abarca oito anos de relacionamento, enfatizando em três momentos diferentes: quando o casal se conhece, com oito anos juntos e com quatro anos de casados. Optei por essa linguagem para vermos como as ações mudam com o tempo, até mesmo na forma como dizem “eu te amo”. É como se botássemos uma lupa no casal. Procuramos entender relacionamentos que duram mais, num tempo em que os casais se envolvem de modo fugaz.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES