Brasília-DF,
14/DEZ/2018

Peça Branco traz um debate sobre a precariedade do Sistema Único de Saúde

Para entrar no clima, o diretor Denis Camargo, que, também é técnico de enfermagem há mais de 20 anos, levou a equipe a hospitais do DF

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Publicação:07/08/2015 07:03Atualização:06/08/2015 18:24
Atrizes da peça construíram personagens a partir de visitas a hospitais ( Diego Bressani/Divulgaçao)
Atrizes da peça construíram personagens a partir de visitas a hospitais


Há quem diga que não existem limites para a comédia e que um dos grandes trunfos do gênero é discutir temas espinhosos sem perder a ternura. É o que faz o espetáculo Branco, em cartaz neste fim de semana em Taguatinga. O palco se transforma em uma sala de hospital a fim de debater uma realidade cruel e que assola a tantos brasileiros: a precariedade do SUS.

As atrizes Ana Vaz, Mariana Neiva e Natasha Padilha foram a campo pesquisar as contições dos pacientes em ambiente hospitalar. Desses encontros reais surgiram as personagens Elenice (dona de casa em fase pré-natal), Marli Cléa (secretária que vai à emergência após sofrer um acidente) e MC Olhar 43 (cantora de funk que se considera celebridade e acha que merece tratamento diferenciado).

Para entrar no clima, o diretor Denis Camargo, que, também é técnico de enfermagem há mais de 20 anos, levou a equipe a hospitais do DF. “São pessoas comuns e cativantes. Elas não chegam ao hospital só com problemas de saúde, mas com uma intensa carga emocional”, diz Denis, um dos criadores do projeto Risadinha, em que palhaços voluntários levam alegria a hospitais do DF.

Branco
No Teatro Sesc Paulo Autran (CNB 12, AE 2/3, Taguatinga Norte, informações 3451-9150). Hoje e amanhã, às 20h; domingo, às 19h. Até 16 de agosto. Entrada franca (as senhas são distribuídas uma hora antes do início de cada espetáculo.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES